PR: Cordeiros mais novos e com mais carne

Publicado em 01/10/2014 08:32 373 exibições

Eles comem mais ração e exigem monitoramento constante. Os ovinos criados em sistema intensivo podem dar a impressão de que dão mais despesas para o produtor. Mas, ganham peso mais rápido e saem cedo para o abate, ficando assim, mais baratos. É o que mostram os índices do centro de pesquisa da Fazenda-Escola Capão da Onça na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), nos Campos Gerais.

O centro tem 300 matrizes das raças ilê de france e texel, mais adaptadas à região dos Campos Gerais. O acompanhamento do sistema, segundo o professor e gerente de produção animal da Fazenda-Escola, Izaltino Cordeiro dos Santos, já dura 16 anos. O diferencial, segundo ele, está no manejo intensivo e na busca da idade ideal de abate.

Leia a íntegra na Gazeta do Povo

Tags:
Fonte:
Gazeta do Povo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário