Cálculos pré-eleitorais: Presidente e deputados! O RJ como exemplo!

Publicado em 19/01/2010 09:15 453 exibições
1. Sempre que o candidato majoritário -a presidente, governador, prefeito de um partido- se destaca no primeiro turno de uma eleição, seu número engrossa os votos de legenda dos candidatos de seu partido ou de uma coligação desde que a chapa parlamentar junte os partidos coligados. Isso ocorre porque uma parte dos eleitores marca primeiro o número do majoritário quando está votando para deputado ou vereador. E termina votando na legenda.
                  
2. Mas quando se faz uma coligação para presidente, governador, ou prefeito e não se reproduz essa coligação na proporcional, o número do partido do candidato majoritário beneficia a legenda de sua chapa parlamentar, mas não a dos partidos coligados. Um exemplo. Em 2008, o PSDB, o PPS e o PV se coligaram no Rio para prefeito, mas não para vereador.
                  
3. O PV, que tinha o candidato a prefeito, que se destacou e foi para o segundo turno, teve 92.135 votos de legenda para vereador. O PSDB teve 15.877 votos de legenda. E o PPS 4.822 votos de legenda. Com isso, o PV elegeu um vereador com 5.201 votos e os últimos colocados do PSDB e do PPS tiveram 20.936 e 21.140 votos respectivamente.
                  
4. Outro exemplo é quando a coligação majoritária se repete em parte ou no todo na proporcional e na proporcional há um puxador de legenda. Exemplo foi no Estado do Rio em 2006 com a coligação DEM-PV-PPS, com PPS dando o governador e onde PV e PPS também se coligaram para deputado federal. O resultado foi que o PV elegeu um só deputado federal e o PPS elegeu 3 deputados federais. Sendo que o deputado federal do PV teve mais que duas vezes as votações somadas dos deputados do PPS.
                  
5. Em nível presidencial uma questão debatida é em relação a "palanque forte" na eleição de governador, para o PV num certo Estado.  A hipótese é que o PSB não lançará seu candidato. Nesse caso há que se analisar duas situações. Uma, o caso do candidato do PSDB poder vencer no primeiro turno. E a outra, não. Na primeira hipótese, suponha que o candidato do PSDB tenha 40% dos votos, a do PT 30% e a do PV 10%.
                  
6. Se a estratégia eleitoral do PSDB é tentar vencer no primeiro turno, em qualquer situação de "palanque" regional para o PV, essa hipótese se afasta. Se -em função do "palanque", a candidata do PV cresce no Rio cinco pontos, mesmo que 70% destes ela tire da do PT, os 30% que tirar do PSDB afastam a hipótese de vitória no primeiro turno. Numa segunda situação, há um empate entre PSDB e PT e, portanto, o segundo turno está garantido. Nesse caso, o crescimento do PV, retirando hipoteticamente 70% do PT e 30% do PSDB, permitiria que o candidato do PSDB passasse para o segundo turno na frente. Mas se tiras mais do PSDB, a situação se inverte e a candidato do PT passa na frente.
                  
7. Como todos sabem fazer contas, são esses raciocínios, no caso das eleições para deputado federal e para presidente, que orientarão as decisões relativas nas próximas semanas.

                                                    * * *

O TERREMOTO DE LISBOA!
                    
1. Em 1 de novembro de 1755, Lisboa foi destruída por um terremoto grau 9 na escala Richter, seguido de um tsunami com ondas de 20 metros de altura. Dos 275 mil habitantes de Lisboa, pelo menos 90 mil morreram.  85% das construções de Lisboa foram destruídas. Não faltaram os saqueadores.  
                    
2. Sebastião Melo, depois Marquês de Pombal, primeiro-ministro do Rei de Portugal D. José I, assumiu o comando total da situação com a frase que ficou famosa: "Enterram-se os mortos e cuidam-se os vivos". Abrigou a população sobrevivente em tendas, assistiu-a e convocou os que podiam para os trabalhos.
                    
3. Realizou imediatamente um trabalho de levantamento detalhado da situação em cada bairro, incluindo as observações sobre o fenômeno...  Reprimiu com pena de morte os saqueadores. Priorizou a saúde pública e com isso não houve nenhum surto de doenças em função do terremoto.
                  
4. Convocou o arquiteto Eugenio dos Santos e os engenheiros Manuel da Maia e Carlos Manuel, para fazer o plano e executar a reconstrução de Lisboa. Lisboa era uma cidade moura, cheia de vielas, como hoje se pode ver em Alfama. Foi reconstruída a partir da Praça do Comércio com eixos ortogonais, num desenho de quadras no estilo espanhol.
                  
5. Estabeleceu a polêmica com a Igreja, culminando com a pena de morte para o Padre jesuíta Gabriel Malagrida, que em 1756 publicou o livro "Juízo da verdadeira causa do terremoto", onde pregava ter sido o terremoto um castigo divino e que não se devia proteger os desabrigados, pois o infortúnio desses se consolava com procissões e orações.
                  
