UM SEGUNDO TURNO TOTALMENTE ESPERADO!

Publicado em 04/10/2010 12:01
952 exibições


1. Como este Ex-Blog vinha informando desde o início de setembro, o segundo turno eram favas contadas. A reação de parte do voto dos cristãos, especialmente dos evangélicos, saindo de Dilma para Marina, garantia isso. O paradoxal é que Marina não cresceu pelas razões "verdes", mas por seu próprio perfil pessoal, seus valores e convicções. Os escândalos divulgados serviram de lastro para uma percepção de inconfiabilidade, o que impulsionou o voto em defesa dos valores cristãos, em defesa da vida e da família.

2. A popularidade de Lula -77% de ótimo+bom- não se traduziria compulsoriamente em votos. 40% votariam em qualquer candidato que ele apoiasse, 40% diziam depender do candidato e 20% votariam contra. Uma conta simples mostra que Dilma praticamente não conseguiu atrair os votos dos que a avaliariam em campanha. Ou seja: sua performance, para o eleitor, ficou aquém do esperado e, com isso, um novo fator poderia descolar com facilidade seus votos não compulsórios.

3. No final, calculando sobre o número total de comparecimento às urnas e, portanto, incluindo os votos brancos e nulos, Dilma teve os mesmíssimos 42% de Lula em 2006, aliás, algo esperado, antes da campanha. Serra teve 31% e Marina 18%.

                                                * * *

OS VOTOS DE MARINA E O SEGUNDO TURNO!

1. A votação de Marina, que alcançou 18% incluindo na base os votos brancos e nulos, pode ser dividida em duas partes. 50% ou 9%, que vinham de pré-campanha e do início da campanha, se referem ao voto direcionado à agenda constituinte de sua campanha: sustentabilidade, meio ambiente, século 21... Os outros 50%, ou 9%, são votos conservadores agregados em função dos valores cristãos e que saíram de Dilma pela incerteza quanto ao tratamento que daria, caso eleita, em relação à vida e a família.

2. Em relação à primeira metade, as pesquisas anteriores informavam que se dividiria em partes quase iguais entre Dilma e Serra no caso de um segundo turno. Sendo assim, os 42% de Dilma cresceriam para 46,5% e os 31% de Serra passariam para 35,5%. Os demais 9% de Marina não retornarão para Dilma por terem base religiosa. Marina pode conduzir esses votos a Serra.

3. Se isso for feito, partiríamos de um quase empate com Dilma com 46,5% e Serra com 44,5%, ou seja, uma eleição a ser disputada palmo a palmo, com a busca de votos na pequena faixa dos respectivos adversários, que ainda não votam com convicção, e que afirmavam em pesquisa que ainda poderiam mudar o voto. São 10% dos votos em cada caso.

4. A favor de Serra correm alguns fatores: a) Dilma perdeu votos nos últimos 15 dias e esse é sempre um fator de desestímulo de seus apoiadores e eleitores; b) Dilma vem fragilizada pelos escândalos, o que a colocará numa posição defensiva; c) Dilma pareceu cansada nos últimos 15 dias, inclusive descansando quase uma semana no período de nascimento de seu neto.

5. A campanha de Serra no segundo turno tem a seu favor seus próprios erros no primeiro, o que permite -tendo consciência deles- corrigi-los. E -também a seu favor a maior confiança que transmite quando entrevistado ou em debates. A campanha de Dilma terá que voltar a lançar seu coringa: Lula. Mas terá também que ter extremo cuidado para que isso não fragilize sua imagem de dependência em relação ao presidente em exercício, que já não será mais ele, a partir de 1 de janeiro de 2011.

                                                * * *

IBOPE: UMA DIFERENÇA DE CINCO PONTOS PARA DILMA!

1. O Ibope retardou o anúncio pela TV GLOBO de sua pesquisa de boca de urna. Provavelmente intensificando a análise dos dados. Mas assim mesmo deu a Dilma 51% dos votos válidos, uns 5 pontos acima dos 46% que obteve.

2. Seria simplificar falar em erro. Mas a questão é mais complexa. De um lado, o perfil dos eleitores que votam pela manhã e à tarde não tem sido o mesmo. O número de pessoas que ainda não votaram quando a pesquisa é fechada não é pequeno. E, finalmente, a composição da abstenção, que -como este Ex-Blog vem lembrando- em geral afeta a amostra do eleitor de menor renda.

                                                * * *

A COMPOSIÇÃO DO NOVO SENADO!

1. PMDB- 19 (17) \ PT- 13 (08) \  PSDB- 11 (16) \ DEM- 7 (13) \ PTB- 06 (07) \ PP- 5 (01) \ PDT- 04 (06) \ PR-04 (04) \ PSB- 04 (02) \ PCdoB- 02 (01) \  PSOL- 02 (01) \ PRB- 01 (02) \ PSC- 01 (01) \ PMN- 01 (01) \ PPS- 01(01).

2. A oposição elegeu senadores onde seus candidatos a governador puxaram as legendas.

3. Líderes dos partidos de oposição que não se elegeram: Artur Virgilio, Tasso Jereissati, Marco Maciel e Cesar Maia.

                                                * * *

CÂMARA DE DEPUTADOS POR PARTIDO! RESULTADO QUASE FINAL!

PT cresce de 83 para 88 \ PMDB cai de 89 para 79 \ PSDB cai de 57 para 54  \ DEM cai de 56 para 43 \ PP cai de 41 para 40 \ PSB cresce de 27 para 34 \ PDT cresce de 24 para 26 \ PR cresce de 24 para 40 \ PPS cai de 22 para 14 \ PTB cai de 22 para 20 \ PCdoB cresce de 13 para 15 \ PV cai de 14 para 13
Tags:
Fonte: Blog César Maia

Nenhum comentário