Estatal que mantém TV Brasil paga R$ 1,2 milhão a jornalista pró-governo

Publicado em 12/03/2010 06:41 531 exibições
Luís Nassif diz que “notória especialização” justifica contratação sem licitação pela estatal que mantém TV Brasil

Estatal que mantém TV Brasil paga R$ 1,2 milhão a jornalista pró-governo


Por Rubens Valente, na Folha. 


O jornalista e empresário Luís Nassif mantém um contrato anual, fechado sem licitação, de R$ 1,28 milhão com a estatal EBC (Empresa Brasil de Comunicação), vinculada ao Palácio do Planalto e responsável pela TV Brasil.

A empresa de Nassif, Dinheiro Vivo Agência de Informações, produz um debate semanal, de uma hora, e cinco filmetes semanais de três minutos.

Do R$ 1,28 milhão do contrato, o jornalista fica com R$ 660 mil anuais a título de remuneração, o que equivale a salário de R$ 55 mil. Os pagamentos começaram em agosto. O programa estreou segunda-feira.

À Folha, por e-mail, Nassif afirmou que os insumos de produção cresceram de forma “não prevista no contrato original”, por conta de “demandas adicionais da EBC”, e que a parte destinada à Dinheiro Vivo corresponde a R$ 49 mil brutos mensais (ou R$ 39 mil líquidos), e não R$ 55 mil.

Os outros R$ 558 mil do contrato são destinados ao pagamento de uma equipe de nove pessoas e à compra de equipamentos. A gravação do debate é feita no estúdio da EBC, que também custeia deslocamento e hospedagem de convidados.

Em seu blog, Nassif tem se posicionado a favor do governo em várias polêmicas, discussões e escândalos. A página também se caracteriza por críticas a jornais e jornalistas.

Após a Folha ter revelado, no mês passado, que a Eletronet, empresa interessada em atos do governo, pagou R$ 620 mil ao ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, Nassif tentou desqualificar os jornalistas e fez a defesa de Dirceu.

A Dinheiro Vivo foi contratada por inexigibilidade de licitação, prevista na lei que regula as licitações.
(…)
Sobre a dispensa da licitação, o jornalista afirmou: “Presumo que por dois motivos. Ponto um: notória especialização. Os prêmios que acumulei ao longo de minha carreira e nos últimos anos atestam essa minha especialização. Ponto dois: sou o criador do Projeto Brasil de discussão de políticas públicas casando TV e internet apresentado à EBC”.

Outros contratos
A EBC informou que mantém outros quatro contratos fechados por inexigibilidade de licitação. São relativos aos programas “Samba na Gamboa” (R$ 1,2 milhão anuais), da produtora Giros, “Papo de Mãe” (R$ 1,99 milhão), da produtora Rentalcam, apresentado pelas jornalistas Mariana Kotscho [filha de Ricardo Kotscho - nota do blog] e Roberta Manrezi, “TV Piá” (R$ 1,34 milhão), dirigido pela jornalista Diléa Frate, e “Expedições” (R$ 1,66 milhão), da jornalista Paula Saldanha. (…)
Aqui

Comento
As coisas falam por si mesmas, e não creio que seja necessário acrescentar muito mais ao que vai aí, não é?

Os índices de audiência conquistados por esses potentados da comunicação certamente justificam esses salários verdadeiramente globais que estão sendo pagos. Afinal, a intenção de Franklin Martins sempre foi concorrer com a TV Globo, não é mesmo? Ele conseguiu. Em um item ao menos.

Fechei a área de comentários. Não quero que o blog seja usado como pretexto para chicanas na Justiça. O fato de eu ser um dos alvos preferenciais do rancor deste ou daquele não me estimula a fazer o mesmo. Meus leitores não merecem.  Publico trechos da reportagem daFolha porque se trata de coisa, a esta altura, pública.

Ademais, os valores podem surpreender. Mas os fatos, em si, não surpreendem.

A TV DE FRANKLIN MARTINS E OS NÚMEROS


Como vocês leram, a Folha informa que “o jornalista e empresário Luís Nassif mantém um contrato anual, fechado sem licitação, de R$ 1,28 milhão com a estatal EBC (Empresa Brasil de Comunicação), vinculada ao Palácio do Planalto e responsável pela TV Brasil.”

Todo esse dinheiro é para levar ao ar um programa de debates por semana, de uma hora de duração, e cinco filmetes de três minutos. A título de remuneração, Nassif recebe R$ 660 mil por ano — um salário de R$ 55 mil por mês. Nos meses com quatro segundas-feiras, ele receberá R$ 13.750 por hora; nos meses com cinco, R$ 11 mil. Essa conta procede porque esse é o salário do apresentador. A grana da produção é outra. O programa estreou na semana passada, mas ele recebe desde agosto.

Nassif alega que os outros R$ 558 mil são destinados ao pagamento de uma equipe de 9 pessoas. Nove pessoas para produzir um programa por semana… Jô Soares, uma estrela de primeira grandeza da TV brasileira, cujo programa vai ao ar todos os dias, tem uma equipe de 16 pessoas. O Painel, da Globonews, também um debate semanal, conta com DUAS pessoas. Há uma outra diferença entre o programa de Nassif e esses casos que cito: milhões de telespectadores.

Como informa a matéria, Nassif não está sozinho em um contrato dessa natureza. Há mais jornalistas igualmente muito bem pagos e que são praticamente traço no Ibope.

Este post está com a área de comentários fechada.

A EVIDÊNCIA QUE CHOCA


O que mais choca nas notícias sobre a TV de Franklin Martins e Tereza Cruvinel é, na verdade, o que menos deveria nos chocar. Ou alguém tinha alguma dúvida de que a proposta degeneraria nisso que vemos — OU MELHOR: NISSO QUE NINGUÉM VÊ? Certamente é o traço mais caro da TV mundial.

Se sabíamos, por que a sensação de estupefação? Porque todos nós temos uma reserva de boa vontade. Outros ainda pensaram: “Não é possível que eles vão fazer tudo aquilo que seus críticos dizem que eles vão fazer”.

E eles, no entanto, fazem.

Lula está satisfeito com “marolinha” que derrubou o PIB de quase 6% para menos 0,2%. E o que eles disseram


Na Folha Online. 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou satisfeito com o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) registrado em 2009, segundo declarações dos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Paulo Bernardo (Planejamento) nesta quinta-feira.

Ambos se reuniram nesta manhã com o presidente e apresentaram o resultado divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que mostrou um recuo de 0,2% em 2009.

“Ele [Lula] disse que estava satisfeito com os números e que o Brasil teve um excelente desempenho em 2009, um ano de crise. Ele se preocupou mais em saber o último trimestre porque tem uma influência forte no presente”, afirmou Mantega.

Segundo Bernardo, Lula “não ficou decepcionado” com o resultado pois já esperava algo em torno disso. “Foi um ano com desempenho fraco, que teve resultado muito ruim no primeiro semestre e bastante satisfatório no segundo”, justificou.

2010
Mantega disse ainda que o presidente questionou se a expansão em 2010 é sustentável e o ministro negou que possa gerar inflação. “O crescimento é sustentável porque tem capacidade instalada no Brasil e tem capacidade para rapidamente reagir à demanda”, completou.

De acordo com o titular da Fazenda, a previsão é de crescimento acima de 5,7% em 2010. Já o ministro do Planejamento citou uma estimativa um pouco menor. “A projeção oficial é de 5,2%, mas tem muita gente que acha que pode ser mais do que isso”, completou, elevando a previsão para até 5,5%.

Sobre o resultado da agropecuária, Bernardo afirmou que “ainda temos que esperar uma possível revisão porque me parece prematuro achar que é definitivo esse número”. O setor teve redução de 5,2% em 2009. No quarto trimestre, o PIB ficou estável em relação ao trimestre anterior e, ante o último trimestre de 2008, apresentou queda de 4,6%.

Meirelles
Mantega disse ainda que uma possível saída do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que deverá deixar o governo no início de abril, não mudará a condução da política monetária.

“Na hipótese que ele venha a deixar o governo, a política monetária não muda. A política de combate à inflação permanece, é uma política de governo”, afirmou.

Comento
Vocês querem ver como os petistas são, antes de mais nada, especialistas em manipular o noticiário? Acompanhem esta evolução do noticiário, as previsões de crescimento feitas por autoridades do governo, Dilma inclusive:

Mantega em 17 de novembro de 2008 na Reuters:
“O Brasil pode conseguir um crescimento de 4% no próximo ano, mesmo com os efeitos da crise financeira que começam a atingir todo o mundo, avaliou nesta sexta-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O governo, apesar da desaceleração que pode haver nos próximos meses, vai tomar as medidas para que a economia não tenha queda forte”

Dilma na Agência Estado em 18 de dezembro de 2008
A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, reafirmou nesta quinta-feira, 18, que a meta de crescimento do País para o próximo ano é de 4%. “Não é necessariamente o que vai ocorrer; é o que buscamos fazer ocorrer”, disse durante o discurso antes de almoço realizado com empresários na capital paulista e patrocinada pela Abdib e CNI. Para que a meta seja atingida são fundamentais, segundo Dilma, a redução do custo financeiro e a retomada do crédito. “O governo fará tudo o que for possível (para crescer 4%)”.

Lula na Folha Online em 22 de dezembro de 2008
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou a hipótese de o país entrar em recessão e projetou crescimento econômico de 4% em 2009. Segundo ele, o governo não vai paralisar nenhum projeto em função da crise internacional. O presidente pediu que o empresários façam o mesmo, de olho no cenário pós-crise.

Meireles na Folha Online em 22 de dezembro de 2008
O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira que a projeção de crescimento para a economia brasileira em 2009, de 3,2%, é baseada em “condições presentes” e que é preciso aguardar para ver o efeito que terão as medidas adotadas pelo governo contra a crise.

Mantega no Estadão em 20 de maio de 2009
o governo já vinha antecipando que trabalhava com uma projeção de crescimento de 0,7%, mas na última hora o ministro da Fazenda, Guido Mantega, determinou uma mudança no relatório de avaliação de receitas e despesas que está sendo enviado ao Congresso Nacional. Ele pediu a troca da estimativa do crescimento econômico de 0,7% por 1,0% do PIB. Segundo assessores do ministro, ele não havia sido consultado previamente pela sua equipe sobre o parâmetro que constaria no documento oficial.

Resultado da economia em 2009
Retração de 0,2%. Como se vê, é uma gente viciada em verdades, no plural, sendo que uma sempre substitui a anterior. Não sei se fui muito sutil.

Não acho que o governo deveria ter dito: “Ih, moçada,  economia vai encolher em 2009″. Mas a mentira deliberada, já que idiotas eles não são, não é coisa bonita.  Como vocês vêem, a minha memória é boa; a do governo é ruim.


Tags:
Fonte:
Blog Reinaldo Azevedo (VEJA)

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário