Política. Ponto! (e mais: na Internet, a Dilma que é Dirceu)...

Publicado em 23/09/2010 16:51
1227 exibições

Política. Ponto!

Há coisas que ainda não aconteceram, mas das quais já podemos ouvir ecos. Um pedaço do PSDB, que não está subordinada ao marqueteiro Luiz Gonzales, está usando a Internet para veicular alguns filmetes que buscam desconstruir a imagem do PT. Nada que Aloizio Mercadante (PT), que disputa o governo de São Paulo, por exemplo, não esteja tentando fazer com o tucano Geraldo Alckmin no horário eleitoral e de modo mais agressivo. Mas isso fica para o fim do texto.

As mensagens não são veiculadas no programa de José Serra; consta que não agradam a alguns setores do tucanato especialmente àqueles que acham muito progressista agradar a petistas Ah, sim, os ecos: já anteleio os textos muito pudorosos de alguns analistas isentos a afirmar: Ai, que agressividade! Ou então: Isso é muito conservador!. Outro ainda: É baixaria! Estão tentando satanizar o PT. O amante do clichê e da crítica fácil virá com a besteira de sempre: É de direita!

Um dos filmes acusa o PT de tentar censurar a imprensa; outro mostra uma imagem de Dilma Rousseff que, aos poucos, vai assumindo as feições de José Dirceu; um terceiro exibe a palavra democracia sendo amassada por uma bola de ferro e sustenta que o PT financia movimentos radicais e apóia ditadores; um quarto mostra uma senhora procurando emprego a atriz lembra Dilma , mas sem currículo para tanto; seu ativo é um só: Sou amiga do presidente; outro traz um senhor, cujo corpo lembra o de Lula, segurando uns rottweilers raivosos, que a petista não conseguiria conter se eleita; no último, uma maquete de Brasília é tingida de vermelho, e o texto diz que o PT quebra sigilos para perseguir opositores. Vejam vocês mesmos. Volto depois:

Trata-se de publicidade como é publicidade, diga-se, a campanha de qualquer candidato, a de Serra inclusive. Como tal, há generalizações e simplificações, apela-se a simbologias, mas é evidente que são filmes produzidos para um partido de oposição!  Ufa!!! E muitas pessoas, de saída, reagirão a isso, como se pecado fosse. Em qualquer democracia do mundo, esse tipo de confronto é comum, corriqueiro até. A Internet está aí: acham-se campanhas de partidos do mundo inteiro.

Enfim, política
Goste-se ou não da linguagem, goste-se ou não da abordagem, há mais questões políticas concentradas nesses filminhos do que em toda a campanha eleitoral dos três principais candidatos. E o que faltou nessa campanha, até aqui, foi política. O embate administrativista foi positivo para uma única pessoa:  Dilma! Especialmente porque inexiste no mundo máquina oficial com o dinheiro de que dispõe o governo brasileiro para tornar influentes as mentiras sobre si mesmo e sobre seus adversários. Nesse terreno, a oposição não tem como vencer o embate.

Ora, por que Lula diz que a imprensa é o verdadeiro partido de oposição no Brasil? Porque ela, ao noticiar FATOS, acaba trazendo à luz do dia o que deveria ficar nos subterrâneos. Como, ao longo de mais de sete anos, a oposição quase sempre preferiu não confrontar o governo, o simples jornalismo se confunde com oposição. Se as notícias têm ou não conseqüências eleitorais, não é problema que diga respeito a jornalistas. A canalha que vai se reunir hoje para protestar contra a mídia quer é censura. Sigamos.

Eu estou entre os que acham que falta POLÍTICA no horário eleitoral. Aliás, como vocês sabem, eu estou entre os que acham que TEM FALTADO POLÍTICA NO PAÍS NOS ÚLTIMOS OITO ANOS!

Como vocês viram, cada filminho termina com uma frase-síntese, a saber:
1 - Será que Dilma segura o PT?
2 - Você até pode escolher a Dilma, mas quem vai governar é o PT.
3 -  Será que a Dilma vai segurar o PT?
4 - Será que basta ser amiga do presidente?
5 - Será que ela vai ter força para segurar o PT?
6 - O Brasil não é do PT. O Brasil é dos brasileiros.

Tal propaganda, qual leitura?
A leitura de fundo da realidade política não é muito diferente da que orienta a campanha do Serra e que, se vocês pensarem, pautou toda a cobertura jornalística desde que Dilma tinha 3% dos votos: a popularidade de Lula pode definir a eleição de 2010. Todas as pesquisas, desde sempre, como sabem, traziam a famosa questão: Você votaria num nome indicado por Lula? E sempre se deu mais destaque a esse resultado do que aos números propriamente. E isso criou uma doxa: ele é intocável.

Criou-se um ambiente de vitória antecipada do nome que Lula escolhesse. Um idiota da objetividade diria: Ah, mas esse ambiente não interfere na escolha do eleitor. Interfere, sim: determina alianças nacionais e regionais, influi nas estratégias, na arrecadação de fundos de campanha, na produção de notícias que vazam da Internet para os jornais, dos jornais para as TVs e rádios (e o contrário) e dali para a opinião pública. A vitória do nome indicado por Lula foi decretada por amplos setores da imprensa há quase dois anos.

Mesmo essa campanha, tão mais dura do que tudo o que se vê na televisão, vem com essa pegada, procurando distinguir Lula do PT. Embora sejam peças extremamente críticas ao PT e a Dilma, elas preservam o presidente da República e procuram criar uma distinção entre ele e seu partido. A diferença existe e até os petistas a reconhecem: Lula, como diria Dirceu, é mais amplo do que o petismo. Seu eleitorado não é o do partido. Essa propaganda busca alertar para o fato de que o presidente, por isso mesmo, porque fala a um público mais abrangente, sempre foi um fator de moderação. Dilma no comando teria pulso menos firme para segurar os radicais. Há um exagero evidente num caso ao menos : não foi Lula que conseguiu impedir o PT de censurar a imprensa; foi a sociedade.

Verdades, mentiras e o medo
Gostos, retórica e afinidades eletivas à parte, o que há de essencialmente mentiroso nesses filmes?
- O PT tentou censurar a imprensa? Tentou. E tenta ainda.
- Dirceu é um dos assessores de Dilma, e a turma do mensalão tende a crescer de novo no cenário nacional caso seja eleita? Respondo: em recente evento com potentados do PIB nacional, Palocci pediu votos para João Paulo Cunha. Ao fim do encontro, os disciplinados burgueses foram perguntar ao ex-ministro qual é o número do moralista.
- O PT apóia ditadores? Ô se apóia.
- O maior ativo de Dilma é ser a escolhida de Lula? É o único!
- O PT usa órgãos federais para perseguir filhos dos adversários? O noticiário está aí.

Política do medo? Não! Política dos fatos. Conduzida por um partido político.

Por que não se acusa a baixaria de Dilma Rousseff quando afirma na TV que o país passou 25 anos sem investir? Aliás, trata-se de uma categoria bem particular de baixaria: a mentira. Ou quando diz que FHC investiu meros R$ 300 milhões em saneamento em um ano, outra bobagem? Ou quando sugere que foi Lula quem deu início à política de valorização real do salário mínimo? Ou quando Lula  participa do horário político e isso continua nas inserções curtas para chamar o candidato da oposição de representante da turma do contra? Não será também baixaria inventar um passado que não existiu e ameaçar o eleitor com o suposto risco do retrocesso? Não será isso política do medo?

Eu já disse que não dou conselhos a marqueteiros ou candidatos. Digo o que penso. E penso que a ausência de política na campanha eleitoral, além de ter rebaixado um tanto a qualidade da disputa, prejudica, obviamente, o candidato da oposição. É claro que quem se apresenta para ser o (a)  continuador(a) de um governo que tem ampla aceitação dos eleitores prefere que o embate se dê no terreno das promessas e dos canteiros de obras.

Finalmente, os caçadores de baixaria tiveram no programa de ontem de Mercadante um belíssimo exemplo: ele teve a coragem de afirmar que a má vontade do governo de São Paulo impediu que se celebrassem aqui alguns convênios com o governo federal, o que é uma mentira estúpida. Não é que ele critique as escolhas dos oponentes. Ele os chama de sabotadores. Mas vocês sabem: petistas são assim mesmo; espera-se qualquer coisa deles. Os tucanos é que teriam a obrigação da delicadeza Política enfim, ainda que na reta finalíssima!

Por Reinaldo Azevedo

TCU vai investigar contrato da TV de Lula com empresa em que trabalha filho de Franklin Martins

Por Leandro Colon, no Estadão:

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai investigar o contrato de R$ 6,2 milhões que a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) fechou com a Tecnet Comércio e Serviços Ltda., que emprega Cláudio Martins, filho do ministro da Comunicação Social e presidente do Conselho de Administração da estatal, Franklin Martins.

A empresa foi contratada para cuidar do sistema de arquivos digitais da EBC, um dos grandes projetos do governo. Ontem, o procurador Marinus Marsico, que representa o Ministério Público no TCU, anunciou que pretende pedir os documentos sobre a concorrência e investigar mais uma suspeita de tráfico de influência em meio ao escândalo que derrubou Erenice Guerra da Casa Civil. Estou estarrecido com tantos parentes ligados aos órgãos públicos, afirmou Marinus, que já apura os episódios envolvendo Erenice. No caso da EBC, há conflito de interesse.

O Estado revelou ontem que o filho de Franklin trabalha na Tecnet há pelo menos dois anos como representante comercial. De acordo com o comando da Tecnet, ele é o responsável pelos negócios de software e tecnologia da empresa no exterior e com as afiliadas do grupo. Cuida prioritariamente do início da expansão internacional da empresa, disse a empresa, em nota.

A EBC é a única emissora de TV brasileira cliente da Tecnet na área digital. A empresa é o braço operacional do grupo que dirige a RedeTV!. O procurador pretende investigar os motivos que levaram a EBC a acelerar a licitação e os indícios de irregularidades na concorrência. O empresário Fábio Tsuzuki admitiu ao Estado que ajudou a EBC a elaborar o edital da licitação.

Tsuzuki é dono da Media Portal, única adversária da Tecnet na concorrência. Isso mostra uma relação promíscua no órgão público e é absolutamente irregular, disse Marsico. Só preciso decidir qual o melhor caminho: solicitar os documentos ou já entrar com uma representação pedindo abertura de processo.Aqui

Por Reinaldo Azevedo

23/09/2010

 às 4:37

Um blogueiro do movimento contra a mídia

Por Leandro Colon, no Estadão. Comento em seguida:
A Empresa Brasil de Comunicação (EBC) contratou há uma semana, sem licitação, os serviços do jornalista Luis Nassif por R$ 180 mil. O contrato terá vigência de seis meses. Foi assinado pela presidente da estatal, Tereza Cruvinel, no dia 16 e publicado na segunda-feira no Diário Oficial da União.

Nassif foi contratado, segundo a EBC, para prestar serviços de entrevistador e comentarista para o telejornal Repórter Brasil e o Programa 3 a 1.

Desde terça-feira, o jornalista tem destacado em seu blog informações em defesa do protesto contra a imprensa marcado para hoje a partir das 19 horas no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Nassif é do conselho consultivo do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, que integra a organização do protesto, intitulado Contra o Golpismo Midiático e em Defesa da Democracia. Movimentos sociais de apoio ao governo, como centrais sindicais e a UNE, já manifestaram adesão ao movimento.

A EBC informou que o jornalista foi contratado porque a legislação prevê a dispensa de licitação para pessoas ou empresas de notória especialização.

Nassif fechou um novo acordo depois de ter expirado, em julho, o contrato de R$ 1,2 milhão que tinha para fazer o programa Brasilianas.

Nassif disse que sua contratação sem licitação se deve ao fato de o contrato ter como objetivo um trabalho intelectual, com pessoas com reputação em sua área e reconhecimento público, que ajudam a reforçar a cara da emissora. Em relação à minha área - comentários econômicos -, há muitos e muitos anos fico entre os três jornalistas mais votados (no prêmio Comunique-se) na categoria jornalismo de economia, mídia eletrônica, além dos prêmios que recebi como jornalista de economia da mídia impressa, afirmou.

Comento
Caros,
fechei a área de comentários. A notícia está aqui porque vocês têm direito de saber quem apóia o tal movimento contra a mídia ou sei lá o quê. Mas não quero fornecer pretexto, ainda que falso, para uma suposta guerra de blogs ou coisa assim. Até porque uma guerra supõe que forças de mesma natureza se enfrentem. Não é o caso, obviamente.

Por Reinaldo Azevedo
Share/Bookmark
orkut_mini-001.gif

22/09/2010

 às 21:48

Na Internet, a Dilma que é Dirceu

No Estadão Online:
A campanha do presidenciável tucano, José Serra, encomendou um conjunto de filmes que criticam duramente o PT e a adversária que serão usados como munição na reta final da campanha. O material foi solicitado por integrantes da ala política do PSDB, que pressionam pela adoção de um discurso mais agressivo contra os adversários.

Um dos vídeos, já está na internet desde a semana passada, mostra uma foto de Dilma sorridente, que aos poucos vai se transfigurando até virar uma fotografia do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, alvo predileto dos tucanos. Dilma foi escolhida a dedo pelo PT, por um motivo muito simples: ela vai trazer de volta todos os petistas que foram cassados ou que renunciaram. Dilma vai trazer de volta inclusive aquele que o procurador-geral da República chamou de chefe da quadrilha, diz o texto no exato momento em que a imagem da candidata vira a de Dirceu.

Assista ao vídeo abaixo:

Por Reinaldo Azevedo

As férias de Cid e Ciro Gomes no YouTube: jatinho e limousine

Adversários dos irmãos Cid e Ciro Gomes postaram ontem um vídeo no YouTube que mostra momentos (alguns bastante animados) de uma viagem da dupla em junho para os Estados Unidos. As imagens revelam um passeio de limousine em Nova Iorque com a presença da mulher de Cid Gomes, Maria Célia Habib, seu filho, e o assessor Oman Carneiro, hoje candidato a deputado federal no Ceará.

Em um segundo momento, ao som de um forró irônico, Ciro e Cid aparecem dentro de um jatinho junto com a família. Uma mensagem finaliza o vídeo:

- Uma viagem de jatinho para New York custa mais de 150 000 reais. Quem pagou? Agora o cearense sabe onde está indo parar o seu dinheiro. O dinheiro público usado para financiar as férias da Family

Por Lauro Jardim

Devassa nos computadores de Mauá

A servidora Addeilda dos Santos, que confessou ter quebrado sigilos no seu computador da Receita Federal, resolveu complicar de vez os companheiros de trabalho na unidade do Fisco em Mauá. O advogado de Addeilda está pedindo para a Corregedoria periciar os terminais dos outros nove funcionários que trabalhavam com a sua cliente. Se o computador de Addeilda acessou centenas de declarações irregularmente, quantos registros de imposto de renda terão sido consultados nos terminais ao lado?

Por Lauro Jardim

Sereno em campanha

Marcelo Sereno, assessor de José Dirceu abatido da Casa Civil em meio ao escândalo do mensalão, submergiu desde então. Mas hoje, candidato a deputado federal pelo PT, faz a segunda campanha mais rica do partido no Rio de Janeiro. Segundo sua declaração ao TRE, já arrecadou 804 000 reais até o início de setembro.

A propósito, em suas aparições na TV no horário eleitoral Sereno contou com um depoimento de Dirceu.

Por Lauro Jardim

Tags:
Fonte: Blog Reinaldo Azevedo (veja.com

Nenhum comentário