Por que Lula tem de arrastar seu fotógrafo oficial para sessões de radioterapia?

Publicado em 26/01/2012 13:22 e atualizado em 08/08/2013 16:25 1442 exibições
por Reinaldo Azevedo, de veja.com.br

Por que Lula tem de arrastar seu fotógrafo oficial para sessões de radioterapia? Ou: Que outro ex-presidente no mundo tem fotógrafo oficial? Ou ainda: O câncer fashion

É claro que eu poderia me abster deste comentário porque há sempre estúpidos incapazes de ler o que está escrito e dispostos a me acusar por aquilo que não escrevi. Ocorre que esses tontos não são meus juízes. Então escrevo. Vejam esta foto

lula-gianecchini

Foi feita por Ricardo Stuckert, do Instituto Lula. O Apedeuta faz tratamento de radioterapia no hospital Sírio-Libanês, onde Reynaldo Gianecchini também se trata. O ex-presidente decidiu visitar o ator. Até aí, bem! Mas o que faz junto o seu fotógrafo oficial? Aliás, desconheço outro político no mundo, já fora do poder, que tenha um “fotógrafo oficial”!!! Isso é coisa daqueles bilionários das arábias…

Já notaram que jamais se estranhou isso na imprensa? Os leitores muito jovens — e os tenho aos montes, felizmente — talvez não se lembrem, mas uma das críticas em que a imprensa se fartava era a tal “vaidade” de FHC… A acusação era sempre ressentida, meio bucéfala, tentando demonstrar que era uma ilusão ele se achar superior aos demais políticos só porque era intelectual. Ele jamais havia se declarado assim, mas e daí? Imaginem se o tucano carregasse um fotógrafo pra cima e pra baixo… Ao contrário: FHC já declarou que gosta é de privacidade.

Não Lula! Com ele, até o câncer tem de ser um espetáculo e de render flashes. VOCÊS JÁ SE DERAM CONTA DO ABSURDO QUE É CARREGAR FOTÓGRAFO EM SESSÃO DE QUIMIOTERAPIA E RADIOTERAPIA??? Pra quê? Por quê? A única resposta possível é esta: POLÍTICA! Luiz Inácio Apedeuta da Silva usa o câncer para reforçar a mitologia. Se puder aparecer ao lado de um ator querido por muitos, que também leva adiante uma batalha e tanto, melhor!

Alguns tolinhos da sociologia de fancaria vêm com aquela bobagem de que, assim, ele ajuda a desmistificar a doença etc e tal. Uma ova! Ajudaria caso se portasse como um homem comum — ainda que homem comum tratado no Sírio-Libanês. Levando junto um aparato, vivendo vida de artista, ele faz é o contrário. Não serve de exemplo, mas de exceção. Os demais pacientes não podem fazer essa glamorização da doença.

Eu detesto ter de escrever este texto, se querem saber. Acho que as enfermidades têm de ser tratadas com decoro. Jamais permiti, e não permitirei, neste blog, abordagens desrespeitosas com doentes — pode ser até o Chávez. É claro que as moléstias não tornam bons e decentes indivíduos maus e indecentes. Mas não é uma categoria de pensamento e uma categoria política. Ademais, queridos, não tem jeito — sou quem sou! —, acho que a compaixão é um bom sentimento.

Por isso mesmo eu me constranjo com a espetacularização a que Lula submete a própria doença. Stuckert deveria começar a divulgar as fotos dos encontros políticos do chefe, já que ele está articulando as eleições de 2012. Se é para acabar com o preconceito, que se mostre o petista cuidando das relações de poder, sem essa abordagem fashion.

Trata-se de uma cara politização barata da doença.

PS - Pior sorte teve Mário Covas. Doente de câncer, tomou bandeiradas na cabeça dos petistas, até sangrar.

Por Reinaldo Azevedo

 

Piada! Petista disfarçada de representante da ONU decide denunciar governo de SP por causa do Pinheirinho. Então vamos ver quem é ela, o que faz e por que sua denúncia já está desmoralizada

Raquel Rolnik, a denunciante... Não é a ONU, é o PT quem está falando

Raquel Rolnik, a denunciante... Não é a ONU, é o PT quem está falando

 

Um dia antes de deixar o Ministério da Educação para concorrer à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad afirmou, em desafio à Lei Eleitoral — lei pra quê? — que a campanha começava no dia seguinte. E começou! A pancadaria que os esquerdistas tentaram promover ontem na cidade já faz parte do processo. Mas não só. Num dos posts abaixo, mostro como a EBC, de Dilma Rousseff, afina seus ponteiros com a Telesur, de Hugo Chávez, para espalhar uma mentira grotesca. Sim, eles podem mentir à vontade. Eu desconstruo a mentira.

Muito bem! Há uma senhora chamada Raquel Rolnik que foi feita, por influência dos petistas, Relatora Internacional do Direito à Moradia Adequada do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Huuummm… Entendo! Se há alguém isento neste mundo, que só se preocupa com os fatos, é Rolnik!!! Por isso ela denuncia hoje o governo de São Paulo nas Nações Unidas, e há um escarcéu em certa imprensa, dizendo ser uma denúncia da ONU! Será mesmol?

Se vocês recorrerem ao Google, verão que Rolnik é professora da USP,  relatora da ONU e coisa e tal, mas é quase impossível encontrar duas informações:
a) foi Diretora de Planejamento da cidade de São Paulo no governo Marta! Sim, no governo Marta, justamente aquele em que a Cracolândia se consolidou.

b) foi nada menos do secretária nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades entre 2003 e 2007.

Rolnik espalhava aos quatro ventos que era preciso “repovoar o centro” quando pertencia ao governo Marta, mas nunca tomou uma miserável medida concreta pra isso. Ao contrário! Deixaram a região ao deus-dará. Quando a gestão Serra tentou interferir ali, Rolnik se juntou àquele padre esquisito para acusar “higienismo”. Ficou quatro anos no Ministério das Cidades! E o que se conhece de seu trabalho ali? Era um ministério que não existia, tanto que foi ocupado, por dois anos, por Olívio Dutra (com Rolnik, claro…). Digam uma só medida dessa gestão em favor da moradia ou do que quer que seja.

A impostura
Como “relatora”, dona Rolnik pode fazer uma denúncia, pedir uma investigação etc. Mas não pode expedir uma sentença antes mesmo que haja apuração — caso ela se |mostre necessária. Mas a ex-auxiliar de Marta e ex-auxiliar de Lula já deu a sentença condenatória. Em seu blog, esta senhora condena a ação na cracolândia, no Pinheirinho e, atenção!, até mesmo a intervenção na USP para restabelecer a lei. A propósito: o que a USP tem a ver com moradia, que é a sua especialidade? É POR ISSO QUE A CHAMO DE “PETISTA DISFARÇADA DE REPRESENTANTE DA ONU”? Formalmente, ela tem, sim, uma atribuição das Nações Unidas. Mas suas convicções, fica evidente para mim, contaminaram sua capacidade de avaliar os fatos com isenção.

Notem, então, como se estabelece o cerco. Raramente vi uma trama tecida com tanto método e determinação. Eis o roteiro:
1 - governo federal assiste impassível à questão do Pinheirinho; poderia ter desapropriado a área, mas não o fez; apenas se disse “interessado” na questão;;;
2 - Planalto sabe que competência para decidir é da Justiça Estadual, mas finge acreditar que é da Justiça Federal;
3 - a PM, cumprindo ORDEM JUDICIAL, faz a desocupação da área sob pesadas críticas dos petistas, que, curiosamente, atacam o governo de SP, não a Justiça;
4 - Agência oficial de notícias, em linha com emissora de Chávez, denuncia a existência de mortos na operação. A mentira corre o mundo e é reproduzida no Brasil até por grandes portais, como UOL e Terra;
5 - a esmagadora maioria da imprensa omite o fato de que o Pinheirinho é comandado por um partido político de extrema esquerda, o PSTU, que atua, na margem, como linha auxiliar do PT (embora diga que não). Foi esse partido que impediu um acordo que evitasse a invasão;
6- uma petista incrustada num órgão da ONU, como Rolnik, decide denunciar o governo de São Paulo, e boa parte da imprensa omite a sua biografia. Aliás, ela própria, em seu blog, não informa que foi auxiliar de Marta Suplicy e burocrata do Ministério das Cidades no governo Lula. De sua lavra, num caso ou em outro, não se conhece uma maldita ação concreta que tenha melhorado a vida nas cidades.

COMO PODE UMA REPRESENTANTE DA ONU JÁ TER DADO UMA SENTENÇA EM SEU BLOG PESSOAL SOBRE O QUE É NÃO MAIS DO QUE UM PEDIDO DE APURAÇÃO? Em sua megalomania e delírio totalitário, os petistas aparelharam até as Nações Unidas. Bem, não é de estranhar. Os órgãos da entidade ligados aos direitos humanos estão coalhados de representantes de ditadores e facínoras. Raquel, nesse meio, é a melhorzinha, mas não necessariamente a mais sincera.

Encerro
Não adianta me xingar. Eu não dou a mínima. O que penso desta senhora, aliás, também não importa tanto. Eu quero ver é connestarem o seguinte:
1 - Foi auxiliar de Marta;
2 - foi secretária do Ministério das Cidades;
3 - é ligada ao PT;
4 - não elaborou um só projeto significativo para São Paulo ou para o Brasil;
5 - já condenou o governo de São Paulo em seu blog antes de qualquer apuração - portanto, perdeu a condição necessária para ocupar a função, que exige isenção;
6 - em seu afã antigoverno do estado, emitiu opiniões política que nada têm a ver com moradia e urbanismo.

RAQUEL ROLNIK DENUNCIA O GOVERNO DE SÃO PAULO NA ONU? E EU A DENUNCIO POR OMITIR A SUA CONDIÇÃO EX-SERVIDORA DE GOVERNOS PETISTAS.

Não venham os petralhas com conversa mole. Venham com fatos, como faço!

Haddad cumpriu a promessa: a campanha já começou!

Por Reinaldo Azevedo

 

26/01/2012 às 17:57

A filha de Chávez, os dólares e como vivem os esquerdistas

filha-de-chavez-rosita-chavezinstagram

Essa é a foto de Rosinés, de 14 anos, uma das filhas de Hugo Chávez, ostentando, feliz, um leque de dólares. A gente pode ficar só no “Ahhh, ohhh, ihhh…” ou pode tentar entender. Opto pela segunda alternativa.

Fui da sinistra, vocês sabem. Uma das coisas que me fizeram romper com os “companheiros e camaradas”, entre muitas, foi constatar, ainda bem jovem, que os valentes jamais viveram — ou acharam que deveriam viver — segundo a disciplina que queriam impor aos outros. Aliás, isso define de modo notável o perfil moral dos esquerdistas.

Eles inventaram uma categoria que poderia ser sintetizada pela expressão “é uma questão política, não pessoal”. Isso abre as portas para qualquer indecência, para qualquer imoralidade, para qualquer crime. Nessa tal “questão política, não pessoal”, está a raiz, acreditem, de uns 150 milhões de mortos pelo menos. Ora, se a “questão política” exigiu, faça-se; nada de pessoal contra os executados.

A imoralidade vale para todos os setores da vida. Ainda nesta manhã, e muitos bobalhões não entenderam, comentei o despropósito que é Luiz Inácio Lula da Silva andar agarrado a um fotógrafo pessoal — até quando faz químio e radioterapia. Não há ex-dirigente no mundo, nem Clinton, da nação mais rica da Terra, que faça o mesmo. É o padrão de um ditador, de um caudilho… “Ah, é com o dinheiro dele!” Uma ova! É com o dinheiro do Instituto Lula, financiado por empresas que têm interesse no governo petista. Vão contar essa história pra outro.

Agora vamos voltar a Rosinés. A garota postou uma foto no Instagram, aplicativo da Apple, exibindo os seus dólares. A imagem deixou muitos venezuelanos indignados, já que é conhecida a dificuldade para obter a moeda americana no país. Não para uma quase criança, filha do ditador. O ar de satisfação da mocinha deixa claro que o “antiamericanismo” do pai não contaminou a filha, né? De fato, é só uma estratégia política para pegar os trouxas. Há pencas de reportagens na Internet sobre os milionários do “socialismo” de Chávez. Por que seria diferente justamente com a família do chefe do sistema?

No Twitter, a mãe de Rosinés, a jornalista Marisabel, separada de Chávez desde 2003, defendeu a filha: “Eu disse para ela que o erro não era tirar a foto, mas postá-la num meio onde pessoas ignorantes não respeitam os outros”.

Como se lê, trata-se de um ambiente em que se respira uma profunda moralidade!

Por Reinaldo Azevedo

 

26/01/2012 às 17:20

Comentários

Caros, há quase 400 comentários na fila. Estamos cuidando deles. Assoviando e chupando cana, hehe, como se diz em Dois Córregos. A gente chega lá. Só um pouquinho de paciência! Eis um bom problema, né? Triste é fazer aqueles blogs no deserto. Não deixem de ler o post anterior sobre a conexão “EBC de Dilma-Telesur de Chávez”.

Por Reinaldo Azevedo

 

26/01/2012 às 17:06

TV do ditador Hugo Chávez repete as mentiras da EBC, de Dilma Rousseff, dirigida por Nelson Breve. Militante brasileira dá entrevista em espanhol e acusa mortes e ocultação de cadáveres. Tem de ser processada pela Procuradoria Geral do Estado

Se vocês clicarem aqui, assistirão a um vídeo inacreditável: uma reportagem da Telesur — uma das TVs de Hugo Chávez, na Venezuela — sobre a região de Pinheirinho atribui ao governador Geraldo Alckmin a decisão de promover a reintegração de posse da área. É a mentira mais leve. Segundo a TV do ditador, “9 mil pessoas” foram desalojadas e há mortos e desaparecidos. Não chegam a seis mil (o que não quer dizer pouca gente), e ninguém morreu.

Atenção! Uma brasileira concede uma longa entrevista em espanhol em que afirma ser “desconhecido” o número de vítimas fatais, mas dá como inquestionável a morte de “um companheiro e de uma criança de três anos”. Seu nome é Helena Silvestre, identificada pela TV como membro da “Frente de Resistência Urbana”. Esta mesma senhora aparece numa página chamada “Agência de Notícias da Favela” divulgando a carta de uma companheira que sustenta que se ”continua a matar” no Pinheirinho.

Notem o grau de articulação entre a televisão estatal da Venezuela e a empresa estatal de notícias no Brasil. Se vocês procurarem no Google, verão que a denúncia da tal Silvestre se espalhou em campanhas virais. E alguns bobões comentam: “E a mídia vai silenciar…” Silenciar sobre o quê? Sobre o nada?

Helena Silvestre, obviamente, não é do Pinheirinho. Seu espanhol não é aquela maravilha, como vocês poderão ver, mas é bem treinado. É um sinal de, como posso dizer?, articulação com “lutas” latino-americanas, quem sabe as “venezuelanas”, entre outras. No ano passado, o Conselho Federal de Serviço Social realizou um congresso cujo tema era “Sujeitos Políticos Coletivos na Sociedade Brasileira: resistência ao capitalismo”. Entendi. O objetivo da turma do “serviço social” era criar uma alternativa ao capitalismo —  propósito modesto, como se nota.

Helena deu uma palestra na condição de “Coordenadora do Movimento dos Trabalhadores sem Teto de São Paulo (MTST)”. Todos ficaram muito emocionados. Ela afirmou maravilhas como esta:
“Para sobrevivermos, é preciso resistir e afirmar os interesses da classe trabalhadora na luta de classes, em uma perspectiva de ruptura com o capitalismo e a construção de uma nova ordem totalmente distinta”.

Entendi. Se vocês recorrerem ao Google, verão as vezes em que Helena Silvestre e o PSTU aparecem juntos. O PSTU é o partido do tal “Marrom”, cujo perfil publiquei aqui. O partido impediu qualquer solução negociada. Afinal, vocês sabem, o objetivo não é dar casa a quem não tem casa, mas destruir o capitalismo.

Abaixo, há outro vídeo da Telesur (aquele primeiro está sem código de incorporação), repetindo as mesmas mentiras. Vejam. Volto depois.

Encerro
Dona Helena Silvestre anuncia ao mundo que a Polícia Militar de São Paulo matou pessoas, inclusive uma criança, e ocultou os cadáveres. Isso não aconteceu e, portanto, ela cometeu um crime. A instituição chamada Polícia Militar e o governo do Estado de São Paulo, por meio da Procuradoria Geral do Estado, têm de levá-la à Justiça ou para provar o que diz ou, então, para ser punida pela calúnia. Assim como a reintegração de posse da área do Pinheirinho não dependia da vontade do governador Alckmin, também o processo não depende. É uma questão de estado.

Encerro reiterando que estamos diante de uma espécie de formação de quadrilha ideológica para a prática da calúnia, que une a EBC, comanda por Nelson Breve, por vontade de Dilma Rousseff, à Telesur de Chávez. A presidente brasileira afirmou que o único controle que aceita para a imprensa é o controle remoto. Não basta! É preciso também ter um compromisso com os fatos.

Por Reinaldo Azevedo

 

26/01/2012 às 15:32

A queda no Dnocs e o governo Dilma, que é cada vez melhor porque é ruim!

Caiu o diretor-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), Elias Fernandes (ver post anterior). Dnocs!!! Isso é uma fábrica de escândalos faz tempo! É um padrão no Brasil: raramente se rouba tanto quanto nos órgãos destinados a fazer o dito “trabalho social”. Se a pobreza existe, então tudo é permitido, entendem? O dinheiro rola solto e fácil, e a rataiada aproveita. Mas o que me interessa é outro aspecto.

A cobertura que está sendo dispensada ao caso contribui, mais uma vez e contra os fatos, para a mitificação da presidente Dilma Rousseff (e para a mistificação política!) — e isso explica, em parte ao menos, o seu crescente prestígio junto à opinião pública. O tratamento dado é o seguinte: “Vejam que governo corajoso! É cada vez melhor porque é ruim!”. Explico-me.

Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB, havia dado uma declaração que poderia ser assim sintetizada, em face dos problemas no Dnocs — e, na verdade, no Ministério da Integração, de Fernando Bezerra, que é do PSB: “O diretor do Dnocs fica porque a presidente não quer problema com o PMDB”. Huuummm…
Ora, das duas uma: ou é Dilma quem manda no governo, ou é o PMDB, certo? Não cabia à presidente, mesmo a contragosto, outra decisão que não demitir Elias Fernandes. Isso não é ato de coragem nem de altivez: é só uma obviedade. No mundo da lógica, um subordinado pode ser altivo diante do chefe. A altivez do chefe diante do subordinado ou é uma impossibilidade dada pelos próprios termos ou é só arrogância. Mas quê!!! MAIS UMA VEZ, A PRESIDENTE É TRATADA COMO OMBUDSMAN E GERENTE DA PRÓPRIA GESTÃO.

Parece que Dilma veio de Marte e caiu no Palácio do Planalto. Seu partido, suas alianças políticas, a tradicional divisão de poder com aliados… Ela não teria relação com nada disso! É aquela que chegou pura ao topo da máquina e agora faz, então, o tal trabalho da “faxina”. Assim, lemos agora que ela “exigiu” a demissão do diretor do Dnocs!

Oposição
Outro dia, um grande jornal dava em manchete que Dilma fazia de tudo para evitar cortes no Orçamento. Boa, presidente!!! Ah, sim: se houver, fiquem tranqüilos, não será no social!!! Que bom! Ficamos todos felizes em saber que há alguém no governo Dilma que zela e vela por nós. Quem? Ora, Dilma! Abaixo dela, todos admitem, há uma certa esculhambação…

Significativa nessa queda é que ela se dá sob o silêncio do principal partido de oposição, o PSDB. É que, sabem, o partido não quer arrumar confusão com o PMDB — nem com o PSB, do protegido Fernando Bezerra — porque, no choque de interesses entre essas legendas e o PT, quem sabe sobrem alguns benefícios políticos para os tucanos rumo a 2014… Então seria melhor não turvar o ambiente.

Esse, vamos dizer, arcabouço político e jornalístico explica o fato de o governo Dilma ser tão ruim — porque inoperante —, mas tão bom! A oposição fica esperando Godot, e Dilma é tratada como um agente externo, moralizador da política.

Para ela, é o melhor dos mundos. Não para a administração, como se vê. Ou melhor: COMO NÃO SE VÊ.

Por Reinaldo Azevedo

 

26/01/2012 às 15:02

Após denúncias, cai o diretor-geral do Dnocs

Por Andréia Sadi, na Folha Online:
O diretor-geral do Dnocs (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas), Elias Fernandes, pediu demissão nesta quinta-feira (26) após relatório da CGU (Controladoria-Geral da União) apontar irregularidades em sua gestão.

A decisão foi tomada após conversa entre Fernandes e o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), seu padrinho político. Segundo a Folha apurou, a saída foi pedida pelo Planalto e acontece após Alves desafiar o Planalto a demitir o apadrinhado da legenda. Hoje cedo, Fernando Bezerra (Integração Nacional) e a ministra Gleisi Hoffman (Casa Civil) conversaram com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e avaliaram que a situação de Fernandes estava insustentável.

Temer conversou com Alves, que encaminhou a demissão junto com Fernandes. Ficou acertado que o líder do PMDB indicará o substituto no Dnocs. Por meio do Twitter, Alves diz ter sido comunicado pelo próprio Fernandes da sua demissão. “Elias acaba de me dizer q entendeu e agradeceu conversa leal do Min Fernando [Bezerra], que reafirmou absoluta confiança no trabalho realizado.” Em nota, o ministério afirmou que o secretário Nacional de Irrigação, Ramon Rodrigues, assume interinamente o cargo.

SUSPEITAS
O agora ex-diretor-geral passa por uma crise no órgão após relatório da CGU apontar desvio de R$ 192 milhões em obras tocadas pela autarquia. O Dnocs é vinculado à pasta da Integração Nacional, comandada pelo ministro Fernando Bezerra, do PSB, que enfrenta suspeitas de favorecimento político na distribuição de verbas do ministério.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

A burguesia enraivecida dá “voadora” em preto pobre que trabalha

Já publiquei esta foto ontem, de Márcio Fernandes, da Agência Estado. Mas eu proponho que vocês a vejam de novo.

 manifestante-voadora1

Eis aí. Vejam a fúria com que este “democrata de razão desentorpecia” avança contra seguranças, dois deles negros — e já explico por que faço essa referência. Essa extrema minoria de violentos que tem ocupado as ruas, buscando confronto, gosta de se fingir de “povo” e de denunciar a repressão da polícia, que atuaria em defesa dos poderoso etc e tal. Vocês conhecem a cascata.

A imagem é bastante eloqüente. Sou capaz de jurar que a mochila, o jeans e o tênis Nike desse “revolucionário”, somados, correspondem quase a um salário — a depender do caso, ultrapassa — dos seguranças. A cueca pode ficar fora da conta. Se um babaca desses acaba ferido no confronto, vai posar de vítima na imprensa, e os tais “coletivos disso e daquilo” farão do furioso um herói. E há o risco de o jornalismo cair na conversa.

Se um segurança branco aparecesse dando uma voadora num manifestante negro, o notório Frei Davi viria a público, com sua teologia perturbada, para denunciar “racismo”. Como se trata de um manifestante branco atacando seguranças negros, o tal Frei vai ficar de boca calada. No fim das contas, não é que essa gente seja contra agressão a negros — opõe-se à agressão aos “negros que são do movimento”, os que são ligados à “causa”. Bater em preto pode, desde que seja no preto certo, entenderam?

Por Reinaldo Azevedo

 

Presidente do PT descarta aliança com o prefeito

Por Bernardo Mello Franco, na Folha:
Após três semanas de negociações, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou ontem que o partido “não cogita” fechar uma aliança com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), na eleição municipal. Falcão disse que um apoio a Fernando Haddad (PT) seria a “terceira opção” de Kassab, associou o prefeito à ruína do legado petista na cidade e indicou que pode oferecer a vice ao PR.

Questionado sobre a dificuldade de manter o discurso em caso de aliança, disse que o prefeito prefere apoiar o ex-governador José Serra (PSDB) ou Guilherme Afif (PSD). “Em nenhum momento nós cogitamos isso [aliança]. Nem o prefeito Kassab está cogitando”, afirmou. “Temos feito oposição ao prefeito Kassab.”
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

Conselheiro do CNJ quer anular licitação do próprio órgão

Por Luciana Marques, na Veja Online:
A briga interna no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) deve ter um novo capítulo na primeira reunião deste ano, marcada para esta quinta-feira. Nesta quarta, véspera da sessão, o conselheiro Gilberto Martins encaminhou ao presidente do CNJ, Cezar Peluso, um parecer em que pede a anulação do contrato da empresa NTC - Núcleo de Tecnologia e Conhecimento em Informática Ltda, prestadora de serviços de suporte técnico. O documento, ao qual o site de VEJA teve acesso, solicita que todos os efeitos do Pregão Presencial 049/2011 sejam suspensos, por apresentarem “vícios insanáveis”.

O certame, realizado em dezembro de 2011, prevê um contrato de no valor de 68 milhões de reais. O contrato era para implantação da Central Nacional de Informações Processuais (CNIP), um banco de dados com informações de todos os tribunais do país. O edital previa a contratação de uma única empresa para o fornecimento de softwares e hardwares necessários para suportar a central, bem como a prestação de serviço para instalação. 

A licitação causou controvérsia no fim do ano passado, quando uma das empresas vencedoras apontou possível direcionamento na concorrência. O caso passou a ser investigado. Gilberto Martins, indicado pelo Ministério Público para uma cadeira do CNJ, faz parte de um grupo do conselho que se opõe a Cezar Peluso. Esse grupo afirma que a licitação foi chancelada por Peluso e seu secretário-geral, Fernando Marcondes. A escolha do secretário-geral, por sinal, é outro tema de embate no conselho. O mesmo grupo pleiteia uma mudança na forma de escollha do ocupante desse cargo, que passaria a ser eleito em vez de indicado pelo presidente. 

Fernando Marcondes admitiu ao site de VEJA que teve acesso aos documentos durante o processo de licitação, assim como Peluso. “O ministro viu”, afirmou. Mas, segundo ele, a responsabilidade pela licitação é da diretoria-geral do órgão. Marcondes negou qualquer ilegalidade no certame. “Tenho absoluta certeza de que não houve qualquer irregularidade”, disse. Segundo Marcondes, a área técnica do CNJ deve dar explicações aos conselheiros sobre o caso  nesta quinta-feira.

Irregularidades
No parecer encaminhado a Peluso nesta quarta, Gilberto Martins sustenta que a licitação tramitou com uma celeridade “impressionante”. A concorrente IBM, que perdeu a disputa, já havia reclamado do pequeno prazo de realização do certame. O conselheiro apontou fatores como a exigência de qualificação técnica não prevista na Lei de Licitações e a falta de justificativa para impedir a participação de consórcios.

Ele também estranhou o fato de a então diretora-geral, Helena Yaeco Fujita Azuma, que não estava no exercício da função, ter assinado a ata de registro de preço no dia 22 de dezembro de 2011 e o contrato no dia seguinte. Nestas datas quem respondia pelo órgão era seu diretor-geral substituto Kleber de Oliveira Vieira, que inclusive assinou, no mesmo período, a homologação do pregão e a autorização para o empenho de valores.

“Será que ambos estavam exercendo as funções ao mesmo tempo?”, questionou o conselheiro. Procurada pelo site de VEJA, a assessoria do CNJ não soube informar se o procedimento é legal, mas informou que daria uma resposta ao site de VEJA na quinta-feira.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

Dnocs pagou duas vezes pelo mesmo serviço, segundo CGU

Por Roberto Maltchik, no Globo:
O Departamento Nacional de Obras contra as Secas (Dnocs) pagou R$ 9,3 milhões por serviços de uma consultoria de engenharia, que, de acordo com a Controladoria Geral da União (CGU), teria apenas repetido informações que a autarquia já dispunha. Os pagamentos à Hydras Engenharia e Planejamento Ltda, com sede em Salvador, foram feitos entre 2008 e 2010 e, segundo a diretoria do Dnocs, R$ 800 mil estão retidos por suspeitas de irregularidades.Em documento oficial, a diretoria-geral do Dnocs afirma que a direção de infraestrutura hídrica, comandada até 2011 por Cristina Peleteiro, uma engenheira indicada pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), pressionava pela efetivação dos pagamentos e teria se negado a calcular o tamanho do prejuízo.

O relatório da CGU diz que os pagamentos de R$ 9,3 milhões foram superfaturados. E aponta que a consultoria atuou em duas obras de grande porte: a Barragem Figueiredo (CE) e o projeto de Irrigação Tabuleiros Litorâneos (PI), incluídas no Programa de Aceleração do Crescimento. Entretanto, tal acompanhamento já estaria em curso pelos responsáveis por serviços de supervisão. “Todos os dados referentes à execução físico-financeira do contrato de construção constavam em ambos os relatórios. (…) Foi evidenciada, assim, superposição de atividades entre o contrato de consultoria e aqueles de supervisão”.

Em agosto de 2011, a direção do Dnocs teria tomado ciência das irregularidades. Só em novembro o diretor-geral do Dnocs, Elias Fernandes, teria determinado a abertura de sindicância, “inércia” criticada pelos auditores. Em novembro de 2011, por meio de ofício, a diretoria do órgão afirma que não pode ser considerada omissa porque “a atuação do departamento tem sido dificultada quando necessária a atuação junto à diretoria de Infraestrutura Hídrica, comandada até junho de 2011 pela engenheira Cristina Peleteiro, indicada pelo ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima”. Ainda afirma que a diretoria “incessantemente’ pugna pelo pagamento das faturas pendentes.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima disse nesta quarta-feira que desconhece o caso da Hydras Engenharia e Planejamento. Ele contou que foi ele quem pediu uma auditoria da CGU. Sobre a diretora de Infraestrutura, Cristina Peleteiro, foi só elogios. Disse que é uma pessoa “da maior seriedade” e confirmou que foi ele quem a nomeou . A Hydras não se manifestou.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

25/01/2012 às 23:18

STF nega pedido de suspensão da desocupação do Pinheirinho

Na Folha Online:
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Cezar Peluso, arquivou a ação da Associação Democrática por Moradia e Direitos Sociais de São José dos Campos (97 km de SP) que pedia a suspensão imediata da desocupação da área invadida do Pinheirinho. A reintegração de posse começou no domingo (22).

O ministro disse que o pedido da associação é “inviável”, porque o mandado de segurança foi impetrado contra uma decisão do presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça) –onde ainda não foram esgotadas todas as possibilidades de recurso. O presidente do STJ entendeu que era válida a ordem da 6ª Vara Cível de São José dos Campos, que determinou a desocupação da área para reintegração de posse.

No pedido ao STF, a associação alegava perigo na demora de uma decisão, e afirmava que não seria possível aguardar o fim do recesso do Judiciário para que o STJ julguasse o recurso interposto contra a decisão do presidente da corte. A associação pedia o reconhecimento do interesse da União e a competência da Justiça Federal para analisar o caso.
(…)

Por Reinaldo Azevedo

 

PF apura se vazamento do Enem é maior do que admitido

Na VEJA Online:
A Polícia Federal (PF) confirmou nesta quarta-feira que requereu ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) acesso a 30 cadernos de questões usadas no pré-teste do Enem em 2010. Até agora, apenas dois cadernos foram tornados públicos - eles continham as 14 questões vazadas pelo Colégio Christus, de Fortaleza, antes da realização da prova de outubro de 2011.

O pedido da PF atende a uma requisição do Ministério Público Federal no Ceará. Além de ver os cadernos, o procurador da República Oscar Costa Filho quer saber a quantidade de questões presentes no banco de itens do Enem - cerca de 6.000, segundo disse certa vez o ex-ministro da Educação Fernando Haddad - e a data em que cada uma delas foi testada.

A suspeita do procurador é que o vazamento de questões é maior do que o admitido até agora pelo Ministério da Educação. Ou seja, testes presentes nos 30 cadernos ainda mantidos sob sigilo pelo MEC também poderiam ter sido vazados antes da realização da avaliação.

Novela
Até agora, o MEC admite apenas o vazamento das 14 questões. Presentes na edição de 2010 do pré-teste - exame que “calibra” questões para a avaliação federal -, os testes foram distribuídos a estudantes do Colégio Christus e do cursinho pré-vestibular dias antes da realização do Enem 2011. Inicialmente, o MEC cancelou apenas os testes das provas do alunos do colégio, reconhecendo somente depois que o vazamento havia beneficiado também os participantes do cursinho.

Até agora, a investigação da PF levou ao indiciamento de dois funcionários do Colégio Christus, apontados como responsáveis pelo vazamento. A investigação revelou também falhas na realização do pré-teste de Fortaleza: os fiscais da prova foram contratados pelo Christus, o que contraria determinação do Inep e, portanto, do MEC. 

Por Reinaldo Azevedo

 

Kassab repete pose histórica de Jânio Quadros em foto

Na Folha Online:
Imagem capturada nesta quarta-feira (25) na catedral da Sé, em São Paulo, mostra o prefeito Gilberto Kassab (PSD) em pose semelhante a que tornou célebre uma foto do ex-presidente Jânio Quadros há mais de 50 anos.

Na foto premiada de Jânio, de 1961, o ex-presidente aparece com as pernas torcidas e os pés apontando para lados diferentes, em uma síntese do momento político da época. Naquele mesmo ano, Jânio renunciou ao cargo sem motivo aparente e colocou o Brasil em uma profunda crise política. Três anos depois, em 1964, os militares tomaram o poder.

Embora em proporções diferentes, Kassab também vive momento decisivo na sua vida política. Patrono do recém-fundado PSD, o prefeito deve definir nos próximos dias se mantém aliança com o PSDB na disputa pela sua sucessão, ao mesmo tempo em que flerta com o PT, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Gilberto Kassab durante missa pelo aniversário de 458 anos de São Paulo (Luiz Carlos Murauskas/Folhapress)

Gilberto Kassab durante missa pelo aniversário de 458 anos de São Paulo (Luiz Carlos Murauskas/Folhapress)

Jânio Quadros em foto clássica em que

Jânio Quadros em foto clássica em que "cruza as pernas", imagem vencedora do Prêmio Esso de Fotografia (Erno Schneider - 1961/Jornal do Brasil)

Por Reinaldo Azevedo

 

Aqui, mais um democrata tenta desentorpecer a razão e expor seus argumentos

Vejam mais esta foto de Marcio Fernandes, da Agência Estado. Ele não leva mesmo todo o jeito de ser um pobre oprimido da classe operária? O que será que o rapaz da cueca azul carrega na mochila? A Constituição? Acho que não!

manifestante-voadora

Por Reinaldo Azevedo

 

25/01/2012 às 20:44

Daqui a pouco, mais um texto sobre o jornalismo petista, que financiamos sem querer

Daqui a pouco, volto a falar de uma reportagem da Agência Brasil, sob o comando do petista Nelson Breve. Vamos ver se estamos financiando uma empresa de comunicação ou de produção de ideologia e de factóiides políticos.

Por Reinaldo Azevedo

 

25/01/2012 às 19:32

Abaixo, a lista dos que convocavam a baderna em São Paulo; há quase mais organizadores do que manifestantes. Divulguem! É bom o paulistano saber quem quer o quê

A baderna em São Paulo foi promovida, nesta quarta, por um grupelho. A PM fala em 200 pessoas. Os manifestantes, em 1000. Digamos que houvesse 600 — o que eu duvido. Vá lá. O curioso é que há mais de 100 (!!!) entidades que convocaram o tal protesto. Há quase mais organizadores do que manifestantes, mais caciques do que índios. A lista está aí. Reúne de tudo, com destaque para parlamentares do PT e grupos ligados à descriminação das drogas. Se cada entidade dessas juntasse ao menos 10 pessoas, haveria mais gente na baderna do que o número de propaganda que eles próprios divulgam

Espalhe a lista! É bom saber quem está de qual lado em São Paulo. Ah, sim: eles se chamam “sociedade civil”. Então tá! Felizmente, a sociedade civil na cidade reúne um pouco mais do que alguns celerados que fazem da cracolândia uma causa humanista e que condenam um governo por cumprir uma determinação judicial.

Eis os organizadores:
Ação dos Cristãos para a Abolição da Tortura (ACAT-Brasil)
Ação da Cidadania SP
Ação da Cidadania, Contra a Fome, Miséria e pela Vida - SP
Ação e Cidadania Planeta 21
Amparar - Associação de Amigos e Familiares de Presos
ANEL - Assembléia Nacional dos Estudantes Livres
Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasmesp)
Associação de Moradores e amigos da Santa Ifgênia e Luz (AMOALUZ)
Associação Pró Falsêmicos (Aprofe)
Associação Sem Teto da cidade de São Paulo (ASTC-SP)
Associação Vida em Ação
Avoa núcleo artístico
Barricadas Abrem Caminhos
Bloco do Saci do Bixiga
Brava Cia de Teatro
Brigadas Populares - SP
Buraco D´oráculo
Campo Debate Socialista
Cedeca Interlagos
Central de Movimentos Populares (CMP)
Centro de Convivência É de Lei
Centro Franciscano Chá do Padre (Sefras)
Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos
Cia Antropofágica de Teatro
Cia do Latão
Cia Estável de Teatro
Cia Ocamorana de Teatro
Cia Parlendas de Teatro
Cia São Jorge de Variedades
Ciranda Internacional de Comunicação Compartilhada
Circulo Palmarino
Coletivo Artístico Elenco de Ouro -  Curitiba - PR
Coletivo Desentorpecendo A Razão (DAR)
Comitê para a Democratização da Informática - SP
Comitê Paulista pela Memória, Verdade e Justiça
Cooperativa Paulista de Teatro
Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CONDEPE-SP)
Conselho Regional de Psicologia (CRP) de São Paulo
Conselho Regional de Serviço Social do Estado de São Paulo
Contraponto
CSP - Conlutas
Dolores Bocaaberta Mecatrônica
Estudo de Cena
Espaço Cultural Latino-americano (ECLA)
Folias D´ Arte - Grupo de teatro
Fórum Centro Vivo
Fórum da Esquerda
Fórum de Juventudes RJ
Frente Estadual Antimanicomial de São Paulo
Fórum Popular de Saúde Mental da Região do ABCDMRR
Fórum Permanente de Acompanhamento das Políticas Públicas para População em Situação de Rua de São Paulo
Forum Regional de Defesa do Direito da Criança e do Adolescente - Sé
Frente de Luta por Moradia (FLM)
Grupo de Estudos Pandiá Calógeras (GEPC)
IDENTIDADE - Grupo de Luta pela Diversidade Sexual
Instituto Cultural Lyndolpho Silva (ICLS)
Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais - Pólis
Instituto Práxis de Direitos Humanos
Juventude Libre
Kiwi Cia de Teatro
Mandato Deputado Estadual Adriano Diogo (PT)
Mandato Deputado Estadual Carlos Giannazi (PSOL)
Mandato Deputado Federal Ivan Valente (PSOL)
Mandato Vereador Carlos Neder (PT)
Mandato Vereador Ítalo Cardoso (PT)
Mandato Vereadora Juliana Cardoso (PT)
Marcha da Maconha - SP
Marcha da Maconha - Recife

Marcha Mundial das Mulheres
Militância em Ambientes Virtuais do PT - (MAVPTSP)
Movimento Água Branca
Movimento de Moradia da Região Central - MMRC
Movimento de Teatro de Rua
Movimento dos Trabalhadores de Teatro
Movimento dos Sem Juízo
Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH)
Movimento Nacional de Luta Antimanicomial
Movimento Nacional do Povo de Rua
Movimento Negro Unificado - MNU
Movimento ParaTodos São Paulo
Movimento Passe Livre - MPL-SP
Movimento Sem Teto do Centro (MSTC)
Núcleo de Defesa dos Dirreitos Humanos da População em Situação de Rua e Catadores de Materiais Recicláveis de São Paulo. NDDH-SP
NEILS (Núcleo de Estudos  de Ideologias e Lutas Sociais (PUC)
Núcleo de Direito à Cidade da Faculdade de Direito da USP
Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP)
Núcleo Pavanelli de Teatro de Rua e Circo
Ocupa Sampa
Partido Comunista Brasileiro - PCB
Pró Centro - Sustentável
Promotora Legal Popular
PSOL-SP
PSTU

Rede 2 de Outubro
Rede de Juventudes de Favela - RJ
Rede Estadual de Saúde Mental e Economia Solidária
Rede Internúcleos da Luta Antimanicomial - SP
Roda do Fomento
Setorial de Direitos Humanos do PSOL
Sindicato dos Guardas Civis de São Paulo - Sindguardas
Sindicato dos Metroviários de SP
Sindicato dos Trabalhadores da Saude do Estado de São Paulo - SindSAÚDE
Tribunal Popular - O Estado no banco dos réus
Trupe Olho da Rua - Santos - SP
UneAfro
União da Juventude Comunista - SP
União de Movimentos de Moradia - UMM-SP
Unidos Pra Lutar!

Por Reinaldo Azevedo

 

25/01/2012 às 18:52

Brasil cai 41 posições no ranking de liberdade de imprensa

Na VEJA Online:
O Brasil caiu 41 posições no Ranking de Liberdade de Imprensa, realizado anualmente pela organização Repórteres Sem Fronteiras. O país caiu do 58º lugar, que ocupava em 2010, para o 99º, no levantamento 2011-2012 divulgado nesta quarta-feira. Esta é a segunda queda mais acentuada entre os países da América Latina, destaca a entidade, que relaciona o péssimo desempenho brasileiro ao “alto índice de violência” e a mortes de jornalistas no ano passado (sem detalhar, a organização fala em três casos; em novembro, um cinegrafista foi morto ao cobrir uma ação do Bope no Rio). Só o Chile registrou performance pior que a brasileira na região, perdendo 47 colocações, principalmente em função dos protestos estudantis. A pesquisa, que completa uma década, atribui notas a 179 países de acordo com os perigos que os profissionais da imprensa encontram para trabalhar (os melhores colocados recebem pontuação negativa).

“Este ano, o ranking apresenta o mesmo grupo de países no topo. Entre as nações estão Finlândia, Noruega e Holanda, que respeitam a liberdade básica. Isso é um lembrete de que a independência da mídia só pode ser mantida em democracias fortes e que a democracia precisa de liberdade de imprensa”, destacam os Repórteres Sem Fronteiras, em comunicado. “Vale a pena notar a entrada de Cabo Verde e Namíbia para o Top 20 - dois países africanos onde nenhuma tentativa de obstrução do trabalho da imprensa foi relatado em 2011″, acrescentam.

Ditaduras - Já na outra ponta da tabela, entre as piores colocações, não há surpresas. “Ditaduras que não permitem qualquer liberdade civil ocupam novamente os últimos três lugares (Turcomenistão, Coreia do Norte e Eritreia). Este ano, eles são imediatamente precedidos por Síria, Irã e China, “países que parecem ter perdido o contato com a realidade, pois têm sido sugados para dentro de uma espiral louca de terror”, enfatiza a organização.

Além da Síria, outros países atingidos pelas revoltas árabes, como Egito, Iêmen e Barein, também apresentam índices alarmantes. “Muitos meios de comunicação pagaram caro pela cobertura das aspirações democráticas ou movimentos da oposição. A censura passou a ser uma questão de sobrevivência para os regimes totalitários e repressivos.”

Por Reinaldo Azevedo

 

VINTE ANOS DEPOIS, MAIS UMA AULA DE JORNALISMO PARA NELSON BREVE, O CHEFÃO DA EBC, QUE DIFAMOU A POLÍCIA DE SÃO PAULO

Queridos, o texto, mais uma vez, vai ficar um pouco longo. Mas vale a pena ler porque estou destrinchando um método.

Relatei aqui dia desses uma conversa que tive há uns 20 anos com Nelson Breve, atual chefão da EBC. Ele começou a carreira jornalística no Diário do Grande ABC, onde também comecei. Quando nos falamos, eu era redator-chefe do jornal, e ele, repórter iniciante. Embora já maduro (não sei sua idade, mas deve ser mais velho do que eu;  estou com 50), não tinha experiência na área porque havia feito carreira no setor bancário. Era um rapaz cordato, de temperamento amigável. Eu não menos — ainda que alguns bobalhões suponham o contrário —, embora jamais abra mão de dizer que o penso. Concordar com aquilo de que se discorda por elegância é burrice ou covardia. Sim, ele era petista, o que, para mim, era irrelevante. Não fazia peneira ideológica para contratar repórteres. Já escrevi aqui a síntese de minha conversa com ele — e sempre a levei a sério onde quer que tenha trabalhado: “Eu me interesso pela notícia, não por aquilo que grupos de pressão dizem ser notícia”. Saí do jornal em 1992, Breve ficou. Deu seqüência à sua carreira jornalística e política, no que, vê-se, foi muito bem-sucedido.  Talvez tenham faltado algumas conversas, a julgar por, como vou chamar?, um verdadeiro crime jornalístico cometido pela Agência Brasil, que pertence à EBC, que ele preside.

Relatei aqui o caso na manhã de ontem. Na segunda-feira, a Agência Brasil veiculou para o país e o mundo uma “denúncia” feita por um advogado, evocando a sua condição de membro da OAB de São José dos Campos, segundo a qual haveria mortos na operação de desocupação do Pinheirinho. Os corpos estariam sendo escondidos pela Polícia Militar. Descobriu-se depois que o dito-cujo, Aristeu César Pinto Neto, é advogado do Movimento dos Sem-Teto, uma das forças que comandam a luta política do Pinheirinho. A suposta notícia foi parar nos grandes portais, como Terra e UOL. Os petralhas deram um jeito de espalhar a mentira mundo afora. No Guardian, por exemplo, estava escrito:
“Throughout Sunday, social media sites filled with apocalyptic reports of a supposed ‘massacre’, taking place within the community. One email, sent to international media, claimed there were reports that people had been killed. Brazil’s biggest TV network, Globo, described the eviction as ‘an operation of war’.”
“Durante todo o domingo, sites das redes sociais foram tomados por relatos apocalípticos sobre um suposto massacre. Um e-mail enviado à imprensa internacional sustentava que havia relatos de que pessoas tinham sido assassinadas. A maior rede de Tv do Brasil,  a Globo, descreveu a desocupação como ‘uma operação de guerra’”.

Não sei se a Globo realmente recorreu à expressão. Mas essa foi a fala, como se sabe, de Gilberto Carvalho. Muito bem, meus caros! A mentira veiculada pela empresa oficial de jornalismo, vê-se, ganhou o mundo, ainda que na forma de “relatos”. Os petralhas e a extrema esquerda, está cada vez mais claro, estão articulados para fazer circular suas mentiras mundo afora. Voltemos a Nelson Breve.

Ele tentou consertar a barbaridade feita no dia 23 e conseguiu incorrer em mais uma penca de, serei delicado, delitos jornalísticos. Reproduzo em vermelho a nova reportagem, assinada agora por Alex Rodrigues, publicada ontem. Comento em azul. O desastre já começa no título.

*
Autoridades negam que tenha havido morte durante desocupação em São José dos Campos
Não, Nelson Breve! Isso é delinqüência jornalística financiada com dinheiro público. Você deveria ter pedido desculpas e informado que NÃO HAVIA MORTOS COISA NENHUMA e que a empresa que você dirige errou ao publicar uma denúncia de um militante, sem qualquer evidência ou apuração. ONDE VOCÊ APRENDEU A FAZER JORNALISMO ASSIM, NELSON BREVE? Comigo, com absoluta certeza, não foi! Enquanto eu comandei a redação do Diário do Grande ABC, de meados dos anos 80 até o comecinho dos 90, isso não aconteceria de jeito nenhum! Se alguém cometesse barbaridade semelhante contra qualquer partido, inclusive o PT, seria demitido num piscar de olhos. ASSIM, NELSON BREVE, OU VOCÊ DEMITE OU SE DEMITE! Não fazer nem uma coisa nem outra será evidência de que acha bom o procedimento criminoso.

Ao menos 23 pessoas ficaram feridas durante os conflitos entre moradores de um terreno ocupado em São José dos Campos, no interior paulista, e policiais militares que cumprem decisão judicial de reintegração de posse. Segundo a prefeitura, a maioria sofreu ferimentos leves e foi socorrida nas unidades de Pronto-Atendimento. Um das vítimas, contudo, continua internada. Trata-se de um homem atingido por um tiro. Hoje (24), autoridades negaram à Agência Brasil a informação divulgada ontem (23) de que houve morte durante a retirada das cerca de 9 mil pessoas que vivem há sete anos e 11 meses na área conhecida como Pinheirinho, na periferia da cidade. A prefeitura informa que, em agosto de 2011, cerca de 5.500 pessoas viviam no local. De acordo com a Polícia Militar, “é improcedente a afirmação de que teria ocorrido alguma morte durante as ações”. Toda a ação foi documentada e acompanhada por autoridades do Poder Judiciário, diz a corporação.
Deixem-me ver se entendi o método Nelson Breve de fazer jornalismo com dinheiro público. Um militante da “causa” denuncia a existência de mortos numa operação comandada pela PM, SOB DETERMINAÇÃO JUDICIAL. Em qualquer empresa jornalística decente do mundo, antes que isso seja jogado ao vento, faz-se uma apuração. Afinal, não se trata de uma divergência de opinião, certo? Esse é um procedimento da Agência Brasil? Qualquer denúncia rende reportagem, mesmo sem nenhuma evidência, e basta ouvir os acusados no dia seguinte? É assim, Breve? Venha a público para defender o procedimento!

Por meio de sua assessoria, a prefeitura de São José dos Campos garantiu que, desde o início da operação da PM, na manhã do último domingo (22), nenhuma morte, de criança ou adulto, foi registrada. Segundo o coordenador de Comunicação da prefeitura, Eustáquio de Freitas, declarações de que uma pessoa teria sido morta são “fantasiosas”.
Ah, Nelson Breve!!! Eu vou lhe ensinar como se apura e como se derruba uma reportagem. Isso tudo que seus repórteres fizeram no dia seguinte deveria ter sido feito no dia mesmo em que a denúncia foi feita. E sem publicar uma linha a respeito. Como se constata, não há uma só evidência, nada! Essa matéria é uma delinqüência jornalística derivada da delinqüência original. Diga-me aqui, Breve: seria correto eu publicar aqui no meu blog que há quem diga que você trapaceou na EBC para assumir o lugar da Tereza Cruvinel? Se eu não conseguir provas, no dia seguinte faço outro post dizendo: “Breve nega, e não há evidências de que tenha trapaceado”. Isso é jornalismo? Foi o que você fez.

“O mesmo tipo de boato já vinha sendo divulgado pela internet, por meio de redes sociais. Não houve nenhum caso de morte”, afirmou Freitas, hoje, à Agência Brasil. Freitas se refere às declarações do presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São José dos Campos, Aristeu César Pinto Neto. Ontem, Neto disse, em entrevista à TV Brasil (que não chegou a ser veiculada pela emissora), que houve morte na operação de reintegração de posse e que crianças estariam entre as vítimas.
Vejam que método, digamos, transparente de confessar a picaretagem feita no dia anterior, não é? Como se atuasse em sua defesa, o texto informa: “a notícia não chegou a ser veiculada na TV Brasil”. Pô, que gente cuidadosa, não é mesmo? MAS ATENÇÃO PARA O MOMENTO MAIS ESTÚPIDO E BRUTAL NA REPORTAGEM.

Procurada, em um primeiro momento,a prefeitura não quis se manifestar. Mais tarde, no entanto, depois de a Agência Brasil divulgar matéria com a informação de que teria havido morte durante a operação, o prefeito Eduardo Cury fez questão de desmentir as declarações do representante da OAB no município Aristeu César Pinto Neto.
Ah, a culpa é das vítimas, que foram acusadas de praticar homicídios e de ocultar cadáveres. Viram? Quem mandou o prefeito não falar? Sei… Alguém acusa Breve, mesmo sem provas, de usar a EBC e sua posição no PT para beneficiar a própria família. Mesmo sem a prova. Eu o procuro para saber o que ele tem a dizer. Caso não fale, publico o boato e ainda o acuso de não ter querido “dar o outro lado”. Pô, Breve, dá o outro lado aí, ou ponho você na boca do sapo! É um absurdo! É uma prática fascistóide! “Ou o acusado fala ou será o responsável pela difamação que o atinge”.

De acordo com Freitas, o caso mais grave registrado até o momento é o de um homem de cerca de 30 anos, atingido por um tiro no domingo (22) de manhã, durante tumulto que ocorreu no centro de triagem, fora, portanto, do terreno ocupado. O homem foi operado e está internado no Hospital Municipal. A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso e ainda não se sabe de onde partiu o tiro. Por telefone, uma atendente do Instituto Médico-Legal (IML) de São José dos Campos informou à reportagem, hoje de manhã, que nenhum corpo identificado como sendo de morador do Pinheirinho deu entrada no instituto desde o início dos conflitos.
Certo! Todo o trabalho que deveria ter sido feito no dia e que derrubaria a reportagem foi feito só no dia seguinte, gerando uma nova matéria absurda!

O presidente da OAB local, Júlio Aparecido Costa Rocha, desautorizou o presidente da Comissão de Direitos Humanos a falar sobre o assunto em nome da instituição. “[Até o momento] não foi apresentada à OAB nenhuma informação concreta [a respeito de uma possível morte]. Estamos aguardando dados objetivos para iniciar uma investigação. O doutor Aristeu [Neto] não pode fazer declarações em nome da OAB porque, além de exercer o cargo de presidente da comissão, é também advogado das famílias, o que o coloca em uma posição de duplo interesse.”
Um dia depois de ficar claro que Aristeu não tinha prova de nada e estava comprometido com o movimento, como aqui se evidenciou, a Agência Brasil foi ouvir a OAB. Mas notem como a EBC se preocupa com o outro lado! Aristeu, coitadinho, o que MENTIU SOBRE AS MORTES, é citado acima. Ora, vamos ouvi-lo de novo, a título de outro lado.

Procurado, Aristeu Neto voltou a criticar o que classifica de “violência excessiva” dos policiais militares durante a operação. Ele revelou, contudo, não ter provas concretas que sustentem sua afirmação de que teria havido morte ou que moradores estejam desaparecidos. “As imagens demonstram excessiva violência e, independentemente de ter ocorrido morte ou não, a postura da polícia e do governo [estadual] está incorreta”, disse Neto à Agência Brasil, explicando que sua afirmação anterior foi baseada nas cenas que presenciou durante um conflito no Ginásio Poliesportivo, de onde, segundo o advogado, uma criança teria sido retirada em “estado grave”.
Ah, agora o Aristeu diz não ter “provas concretas”. Grande advogado! Vai ver ele tinha as provas abstratas.

De acordo com o último balanço divulgado pela prefeitura, 925 famílias residentes no Pinheirinho já foram cadastradas por funcionários da prefeitura. Dessas, 250 estão abrigadas em três dos oito espaços preparados pela prefeitura. A PM deteve 30 pessoas por resistência, desordem ou danos ao patrimônio público. Oito pessoas foram presas, sendo três procuradas pela Justiça e as demais acusadas de tráfico de drogas ou outras práticas delituosas. A PM também diz ter apreendido duas armas, uma delas uma espingarda calibre 12, além de três bombas incendiárias, maconha e cocaína. Oito veículos foram incendiados.
*Colaborou: Alice Marcondes//Edição: Graça Adjuto

Pois é… Eu me envergonho um tantinho por Nelson Breve. Não sei o que o petismo fez com a sua moral e a sua ética nos últimos 20 anos, mas ele tinha ao menos discernimento para reconhecer o trabalho porco feito na ida e na volta.

Sim, eu faço jornalismo de opinião — ou chamem lá como lhes der na telha os que não gostam de mim. Mas não lido com dinheiro público nem sou financiado pelo estado. Opino muito, às vezes com dureza. Fatos considerados muitas vezes verdadeiras poesias pelas esquerdas são tratados aqui como manifestação do horror e do terror político. MAS A MENTIRA ESTÁ FORA DA JOGADA. Aí não dá! Não houvesse mais nenhuma distinção entre mim e eles (e há um monte!!!), haveria esta, essencial e definitiva: eu só lido com fatos.

A notícia veiculada pela Agência Brasil é uma forma de terrorismo político. Se os repórteres escreveram, se os editores trabalharam o texto e o puseram no ar, isso significa que há uma cultura política que autoriza prática tão nefasta. EU TENHO A ABSOLUTA CERTEZA DE QUE ALGO PARECIDO NÃO ACONTECERIA SE OS ALVOS FOSSEM PETISTAS. Aliás, tenho bem mais do que a certeza: tenho a prova. Cadê o destaque, na Agência Brasil, ao estudante que ficou cego de um olho num confronto com a Polícia do Piauí, governado pelo PSB e pelo PT?

Os goebbels do petismo já podem se dar por satisfeitos. A mentira veiculada na Agência Brasil já ganhou o mundo. É mentira! E daí? Para que o episódio lhes causasse algum constragimento, forçoso seria que a verdade lhes fosse um imperativo moral.

Texto publicado originalmente às 22h36 desta quarta

Por Reinaldo Azevedo

Tags:
Fonte:
Blog Reinaldo Azevedo

0 comentário