6. A polêmica levou o filósofo Imanuel Kant ("O Terremoto de Lisboa de 1755") a se debruçar no assunto, levantando terremotos anteriores de forma a provar que se tratava de um fenômeno geológico, explicado cientificamente e não através de crenças. Os levantamentos detalhados feitos por Pombal e o questionamento de Kant abriram o estudo da sismologia.
                  
7. Veja desenho da situação de Lisboa após o terremoto. Veja Lisboa antes do terremoto.

                                                    * * *

SE AÉCIO NÃO ACEITAR, VICE DE SERRA SERÁ DO DEM!
            
(Folha SP, 19) Segundo Rodrigo Maia, presidente do DEM, as conversas para definir o candidato a vice na chapa liderada por Serra começarão depois do Carnaval. "A partir de março vou sondar o partido e, a partir de abril, vamos efetivar essa escolha."

                                                    * * *

GABEIRA, COERENTEMENTE, AFIRMA QUE NO PRIMEIRO TURNO ESTARÁ SÓ COM MARINA!
           
(Folha SP, 19) Gabeira disse, porém, que não apoiará o pré-candidato tucano à Presidência, José Serra, ao menos no primeiro turno. Afirmou que apoia "unicamente" sua colega de partido, a senadora Marina Silva (AC). Ele e o PV, porém, dizem que não abrem mão de apoiar Marina à Presidência.

                                                    * * *

SEGURANÇA PÚBLICA: COISAS DO "ARCO DA VELHA"!
                  
1. Dia 15 de janeiro de 2010, o governador do ERJ publicou o decreto 42.243, alterando o decreto (41.931 de 25/06/2009) anterior que trata do "sistema de definição e gerenciamento de metas para indicadores de criminalidade no Estado".  O artigo quarto em seu parágrafo primeiro estabelece o ciclo de seis meses para definir metas gerais e específicas. O artigo sexto, inciso terceiro, trata da premiação por produtividade aos servidores (PMs e PCs) das áreas de segurança que atingirem as metas semestrais. E o parágrafo quinto diz que as premiações serão pagas em parcela única a cada seis meses e (parágrafo sétimo) será realizada ao final de cada ciclo uma solenidade com a premiação dos servidores que atingiram as metas.
                  
2. Vamos as contas. Um decreto baixado em 15 de janeiro (corrigindo o de seis meses atrás) terá que ser regulamentado na secretaria de segurança. Digamos até 31 de janeiro. Com isso, os pagamentos e solenidades, respectivos, ocorrerão em agosto, pertinho das eleições. A política de segurança pública fracassou, mas a política de propaganda e publicidade com vistas às eleições continua firme.
                  
3. E quem empurrar o crime para a AISP vizinha se dá bem e a do lado se dá mal.
                  
4. E má notícia para os reformados ou a reformar: nada disso se leva para a aposentadoria. E está preparado para isso de forma a não constituir habitualidade.

                                                    * * *

CHILE: "DEMOCRATAS" CUMPRIMENTA PRESIDENTE DO SENADO!

                
1. No Chile a aliança partidária que elegeu Piñera é constituída por dois partidos: RN (Renovação Nacional), do próprio Piñera e UDI (União Democrática Indepedente), que é majoritária na Câmara e no Senado. No senado preside o Senador Jovino Novoa, que é também presidente da UPLA (União de Partidos Latino-Americanos), setor regional da UDI (Internacional Democrata). O DEM é parte integrante da UPLA.
                
2. Na noite de domingo, o DEM cumprimentou o senador Jovino Novoa pela vitória de Piñera. Em seguida o senador agradeceu. Seguem as duas mensagens.
                
3. Senador Jovino Novoa; Reciba nuestro mas emocionado abrazo por esta vitória que lleva a todos los nuestros partidos comprometidos com la liberdade, la democracia, el estado de derecho y la justicia social, la certeza que América Latina comienza a cambiar en la direcion del progresso sostenible de nuestros pueblos. Pido transmitir al Presidente Sebastián Piñera, nuestros cumprimientos y emoción. Viva Chile! Cesar Maia -Democratas de Brasil-
                
4. Estimado Cesar: Muy agradecido de tus cariñosas palabras. Confío que el triunfo obtenido nos permita fortalecer la presencia de nuestras ideas en América Latina.  Transmitiré al Presidente Piñera los parabienes de los Demócratas brasileros.  Un abrazo, Jovino Novoa

                                                    * * *

DEMOCRATAS PODEM PERDER CADEIRA DE EDWARD KENNEDY PARA REPUBLICANOS!                            
        
(El País, 19) Uma derrota esta noite em um estado historicamente democrata seria não só a perda de uma cadeira no senado, que a família Kennedy ocupa desde 1953, mas a perda da maioria de 60% no senado. Os democratas e independentes ficariam com 59 cadeiras, uma a menos do que necessitam para aprovar a reforma sanitária. O candidato republicano Scott Brown tinha ontem vantagem de 4 pontos nas pesquisas.
Tags:
Fonte:
Blog do Cesar Maia

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário