Ministro da Agricultura defende integração dos países no combate à aftosa

Publicado em 06/01/2012 15:42 572 exibições
Mendes Ribeiro Filho acompanhou trabalhos na fronteira e avaliará possibilidade de nomear um adido agrícola para o Paraguai.
O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Mendes Ribeiro Filho, reforçou a importância do combate à febre aftosa de maneira integrada com todos os países do continente para superar problemas recentes como o novo foco da doença notificado pelo Paraguai nesta semana.

“Esse caso de aftosa é bem menos grave do que o anterior. Os recursos e o exército já estão aqui. Estamos agindo com mais vigor ainda desta vez e iremos vencer essa batalha. A nossa relação com o Paraguai é a melhor possível e confiamos no trabalho que eles vêm fazendo, mas precisamos pensar no combate a essa doença em nível de América do Sul”, declarou.

A posição foi defendida por Mendes durante a visita à fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai nesta sexta-feira, 6 de janeiro. O ministro acompanhou as atividades de prevenção quem vêm sendo realizadas na região. Mendes sobrevoou a divisa dos municípios de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, e de Juan Pedro Caballero, no Paraguai.

Na companhia da secretária de Desenvolvimento Agrário, Produção e Turismo de Mato Grosso do Sul, Tereza Cristina Dias, e do general do Comando Militar do Oeste, João Francisco Ferreira, o ministro também conheceu o trabalho realizado pelos militares e fiscais da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do estado (Iagro) num dos postos de fiscalização considerados estratégicos para a prevenção. A agenda incluiu ainda um encontro com produtores e autoridades locais no Sindicato Rural de Ponta Porã.

“O apoio do Ministério da Agricultura tem sido fundamental nas ações de fiscalização realizadas no estado. Todos os nossos pedidos foram imediatamente atendidos”, ressaltou Teresa.

Outra medida que será avaliada em conjunto com o Ministério das Relações Exteriores é a indicação de um adido agrícola para aproximar o Brasil e manter contato permanente com todos os assuntos que envolvam a produção agrícola. A primeira possibilidade seria o Paraguai, mas a Bolívia também será avaliada.

Tags:
Fonte:
Mapa

0 comentário