Possível saída da JBS das compras não se confirma em praças importantes do boi gordo

Publicado em 14/09/2017 12:33 e atualizado em 14/09/2017 18:38
670 exibições

A notícia distribuída pela agência Reuters, apontando redução das compras de boi pela JBS com a prisão do Wesley Batista, não está se confirmando plenamente. Pecuaristas de Goiás, por exemplo, e de outros estados, estão vendo normalidade nas operações pelo menos até a manhã desta 3ª feira (14).

Ronam Azzi Filho, de Goiânia, garantiu que as compras estão normais, dentro das escalas que o mercado pouco ofertado está desenhando. O mesmo que Renato Esperidião, também goiano, está percebendo desde ontem.

“O que não está havendo é compra à vista”, disse Ronam, confirmando o que Eurico Velasco, presidente da Associação Goiana de Nelore, também declarou ao Notícias Agrícolas: “Estão tentando descontar para até 60 dias”.

Em São Paulo, Cyro Penna Jr., presidente do Sindicato Rural do Vale do Rio Grande, com sede em Barretos, acompanhou a situação do mercado da seguinte forma em relação ao caso da JBS:  “Como já vinham com escalas curtas, sem escalas na segunda, terça e quarta desta semana por falta de matéria prima, iriam pular esses dias de abates e começariam a comprar  a partir de hoje (14) à tarde para escalar de quinta (21) em diante. Vamos aguardar para conferir”.

E Marco Garcia, de Três Lagoas, e presidente do Sindicato Rural local, comenta que todas as indústrias refluíram suas compras, o que de certa forma demonstra a perda de fôlego da alta da arroba – ou até mesmo queda em várias regiões.

Em Goiás, segundo a Scot Consultoria, a @ em R$ 133,00 em Goiânia está estável em relação a quarta, e também no mesmo valor no Sul do Estado, porém em leve queda; em Três Lagoas, como no resto do MS, estável hoje também em R$ 137,00. Já em Barretos, queda para 143,50, que, como notou Cyro Penna Jr., já perdeu mais de R$ 2,00 nos últimos três dias.

Complementando

Na tarde de hoje (14) o Minerva voltou a comprar, a R$ 138,00 em Goiás, R$ 143,00 em Minas e R$ 145,30 em São Paulo, com 60 dias para descontar Funrural. Em Cassilândia, no Mato Grosso do Sul, a JBS voltou às compras depois das 12 horas, mas em São Paulo, onde a @ é mais cara, não se confirmou a sua volta ao mercado para escalar semana que vem, como esperava o presidente do Sindicato Rural do Vale do Rio Grande.

 

 

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário