Boi cai na véspera de feriado e escalas não mostram força nem para 5º dia útil de maio

Publicado em 30/04/2019 16:31 e atualizado em 01/05/2019 09:54
256 exibições
Várias praças saíram da estabilidade para queda também, como SP

LOGO nalogo

A maioria dos frigoríficos já está com animais contratados até o começo da próxima semana, portanto parte cobrindo as vendas do varejo para o dia do pagamento (8/5), o que reduziu mais ainda qualquer força esperada da @. Os produtores que têm bois mais pesados também saíram das vendas.

Resta a esperança de que os negócios evoluam na ponta compradora para o atacado atender o fim da próxima semana, esperando um Dia das Mães (12/5) mais animador para o consumidor, antes que o mercado parta para a segunda quinzena, sempre mais parada.

E aí à beira de começar a desova de safra em volume maior, porque as pastagens vão perdendo qualidade, a folga vai ter que ser planejada - apesar do volume de chuvas que muitas regiões tiveram -, e até a reposição precisará ser acelerada.

Do quadro desta terça (30), o boi da Scot caiu, depois de dias mantendo a estabilidade. Perdeu R$ 1,00 em São Paulo, R$ 156,00 e R$ 157,00. A consultoria também registrou recuos no Sul de Minas, para R$ 145,00; Campo Grande, que se alinhou aos R$ 143,00 de Dourados e Três Lagoas; e, no Mato Grosso, o destaque fica para a forte perda de R$ 4,00, em Cuiabá, que acabou a véspera do feriado em R$ 140,00.

Em relação a Goiás, manteve-se os preços da segunda, em R$ 140,00, firme com auxílio de algum movimento de bois vindo para morrer em São Paulo, pelo menos o visto por Notícias Agrícolas.

Renato Esperidião, pecuarista goiano, viu ontem, porém, boi a R$ 145,00, possivelmente Europa e Cota Hilton.

E os frigoríficos próximos a Goiânia escalados até 10 de maio.

A Agrifatto notou leve recuo no Mato Grosso do Sul, de onde igualmente tem vindo boi para São Paulo. Menos 0,20% no à vista, indo a R$ 145,29.

São Paulo ficou em estável, segundo a empresa. Depois de dois recuos seguidos, a @ vai abrir os negócios na quarta (2), na média paulista, em R$ 157,23. Em Iacanga e Dracena, negócios a R$ 157,00, e em Itaberá, a R$ 158,00.

Douglas Coelho, da Radar Investimentos, viu alinhamento em estabilidade dia contra dia, mas um degrau abaixo, entre R$ 156,00 e R$ 156,50, em média, para 3,75 dias úteis na programação das indústrias.

Rio Grande do Sul

Com pouco de pastos nativos e o animais entrando agora nos pastos pós-soja, o kg na região de fronteira gaúcha, melhorou paara R$ 5,10/kg no boi e R$ 4,70/vaca. 

Deverá haver uma alta mais segura, porém moderada, até junho, para daí começar haver um movimento de desova, para novamente a terra começar a ser preparada para a próxima soja.

Dartagnan Soares Carvalho, presidente do Núcleo Papampa Gaúcho de Hereford/Bradford, de Santa do Livramento, lembrou também que o ternero, muito disputado para exortações de animais em pé, bateu em R$ 6,20, para 250 kg de peso. 

 

Tags:
Por: Giovanni Lorenzon
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário