Boi gordo: a pressão baixista não tem surtido efeito

Publicado em 06/03/2013 09:11
547 exibições
A qualidade das pastagens dá condição de retenção das boiadas e isto tem colaborado para a oferta contida de animais terminados.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, nesta segunda-feira (4/3), em São Paulo, a referência para o boi gordo fechou em R$97,50/@, à vista, e R$98,50/@, a prazo. Mesmo que pontualmente, houve negócios acima destes valores.

As escalas estavam enxutas e boa parte das indústrias comprava matéria prima para os abates desta semana. As programações atendiam, em média, de dois a três dias úteis.

Cenário parecido ocorre no Triângulo Mineiro, onde existe dificuldade de compra de boiadas e as escalas estão curtas.

No Oeste do Rio Grande do Sul, as recentes chuvas têm dificultado os embarques dos animais. Isto pode dar firmeza para os preços do boi gordo em curtíssimo prazo.

No mercado atacadista de carne com osso, as vendas têm sido fracas e os estoques estão relativamente abastecidos.

Tags:
Fonte: Scot Consultoria

Nenhum comentário