Boi Gordo: Movimento de pressão continua; É culpa da quaresma, da safra, do ciclo pecuário?

Publicado em 12/03/2012 09:52 1162 exibições
Por Lygia Pimentel, médica veterinária, pecuarista e especialista em commodities.
Bom, pra começar, nesta semana temos uma grande novidade aqui na coluna. Acho que todo mundo já notou o que é.

Lembram-se que eu tinha comentado que teríamos algo diferente após o carnaval? Bom, chegou a hora. A partir de hoje, estamos com um nome oficial e uma cara bonita pra que a leitura fique mais agradável. O conteúdocontinuará a ser democrático e irreverente. Essa decisão foi tomada com base no volume de pessoas que tem nos pedido pra receber a coluna de uns tempos pra cá. Acho que a coisa tem tomado uma proporção que certamente merece uma leitura mais agradável.

Espero cada vez mais aumentar a interação com os leitores pra podermos nos ajudar a enxergar um horizonte mais palpável para nossos negócios. Já tenho uma lista extensa de pessoas com as quais converso semanalmente e eles sempre têm algo a adicionar à minha maneira de enxergar o mercado pecuário. Portanto, convido todos a tomar parte nas discussões.

Também aproveito para lançar a parceria entre a nova AgriFatto e a experiente Bigma Consultoria. Após quatro anos, o trabalho conjuntural entre mim e meu amigo, Maurício Palma Nogueira, volta a existir oficialmente. Com a AgriFatto, formamos uma divisão da Bigma focada em inteligência de mercado, análise e tomada de decisão.

Basicamente, o que a gente imagina poder fazer no mercado, só que na prática! É um passo importante e estamos muito satisfeitos com a sinergia que teremos daqui para frente. Mas as novidades não param por aí.

Temos todo um portfolio de produtos focados em análise e inteligência de mercado a ser oferecido. Queremo  trabalhar duro para auxiliar a cadeia em sua evolução. Sei que alguns leitores já são clientes e conhecem parte do nosso trabalho, mas gostaria de convidar aqueles que não conhecem: entrem em contato para que possamos falar mais sobre como ajudar a melhorar o seu sistema de produção e comercialização!

Estou contente e muito entusiasmada com o novo rumo que as coisas estão tomando. O mercado tem crescido e com isso sentimos que a demanda por gente séria aumenta. Uma nova etapa se inicia. E tenham certeza de que as novidades não vão parar por aqui. Caminhamos para formar o time dos sonhos para que possamos dar o melhor a quem precisa de nossos serviços.

Esse time continuará a ser formado com pessoas honestas, capazes, experientes, talentosas e inovadoras! Gente que não tem medo de serviço e que leva o mercado a sério. Como já disse, não gosto de estragar a surpresa, mas sou uma pessoa ansiosa. Aguardem outra novidade sensacional nas próximas semanas! Por enquanto, é tudo o que posso dizer.

Tem outro assunto que não poderia deixar passar em branco em hipótese alguma. É sobre o evento ocorrido nesta semana, a 7ª edição do Encontro Confinamento – Gestão Técnica e Econômica, realizado pela Coan Consultoria.

Gostaria de parabenizar pessoalmente o Rogério, diretor da Coan, pela competência! A organização foi impecável, local foi muito bem escolhido, o conteúdo bem trabalhado e o ti me formado simplesmente fantástico.

Não houve nenhum problema. O evento teve cobertura em tempo integral do Canal do Boi. Tive a honra de dividir a mesa redonda com feras que admiro imensamente. Enfim, foi real mente muito bom!

E pelo que conversei com os participantes, o pessoal também enxergou o que acabei de comentar. É disso que precisamos, informação de qualidade trabalhada por um time de profissionais sérios e simplicidade para abordar os assuntos com a maior clareza possível.
E é isso aí, parabéns a todos os envolvidos na organização e realização do evento. Ano que vem tem mais!

Mas chega de enrolação. Vamos ao mercado!

Quero fazer algo bem diferente nesta semana para aproveitar o embalo das novidades. Colocarei um gráfico e gostaria de receber as impressões dos leitores sobre o que isso representa e como podemos lidar com a situação.

Sei que temos muita coisa a ser feita em relação ao tema, mas quero saber o que vocês pensam disso. Será como uma tempestade cerebral para tentarmos encontrar uma solução para o problema pensando como conjunto.

Vamos ver se essa minha ideia vai funcionar. Aguardo suas respostas até a próxima quarta-feira à noite.

Clique aqui para ampliar!

No mais, estamos vivenciando um momento duro para o pecuarista. É culpa da quaresma, da safra, do ciclo pecuário?

É o que vamos conferir agora.

Bom, sobre safra e ciclo pecuário já comentamos nas semanas anteriores. Mas para resumir, o ciclo pecuário pode estar mais próximo da virada do que pensamos e a safra já tem mostrado a sua cara dentro do que podemos considerar normal para o período do ciclo em que estamos.

Sobre a Quaresma, temos uma incógnita ainda. Todos dizem que atrapalha o consumo de carne, mas precisamos confirmar se isso tem representatividade com base em um estudo. Vamos conferir também se esse período do ano tem se tornado mais ou menos representativo ao longo do tempo.

Observe:

Clique aqui para ampliar!

Bom, vamos explicar melhor como funciona a leitura desse gráfico. Ele mostra o que aconteceu com o preço do boi casado no período entre os dois feriados, mas não usei o dia subsequente ao domingo de Páscoa. Não, não. Pensei em algo difrerente.

Escolhi a comparação entre o carnaval e a semana anterior à Páscoa pois o pessoal do varejo já se prepara para uma possível reação do consumo antes do feriado. Então para isolarmos o efeito da recuperação do boi casado pela recomposição de estoques e para sentir o verdadeiro efeito da Quaresma, calculei desta forma.

Não entendam mal, eu não quis manipular o resultado, apenas quis mostrar o efeito puro, sem a interferência da semana posterior.
O resultado é que realmente temos um efeito mais negativo para o período, com uma queda média de -4,35%. É claro, sempre temos os anos-exceção, mas por enquanto 2012 não tem fugido ao comportamento histórico. Já temos uma queda de 2,21% até o momento.

Em contrapartida, o frango tem se ajustado rapidamente após atingir seu menor valor nominal (e real) dos últimos dois anos. Essa é a parte boa da história. Queda para o boi, mas alta para o seu principal concorrente.

Às vezes acho que o pessoal não tem olhado para o comportamento do frango com o carinho que ele merece. Mas aqui sempre consideramos seu possível efeito sobre o consumo de carne bovina.

Observe:

Clique aqui para ampliar!

Bom, pessoal. Por enquanto é isso. No curto-prazo, as coisas estão tensas, é o efeito da safra, da maior oferta de animais provenientes das fêmeas retidas em anos anteriores e também do efeito Quaresma, que acabamos de deixar claro, atrapalha o consumo neste período do ano. Os custos, infelizmente, não têm ligado pra isso. Tivemos uma reação de 0,7% para o nosso referencial no último mês. Ruim , ruim.

O que fazer? Ficar de olho nas oportunidades do mercado futuro. Sei que ele não tem ajudado muito no momento da venda, mas alguém já pensou que com o físico mais embaixo, talvez fique mais barato comprar boi magro usando a BM&F? E alguém aí está de olho no milho após a última estimativa da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento) e dos dados do USDA (Departamento de Agricultura Norte-Americano)? Tem que ficar de olho, pessoal.

Bom, fico por aqui. Boa sorte pra gente nessa nova etapa!
Um abraço a todos e até a semana que vem!

Tags:
Fonte:
Lygia Pimentel

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário