INTERNET ELEITORAL FINALMENTE APARECEU, MAS DE BAIXO PARA CIMA!

Publicado em 03/10/2010 15:51 e atualizado em 04/10/2010 07:32
631 exibições

                
1. Este Ex-Blog já havia comentado sobre o fracasso das candidaturas presidenciais no uso da internet nesta eleição. Todos falavam tanto em Obama e nada disso ocorreu. Provavelmente, porque os candidatos presidenciais e suas equipes íntimas ainda não entenderam que a internet é interativa e dinâmica, em que todos são produtores de conteúdo.
                
2. Mas já nos últimos 30 dias, a internet surge como poderoso elemento indutor de voto. Não pelas candidaturas, mas pelo movimento realizado a partir da base, de redes sociais, de redes pessoais. E o tema central foram os Valores Cristãos, que impulsionaram uma transferência de intenção de votos de Dilma a Marina e uma projeção para o segundo turno. Alguns vídeos ganharam destaque, como o do Pastor Piragine, que chega a 3 milhões de entradas no YouTube.
                
3. A força dos fluxos foi de tal ordem que Dilma teve que fazer uma reunião extraordinária com líderes religiosos para dizer que não disse o que disse e que as redes difundiam pela internet. Lula foi à TV e gravou comercial para os dois últimos dias, substituindo a Dilma para dizer que ela não disse o que havia dito e que ele não sabia do PNDH-3 que ele assinou e publicou como decreto no Diário Oficial.
                
4. Nem os escândalos planaltinos produziram tamanha mobilização, apesar do destaque nas TVs, Rádios e Jornais. O que mexeu mesmo com esta eleição, e pode garantir um segundo turno, foi a força da internet a partir das bases. O debate na TV Globo, onde os candidatos poderiam ter aproveitado fluxos e tendências através do jogo segurança-insegurança, com teses e ideias suas e de seus adversários, foi inócuo, lerdo, passivo e sonolento.
                
5. Restaram os mesmos fluxos anteriores, multiplicados pela internet e com o mesmo tema: Valores Cristãos. A "agenda" da campanha, tão buscada para contrabalançar a agenda da continuidade de Lula, foi identificada e potencializada pelas redes sociais e pessoais na internet. Com enorme interação e multiplicação. Vindo o segundo turno, ele certamente terá vindo pela força da internet. Claro..., usada adequadamente, e pelos próprios internautas.
Tags:
Fonte: Blog Cesar Maia

Nenhum comentário