Em dia de baixa liquidez, boi fecha a semana perto de menos 1% em SP e pode abrir viés de queda

Publicado em 18/04/2019 16:57 e atualizado em 19/04/2019 10:06
961 exibições

LOGO nalogo

Em dia de pouca liquidez, por compradores retraídos antes do feriadão, o boi fecha a semana em baixa moderada nas maiores praças, vindo de um panorama que começara a se esboçar na terça. Pela tendência seguida, fica claro também que @ não deverá renovar as máximas neste restante de abril.

Enquanto o boi Europa e o boi China seguem na faixa dos R$ 162 com premiação - como o visto pelo Balizador GPB em Presidente Prudente -, o comum caiu entre 0,60 e 1%, na média dia a dia e média semanal em São Paulo nesta quinta (18). Pela Scot, respectivamente, foi 0,68% e 0,9%.

No balcão, R$ 156 a R$ 157,50, em ponderação de consultorias e produtores, como Neto Sartor, de Sabino.

A programação dos frigoríficos ficou mais confortável, algo também já visto na semana anterior, embora houvesse expectativa de pressão nesta semana mais curta.

De acordo com a Agrifatto, em São Paulo as escalas médias chegaram a 9 dias, alongamento de 25%. No Mato Grosso, seguindo outro exemplo da consultoria, entre compra/embarque e abate, 6,5 dias.

O recuo no ritmo das máximas vistas até sexta (12) foi generalizado no Mato Grosso do Sul. Na região de Aquidauana, o JBS pagou R$ 145/30 dias e os pequenos de R$ 145 a R$ 146, de acordo com Frederico Stella, ex-presidente do Sindicato Rural da cidade e diretor da Famasul. O recuo na região, também em balizamento com Campo Grande, variou em R$ 1 e as escalas vão para sexta-feira (26).

Minas e Goiás completam a tabela onde a @ ficou da quase estabilidade para baixo.

E isso tem estimulado um movimento de entrada animais de outros estados em São Paulo, como o Notícias Agrícolas trouxe em primeira mão nos últimos dias - primeiro, do Mato Grosso do Sul e, nesta quinta, de Goiás -, com reflexo na programação de algumas plantas em território paulista.

Os frigoríficos voltaram ao spreed positivo, entre a compra e a venda no atacado, tanto na visão da Agrifatto quanto no da Scot.

Mas visto do fundamento porteira adentro, o recuo da @ poderá ser lento em razão da restrição geral de bois acabados e pastos suportando a boiada - e com um abril com boas precipitações.

Mercado Futuro

A B3 trouxe nesta quinta o mercado precificando já alguma desova da safra em maio, -0,06%, a R$ 154,35, e lá para a tela de outubro alta de 0,25%, a R$ 159,55.

Devem perseguir mais força na sequência dos dias.

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário