Ricardo Constantino: Kátia Abreu perde a linha e me chama de “terrorista”: terroristas são seus aliados, senadora!

Publicado em 31/10/2014 14:01 e atualizado em 02/11/2014 21:07 2723 exibições
blogs de veja.com

Kátia Abreu perde a linha e me chama de “terrorista”: terroristas são seus aliados, senadora!

A senadora Kátia Abreu perdeu a linha de vez. Não consegue mais esconder que se transformou numa petista mesmo, até na forma, nos métodos. E pensar que já recebi ligação de sua assessoria querendo marcar almoço comigo. Agora virei um “terrorista” que faço “bullying” com a senadora. A vitimização chegou até ela. Aprendeu bem com os novos companheiros.

Vejam as mensagens absurdas que postou no Twitter, que custo acreditar terem saído do teclado da própria senadora:

Kátia Abreu

Isso tudo, esse destempero todo, essa raiva, esse ódio, só porque tenho cobrado da senadora coerência! Ou seja, costumo comentar seus excelentes artigos na coluna de sábado da Folha, e depois comparar o conteúdo do que é dito ali com suas ações. Teoria x práxis. E a coisa não fica boa para o lado dela. Afinal, uma defensora incondicional do capitalismo, da economia de mercado, do direito de propriedade privada, pedindo voto para o PT?

Em vez de rebater as incoerências que aponto, a senadora prefere fazer o que vocês viram acima: tentar me intimidar! Que coisa feia, senadora. Que papelão! E pensar que já a considerei uma possível Thatcher tupiniquim…

Que engano terrível. Você, agindo assim, parece mais uma espécie de Cristina Kirchner, ou algo do tipo. É uma coisa horrorosa, que afunda de vez sua reputação. Tudo que eu quero saber é como pode uma capitalista com discurso liberal contra o bolivarianismo pedir votos para a representante dos bolivarianos no Brasil. Explique só isso para seus antigos admiradores. Não peço mais nada.

Mas eis que agora sou eu o arrogante que pareço um ditador bolivariano. É mole? Tanta inversão assim já faz da senadora uma típica petista eleitora de Dilma mesmo. Quer dizer que a senhora repudia os ditadores bolivarianos? E já disse isso para a sua colega Dilma? Como ela reagiu? Fiquei curioso…

Virei até um “fascista” para ela, ou seja, faz a mesma acusação ridícula que os bolivarianos fazem a todos os democratas que rejeitam o socialismo. E me acusa de ter preconceito, de discriminá-la. Eu tenho preconceito contra criminosos, contra aqueles que foram parar na Papuda e que Dilma, sua candidata, recusa-se a criticar. Contra quem montou o Petrolão, um esquema bilionário de desvio na maior empresa do país. Contra quem quer destruir nossa liberdade e nossa democracia. Admito meu “preconceito”.

Enfim, vou continuar com meu trabalho, cobrando coerência entre discurso e prática. Os incomodados que se mudem, pois enquanto isso aqui não for uma Venezuela ou Argentina, apesar da ajuda de Kátia Abreu a esse projeto, eu tenho liberdade para tanto. E não tente me intimidar com ameaça de processo, pois mesmo com sua imunidade parlamentar, quem pode ser processada por calúnia e difamação, ao me acusar de terrorista e fascista, é a senhora!

PS: Se tiver que adivinhar, diria que a coluna da senadora amanhã será boa, alinhada aos meus valores e princípios. Quem escreve deve ser o Dr. Jackyll. Já quem vota na Dilma e cospe impropérios pelo Twitter deve ser o Mr. Hyde…

Rodrigo Constantino

PSDB faz bem em pedir auditoria das urnas; é crescente a desconfiança de milhões de eleitores; descrença também reflete inconformismo com a reeleição de Dilma

Urna eletrônica: ela está sob suspeita; descrença se generaliza

Urna eletrônica: ela está sob suspeita; descrença se generaliza

O PSDB decidiu pedir uma auditoria nas urnas eletrônicas. Já há alguns dias estou para tratar do assunto aqui. Eis a melhor hora. Faz sentido cobrar a verificação? Faz, sim., e vou dizer por quê. Como nunca antes na história “destepaiz”, para citar o Babalorixá de Banânina, multiplicaram-se as denúncias e as suspeitas de ocorrências estranhas envolvendo as urnas eletrônicas. Digo com clareza o que penso: pessoalmente, não acredito na possibilidade de fraude. Pessoas tecnicamente competentes, que conhecem a área, me dizem que seria muito difícil isso acontecer — há quem sustente ser impossível. Sem entrar em minudências, digo que me deixei convencer. Mas também não posso ignorar algumas coisas.

Minutos depois de desligadas as urnas, recebi esta mensagem em meu celular. Apago o nome do emissor porque não lhe pedi autorização para divulgar a mensagem. Sugiro que ele procure a Corregedoria do TSE para relatar o episódio.

Recebi a seguinte mensagem em meu celular:

denúncia lacre

Transcrevo:
“Sou presidente de mesa numa seção do Mackenzie — ele se refere a uma escola do bairro de Higienópolis, em São Paulo. Acabo de ser orientado a não lacrar o disquete/mídia da urna. Na verdade, não tenho nem envelope para lacrar, como é de costume. Foi dito que é em função da urgência para a apuração; que vão recolher rapidamente os disquetes, antes mesmo de entregar os outros materiais aos fiscais, para que seja levada rapidamente para apuração. Pra que a pressa se o Acre leva ainda mais não sei quantas horas?”

Se o coordenador jurídico do PSDB, deputado Carlos Sampaio, quiser mais dados, é só me procurar que eu os forneço. A não lacração, da forma como relata o presidente de mesa, poderia abrir caminho para alguma irregularidade? Não sei. É preciso verificar.

A fraude pode ser uma dessas lendas que surgem de vez em quando? É claro que sim! Feito a Loura do Banheiro que assediava crianças nas escolas. Reitero que tendo a não acreditar na fraude, mas é tal a quantidade de denúncias que alguma resposta precisa ser dada. Quando menos porque o eleitorado tem de acreditar na lisura do processo. Ou tenderá a se abster cada vez mais.

Uma coisa é fato: a descrença nas urnas não tem corte de escolaridade, de renda, de ideologia, de nada. É generalizada. Até compreendo os motivos. Nestes dias em que os anseios participativos estão aflorados, em que se fala até em democracia direta, o controle que a cidadania exerce sobre o sistema, convenham, é praticamente igual a zero. O tal sistema é obra para especialistas. Considerando que se trata de urna e eleição, não de uma usina nuclear, é justo que o eleitor queira saber mais a respeito.

Inconformismo
É claro que as múltiplas denúncias e a desconfiança inédita nas urnas refletem também o descontentamento de muitos milhões com o resultado da eleição, que deu a vitória a Dilma por pouco mais de três pontos. Há coisas interessantes em curso: já topei com pessoas, nesses quatro dias, que votaram na petista e se dizem agora arrependidas, mesmo com a onipresença da represidenta na televisão, em múltiplas entrevistas.

Que se faça a auditoria. Reitero que não tenho elementos para desconfiar das urnas, mas milhões de eleitores julgam ter, e eles merecem, sim, uma resposta.

Texto publicado originalmente às 4h20

Por Reinaldo Azevedo

 

PSDB cumpre apenas a sua obrigação; quem quer disputar terceiro turno em SP é o PT

O PT está boquejando por aí que, ao pedir auditoria nas urnas, o PSDB está querendo disputar o terceiro turno das eleições. Falso! Os tucanos não disseram que não reconhecem o resultado. Pedem é que se apurem as denúncias. Só isso.

Quem não reconhece o resultado das urnas em São Paulo são os companheiros. Ou a represidenta não disse, em entrevista, que a imprensa paulista escondeu o problema da água e só por isso o PSDB teria vencido no Estado? A afirmação é só uma bobagem, nascida de uma mentira.

No próximo post, mais uma denúncia grave, que chega com nome e CPF.

Por Reinaldo Azevedo

Mais uma denúncia grave sobre as urnas, que chega com RG, CPF, nome e sobrenome

Recebo da leitora T. M. a seguinte mensagem. Leiam. Volto em seguida.

Prezado Reinaldo Azevedo,
eu voto no colégio Rio Branco, em frente e o Sion. Quando chegou minha vez de votar, no primeiro turno, a mesária me pergunta se eu já havia votado. Eu disse que não. Ela chamou o fiscal e me conduziu para a coordenadora-geral porque lá constava que eu já havia votado.
Sumiram com meu título eleitoral. No final, exigi 2a. via do meu título e certidão de quitação eleitoral, já que sou aposentada (ELA CITA O ÓRGÃO PÚBLICO PARA O QUAL TRABALHOU) e preciso da quitação, senão não recebo meus proventos.
Esperei por duas horas lá, até chegar minha segunda via e a quitação. E disse que eu só sairia de lá após ter votado.
Não sei como fizeram, mas o fiscal me conduziu à sala de votação e consegui votar. Tenho o comprovante da certidão de quitação eleitoral, datada do dia 05 outubro.
Esta é a prova.
É preciso sim, que o PSDB exija apuração das urnas.
Atenciosamente,
T.M

Voltei
T. M. manda nome, sobrenome, RG, CPF e órgão público do qual é aposentada. Eis aí um caso. Se ela estiver falando a verdade — e por que mentiria? —, a questão é grave. Se constava que ela já tinha votado, então o comando eletrônico do seu voto — o número que libera a urna — já tinha sido acionado. Como é que ele foi acionado uma segunda vez? O mesmo número, então, teria de permitir dois votos.

É evidente que isso tem de ser apurado. E com rigor. Os dados estão à disposição do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que cuida do assunto no PSDB.

Por Reinaldo Azevedo

Como as leis contra a corrupção nos EUA obrigaram a direção da Petrobras a se mexer; já não basta Graça Foster fechar a cara em depoimentos previamente ensaiados; agora, a coisa ficou feia!

A Petrobras está numa encalacrada, e a questão, agora, deixou de ser local. Não dá mais para fingir que se investigam isso e aquilo. Já não basta mais à presidente da empresa, Graça Foster, ir ao Congresso e responder a perguntas a que teve acesso previamente, transformando o que deveria ser esclarecimento em pantomima. A seriedade da coisa subiu de patamar. O busílis é o seguinte: a PricewaterhouseCoopers, auditoria responsável por avaliar os balanços da estatal, resolveu pressionar a direção da empresa a aprofundar as investigações das roubalheiras na estatal, segundo critérios das leis anticorrupção dos EUA. Ou a gigante brasileira fazia isso, ou a Price deixaria de analisar seus balanços.

E que consequências isso teria? A auditoria informaria ao conselho da Petrobras a sua decisão; se, ainda assim, nada fosse feito, a Price informaria à SEC (órgão que regula o mercado de capitais nos EUA) o rompimento do contrato. Seria um golpe gigantesco na credibilidade da estatal no mercado internacional, isso num momento delicado, em que a empresa depende vitalmente de financiamento externo. Sem a análise do balanço, a Petrobras estaria fora do mercado.

Parece piada, mas é assim: foi preciso que as leis americanas fossem evocadas para que a Petrobras se coçasse e decidisse investigar a sem-vergonhice. Dois escritórios especializados em leis americanas anticorrupção foram contratados: nos EUA, o escolhido foi o Gibson, Dunn & Crutcher. No Brasil, o Trench, Rossi e Watanabe, de São Paulo. Eles vão colaborar com a comissão interna criada pela Petrobras para investigar o caso.

Na mira da comissão interna da Petrobras, estão diretores nomeados por Lula. A comissão pediu ainda autorização à Justiça para ouvir Paulo Roberto Costa sobre a construção da refinaria de Abreu e Lima, informa a Folha:
“A empresa pediu que Costa esclarecesse, entre outras coisas, o teor de reuniões com o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e o ex-diretor de Serviços Renato Duque realizadas entre o fim de 2005 e o começo de 2006 sobre Abreu e Lima. A Petrobras quer saber por que, às vésperas da implantação de Abreu e Lima, Costa foi com Gabrielli e Renato Duque a reunião em Brasília. A estatal pede explicações sobre as revisões do valor da obra, que subiu de US$ 4 bilhões para US$ 13,4 bilhões entre 2006 e 2009”.

Essa informação é pública há muito tempo. Só agora o comando da Petrobras resolveu cobrar explicações. E só o fez porque a Price exigiu.

Que coisa, né? Quem sabe o fato de o mercado ser globalizado — e de as leis americanas serem bastante severas com corruptos — possa fazer bem ao Brasil. A Price obriga agora a Petrobras a fazer o que já deveria ter sido feito há muitos anos, não é, governanta? Que ironia! Quem sabe as leis contra a corrupção dos EUA ainda acabem fazendo bem aos brasileiros.

O ministro venezuelano e a babá armada

Publiquei nesta manhã um post sobre a presença no Brasil de Elias Jaua, o ministro venezuelano das Comunas e Movimentos Sociais. É o Gilberto Carvalho deles, só que na fase em que já está de arma na mão. O homem está no Brasil para celebrar acordos com o MST.

Eu falei em armas? Pois é. Esqueci de lembrar de um troço importante no post. A babá da família do ministro foi presa no Aeroporto de Guarulhos, na sexta-feira, portando uma arma que seria do ministro. Vejam que mimo: um ministro de Estado de um país amigo entra armado no Brasil. A mulher foi solta ontem à noite. Leiam o que informa a EFE. Volto em seguida.

*

A babá da família do ministro venezuelano das Comunas e Movimentos Sociais, Elías Jaua, foi liberada em São Paulo, após ser detida na sexta-feira com uma arma no aeroporto internacional de Guarulhos. Yaneth do Carmen Anza, de 39 anos, estava em prisão preventiva acusada de tráfico internacional de armas. Ela deixou a prisão na noite da quarta-feira, depois de a justiça aceitar o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa, embora o processo continue em andamento.

O habeas corpus foi concedido pelo juiz de apelações José Lunardelli e a decisão deverá ser publicada na sexta-feira, embora já tenha sido cumprida, informou à Agência Efe na sala terceira do Tribunal Regional Federal de São Paulo. No recurso, a defesa de Anza alegou que a arma pertencia a Jaua, que estava no Brasil acompanhando sua mulher em um tratamento médico, e afirmou que o ministro pediu a babá que levasse uma mala de sua propriedade que continha documentos e uma arma, registrada em seu nome.

Segundo a defesa, embora Anza tenha sido alertada por Jaua que devia retirar a arma da mala antes de viajar, “o babá não a encontrou e, devido à pressa para os preparativos da viagem, se esqueceu de avisá-lo que não encontrou a arma e que viajaria com a mala como a encontrou”, assinalou o tribunal. Na segunda-feira, a juíza Gabriella Naves Barbosa, da quinta Sala da Justiça Federal da cidade de Guarulhos, ordenou a prisão preventiva da babá. Lunardelli argumentou que não há razões para manter a babá na prisão por possuir residência fixa, ocupação lícita e não ter antecedentes criminais.

Anza aguardará o julgamento em liberdade provisória e está obrigada a comparecer a todas as audiências do caso. Anza viajou de Caracas para São Paulo em um avião da estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) e, quando as bagagens passaram pelo controle, os funcionários do aeroporto identificaram a arma e acionaram as autoridades. Jaua ocupou diversos postos no governo venezuelano nos últimos anos e, até ser designado ministro de Comunas e Movimentos Sociais, foi ministro das Relações Exteriores, em substituição ao atual presidente, Nicolás Maduro.

Retomo
A versão oficial é que Jaua está no Brasil porque a sua mulher faz tratamento médico. Se faz também, não sei. Ele está no Brasil, conforme assume o próprio governo da Venezuela, para fazer acordos com o MST.

Rombo fiscal é o pior da história no mês: o socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros

Perdulario

O governo central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) registrou déficit primário de 20,399 bilhões de reais em setembro, pior resultado da série histórica, informou o Tesouro Nacional nesta sexta-feira. Este é o quinto resultado mensal negativo consecutivo registrado nas contas do Governo Central em 2014. Apenas em três meses (janeiro, março e abril), as contas do governo ficaram no azul em 2014. O resultado de setembro ficou também abaixo da mediana dos analistas de mercado, que esperavam um valor negativo de 12,9 bilhões de reais.

Os dados confirmam a rápida deterioração das contas públicas em 2014. O resultado reflete, sobretudo, o aumento dos gastos do governo nas eleições, as concessões com desonerações de tributos e baixo crescimento que derrubou a arrecadação. 

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, informou que o governo encaminhará ao Congresso Nacional uma proposta de alteração da meta de superávit primário para 2014 e da Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO). Segundo ele, o resultado de setembro foi crucial para essa decisão. Ele disse que a nova meta será anunciada até o próximo decreto de programação orçamentária que será divulgado em 22 de novembro. “O resultado de setembro colocou esse necessidade”, disse. Ele disse que não está sendo discutida a alteração da meta de superávit primário em 2015, conforme revelou o Broadcast. O governo quer fazer o ajuste de 2015 por meio de aumento de receitas e queda de despesas.

Agora sabemos o motivo do atraso na divulgação dos dados em época eleitoral… A verdade é que o governo Dilma vem dilapidando os cofres públicos, o último pilar do legado da era FHC, do tripé macroeconômico: a responsabilidade fiscal.

Existem apenas três formas de o governo se financiar: emitir dívidas, arrecadar impostos e apelar para o imposto inflacionário, disfarçado. O governo Dilma já elevou nosso endividamento para patamares extremamente preocupantes, acima de 60% do PIB; aumentou a carga tributária, que já chega a quase 40% do PIB, patamar escandinavo apesar dos serviços africanos; e já deixou a inflação sair de controle e rodar em torno de 7% ao ano, patamar extremamente elevado.

Por trás de tudo isso está um governo perdulário, gastador, e incompetente na gestão da economia, fruto de um ranço ideológico. O desenvolvimentismo nacionalista é um fracasso retumbante, uma vez mais. O governo acredita que basta estimular demanda com crédito e gasto público, que a oferta vem atrás. Ledo engano.

O resultado está aí: todas as contas públicas no vermelho. Alguém acha que o governo vai realmente pisar no freio em seus gastos agora? Duvido! Vai é tentar aumentar arrecadação, ainda mais, e continuar apelando para o imposto inflacionário. É um modelo terrível, como aquele adotado na Argentina. E vale notar que esses dados contam com receitas extraordinárias, que não se repetem. O quadro real é ainda pior:

“O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros”, disse Thatcher. O governo do PT vem gastando o que não tem, como se não houvesse amanhã. Há. E sob o próprio governo petista, que terá de arcar com a fatura. Como governos não quebram, eles quebram as nações. Somos nós, indivíduos, que seremos obrigados a pagar pela irresponsabilidade dessa gestão.

E pensar que ainda tem gente, até economista do BNDES, falando em “inflação do bem” e pedindo mais gastos públicos, mais crédito estatal, mais do veneno que vem nos matando. Afinal, austeridade virou sinônimo de palavrão na cabeça dos incautos. E os incautos estão no poder!

Rodrigo Constantino

 

Mas Dilma não ia enfrentar o capital financeiro e reduzir os juros?

Tenho uma dúvida e gostaria da ajuda dos eleitores do PT: Dilma não era aquela que iria enfrentar o capital financeiro e reduzir a taxa de juros? Não foi ela que apareceu na televisão anunciando queda dos juros pela coragem de enfrentar os banqueiros “malvados”? Ou estou enganado?

Pois bem: o eleitor de Dilma deve estar muito satisfeito com sua escolha. Três dias depois do resultado com sua vitória, seu governo já anunciou um aumento na taxa básica de juros, para 11,25% ao ano. Mas não é só isso. Vejam como anda o juro do cheque especial:

O juro médio cobrado no cheque especial ao consumidor chegou a 183,2% ao ano em setembro. Isso significa uma elevação de 10 pontos porcentuais ante agosto, quando ficou em 172,8%.

O cheque especial é a modalidade mais cara disponível para empréstimo. Muitas vezes o consumidor não percebe que está pagando os altos juros, pois o banco aciona o limite pré-aprovado de cheque especial automaticamente quando a conta fica no vermelho. 

O juro médio do cheque especial em setembro foi o maior já registrado desde abril de 1999, quando marcava 193,6% ao ano. Naquela época, a taxa Selic, que é usada como referência para a definição dos demais juros ofertados no mercado, estava em 34% ao ano. Maior que a Selic do mês passado, de 11% ao ano.

Fonte: Estadão

Fonte: Estadão

Será que o eleitor de Dilma que chega ao final do mês no vermelho, até porque o preço de tudo sobe sem parar, está satisfeito com sua gestão? A maior taxa de cheque especial desde 1999! Atentai, meus caros: lá se vão 15 anos, e Dilma conseguiu fazer a taxa de juros que pagamos quando estouramos o limite no banco alcançar o maior patamar desde então. Como diria Dilma: estou estarrecido!

Pergunto, portanto, com todo o carinho, respeito e tolerância do mundo: como não chamar o típico eleitor de Dilma, aquele que acreditou nas mentiras de sua campanha, de um completo alienado? Essa é a melhor hipótese, pois a alternativa é acusá-lo de desonestidade…

Rodrigo Constantino

 

Mas o crime não é derivado da desigualdade social?

Fonte: GLOBO

Certas notícias passam “batidas” pelo leitor, pois é tanta coisa que parece impossível refletir sobre tudo. Mas uma que está no GLOBO de hoje merece nossa maior atenção: bandidos de classe média foram presos pelo tráfico de drogas na zona sul. Vejam:

Dez moradores de classe média da Zona Sul foram presos nesta quinta-feira, acusados de roubo e furto de automóveis, receptação, estupro e tentativa de homicídio, além de tráfico de drogas. Eles são suspeitos ainda de participarem do grupo Black Blocs que, em manifestações iniciadas em junho do ano passado, esteve à frente de ações de depredação em Laranjeiras, Catete, Flamengo e Botafogo. De acordo com a polícia, os presos também faziam justiça pelas próprias mãos na região e, em janeiro deste ano, espancaram um adolescente de 15 anos, acusando-o de roubo e prendendo-o, nu, a um poste no Flamengo com uma tranca de bicicleta.

As dez pessoas foram presas em flagrante porque com elas foram apreendidos uma pistola, munição e cerca de quatro quilos de drogas como cocaína, maconha e LSD. Também foram recolhidos bastões, máscaras (que seriam usadas para esconder o rosto nas manifestações), placas de ruas (arrancadas durante protestos), material para embalar drogas e uma balança de precisão. O que mais chamou a atenção dos policiais foi a quantidade de dinheiro. Entre dólares e reais, foram apreendidos mais de R$ 50 mil, ainda sem comprovação de origem.

A turma sequestrava, roubava, traficava e matava. Mas vejam que curioso: não eram das favelas, dos morros, não vinham da miséria. Para pessoas normais, isso é mais comum do que parece. Afinal, pessoas normais sabem que existe o livre-arbítrio, que o mal não depende da conta bancária, que a pobreza pode até influenciar, mas jamais determinar o comportamento de alguém, muito menos levar um jovem a apontar uma arma para cabeças inocentes e atirar.

Já os “progressistas” acham que a violência e a criminalidade são resultado das “desigualdades sociais”, que os bandidos e marginais são “vítimas da sociedade”, pois não tiveram oportunidades na vida. O galalau de 17 anos que rouba e mata e depois fica livre é digno de pena, não de revolta. São os “coitadinhos” que a esquerda adora defender, jogando a culpa para o “sistema” e chegando até mesmo, em casos mais esdrúxulos, a culpar a vítima: quem mandou ter dinheiro, andar de carro bom ou ostentar um relógio de luxo no pulso?

Tudo isso é muito absurdo, mas é o discurso oficial progressista que vem destruindo nosso país. Afinal, o ato criminoso é sempre uma escolha voluntária, que deve ser coibida com punição severa. Quem merece proteção é o cidadão ordeiro, trabalhador, honesto. Mas os “progressistas” gostam dos vagabundos, dos marginais, dos criminosos, vistos como pobrezinhos que não tiveram chances na vida.

Jovens de classe média não tiveram chances? No entanto, isso não os impediu de ir para os Black Blocs depredar patrimônio público e privado, ou de roubar, vender drogas, matar. Não se combate isso com discurso de igualdade social, e sim reduzindo a impunidade e, com isso, tornando o crime mais custoso. Em casos extremos, onde não há salvação, a punição deve ser severa e afastar o delinquente do convício social por muito tempo, talvez para sempre.

Mas isso virou discurso de “direita preconceituosa”, de “reacionários radicais”. A “opinião pública” foi invadida por esquerdistas que não enxergam um palmo diante dos olhos. Mas o povo brasileiro não caiu nessa ainda. Sabe muito bem que o marmanjo que rouba e mata fez uma escolha, e que deve ser duramente punido por isso, para garantirmos o direito e a integridade dos honestos.

Afinal, honestidade não tem ligação direta com patrimônio. Fosse o contrário, Brasília não estaria repleta de bandidos, todos podres de rico…

PS: Quando a filósofa petista Marilena Chaui diz que odeia a classe média, não é essa acima que ela tem em mente, mas a que é vítima desses bandidos e que ainda paga o salário da professora da USP. Já a classe média ordeira odeia os filósofos petistas e os criminosos, independentemente da classe social.

Rodrigo Constantino

Tags:
Fonte:
Blogs de veja.com.br

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

6 comentários

  • Lula na próxima Goiânia - GO

    Quero dar uma ideia para os honestos de plantão, mas só para os honestos. Por que vocês não fazem um estudo para saber quanto que o PSDB e o PT desviaram comprovadamente do nosso país. Eu acho que este estudo vai surpreender muita gente.

    0
  • Lula na próxima Goiânia - GO

    Olha seu Rodrigo Constantino, não chame petista de bandido. O sr está está chamando muita gente honesta de bandido. Se dentro do PT tem muito bandido, dentro de outros partidos também tem. Eu votei na Dilma e fiquei muito ofendido quando você publicou "Não consegue mais esconder que se transformou numa petista mesmo" e deu a entender que petista é bandido. A reação da Kátia é a reação de qualquer pessoa que é ofendida diversas vezes.

    0
  • WANDERLEI FORNASIER MORGAN Linhares - ES

    A senadora Kátia Abreu se rebaixou demais. Ridículo o seu alinhamento com esse PTismo nojento e asqueroso. Não consigo ler mais uma única palavra que ela escreve, quanto mais ouvir o que diz. Partindo da senadora, nada mais faz sentido.

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Quem diria, a nobre senadora, representante dos produtores rurais do Brasil, presidente da CNA em uma demonstração de sua total e absoluta vulgaridade. Além de vulgar, incapaz e incompetente para responder aos questionamentos a que eventualmente possa ser submetida. Não falta muito e ela também irá pedir a cabeça de jornalistas e o controle da midia.

    0
  • gerd hans schurt Cidade Gaúcha - PR

    Katia, Katia o que está acontecendo com voce? A sua reeleição para presidente da CNA não foi de agrado para a maioria dos produtores rurais e agora mais essa de ter apoiada a reeleição da presidenta, com certeza voce é uma estranha ninho.

    0
  • Telmo Heinen Formosa - GO

    Fiquei desapontado com a reação da Senadora Kátia Abreu, também Presidente [reeleita] da CNA, primeiro por ter saido do DEM, ido para o PSD numa ponte para o PMDB. Apesar de ter o apoio de 22 Federações, digo, "22 Presidentes" de Federações, já não se pode inferir que haja a mesma proporção entre os associados dos Sindicatos que compõem as Federações Estaduais. Mas decepcionado sobretudo por sua reação no Twitter contra o Colunista Liberal Rodrigo Constantino. Senadora, os dizeres postados lá são característicos de quem por falta de argumentos para discutir a idéia ou as idéias em questão, apelas para ataques pessoais ou outro debatedor. Por ultimo quero esclarecer que sim, há uma Revolução Cultural em curso no país, conduzida pela GovernANTA para cumprir o desiderato do Foro de São Paulo. É importante manter-se informada a respeito por "eles" adoram inocentes úteis que ficam papagaiando palavras colocadas subjetivamente na boca destes inocentes útieis, os quais serão descartados amanhã ou depois sem cerimonia...

    0