Biodiesel é discutido como alternativa para diversificação de cadeias produtivas no sudoeste paranaense

Publicado em 15/10/2010 08:35
1076 exibições
Graças à presença de várias cooperativas agrícolas de cunho familiar, a região sudoeste do Paraná vem ganhando destaque no mercado de espécies oleaginosas para produção de biodiesel. Tanto assim que, em 21 de julho, o Ministério do Desenvolvimento Agrário discutiu com representantes da região a criação do Polo de Biodiesel do Sudoeste Paranaense.

Por este motivo foi organizado um Curso sobre a Cadeia Produtiva do Biodiesel, nos dias 6 e 7 de outubro, na Unidade Regional do Iapar em Pato Branco. O treinamento contou com profissionais ligados à área de biocombustíveis do Instituto Agronômico do Paraná, do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural, da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná e do Instituto de Tecnologia do Paraná.

Os conteúdos, trabalhados em palestras e práticas a campo, contaram com a participação de um público total de mais de 100 pessoas, entre agricultores, estudantes de ciências agrárias e outros profissionais do setor rural. Os participantes conhceram unidades experimentais de cultivares de canola, crambe, nabo e cártamo, e dinâmicas a campo de tratores abastecidos com biodiesel.

Nas palestras houve a apresentação do Programa Estadual de Bioenergia por Richardson de Souza, da Seab, do mercado de biodiesel por Celso Daniel Cerato, da Emater, e das plantas com potencial para produção de óleo para biodiesel pelo pesquisador José Salvador Simoneti Foloni, do Iapar.

Foram ministradas palestras demonstrando a importância do tema para a região, bem como os esforços das diferentes instituições estaduais ligadas ao setor, fomentando um rico debate entre agricultores e pesquisadores com objetivos comuns.

O pesquisador José Salvador Foloni destacou a importância da iniciativa das instituições no desenvolvimento de tecnologias para as diferentes regiões do Paraná e da receptividade dos agricultores.

Na parte da tarde organizaram-se duas práticas: apresentação dos ensaios do Iapar com as diferentes espécies oleaginosas com potencial para produção de Biodiesel na região sudoeste, conduzidos na estação experimental do Instituto em Pato Branco, e demonstração do uso de biodiesel em tratores, com a participação do professor José Carlos Laurindo, do Tecpar.

O Iapar desenvolve várias linhas de pesquisas voltadas a tecnologias adaptadas à agricultura familiar, dentro da cadeia produtiva do biodiesel. Entre elas, o órgão é responsável pela definição de espécies oleaginosas e de tecnologias de cultivos para diferentes condições de clima e solo do Paraná; pela avaliação dos equipamentos de extração de óleos vegetais por meio de prensagem a frio; avaliação do uso de co-produtos do esmagamento de oleaginosas (torta para ração e/ou adubo); e promoção de estudos sócio-econômicos sobre a inclusão da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel.

A base inicial para a produção do biodiesel tem sido a soja, mas os estudos buscam alternativas com foco nas culturas que têm zoneamento já publicado pelo Mapa, como girassol, amendoim, mamona e canola. Outras oleaginosas potenciais que estão em estudo são o nabo forrageiro, crambe, cártamo, pinhão manso, tungue e macaúba.

O evento teve como apoiadores o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Emater e o Iapar com a colaboração de Alceu Luiz Assmann, José Nilton Sanguanini, Eloir Myszka e Henrique Von Hertwig Bittencourt.
Fonte: Agência Est. de Notícias do PR

1 comentário

  • ABRASGRÃOS - Assoc. Brasileira de Produtores de Grãos Formosa - GO

    Enganadores do Evento: O evento teve como apoiadores o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Emater e o Iapar com a colaboração de Alceu Luiz Assmann, José Nilton Sanguanini, Eloir Myszka e Henrique Von Hertwig Bittencourt, com a participação do professor José Carlos Laurindo, do Tecpar e do pesquisador José Salvador Foloni. Nas palestras houve a apresentação do Programa Estadual de Bioenergia por Richardson de Souza, da Seab, do mercado de biodiesel por Celso Daniel Cerato, da Emater. Essa tropa toda até hoje não descobriu ainda que o melhor óleo para se fazer biodiesel é o óleo "mais barato"... não importa se é de soja... Do jeito como estão abobalhando os agricultores seria muito melhor dizer logo a verdade: O melhor de tudo é fabricar motores que utilizem o óleo vegetal puro em vez de fabricar antes o "biobobodiesel"... tal qual o alemão Rudolf Diesel inventou o motor com óleo de amendoim a mais de 100 anos atrás.

    0