Após México e Canadá habilitarem frigoríficos brasileiros, cotações futuras do boi gordo finalizam a 3ª feira com altas na B3

Publicado em 30/06/2020 17:10 e atualizado em 30/06/2020 17:45 1590 exibições

LOGO nalogo

Nesta terça-feira (30), as referências futuras para o boi gordo finalizaram a sessão com valorizações na Bolsa Brasileira (B3). O vencimento Junho/20 registrou um avanço de 0,32% e está cotado a R$ 218,50/@. O julho/20 está precificado a R$ 221,00/@ e teve um aumento de 1,40%. Já o Agosto/20 encerrou o dia com um avanço de 0,23% e foi negociado a R$ 217,00/@.

Canadá e o México habilitaram seis frigoríficos a exportar carne bovina e de aves. De acordo com a informação da Agência Estado, cinco habilitações foram concedidas para o embarque de carne bovina ao México. “As homologações beneficiam duas unidades da JBS em Pontes e Lacerda/Tem Promissão/SP, Bataguassu/MS, e JI-Paraná/RO.

Por outro lado, a China suspendeu importações em três unidades processadoras de carne do Brasil, conforme o Ministério da Agricultura (Mapa) divulgou nesta segunda-feira (29).

A medida foi adotada diante das preocupações de Pequim de conter novo surto da epidemia de Covid-19. Dentre as plantas que estão suspensas são a Agra e a Marfrig, no Mato Grosso (carne bovina), Minuano, no Rio Grande do Sul (aves).

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, ressaltou que a informação trouxe um efeito bem limitado quando colocado em números e fundamentos. “Só o mercado futuro que sentiu essa notícia, na qual estava com uma tendência de alta e nesta manhã o mercado trabalha com desvalorizações”, destaca.

Apesar da notícia de suspensão de quatro plantas frigoríficas, o mercado físico do boi gordo ainda opera com preços firmes. A Informa Economics reportou que as indústrias com escalas de abate mais apertadas, no entanto, ofereceram preços maiores para conseguir originar matéria prima.

Já no mercado doméstico, a Informa Economics apontou que a inconsistência das vendas de carne no mercado doméstico faz com que grande parte dos frigoríficos se mantenham cautelosos nos negócios, aguardando novos encaminhamentos no escoamento dos cortes bovinos para traçar a estratégia de compra de gado para os próximos dias.

No aplicativo da Agrobrazil, o valor negociado para o animal que atende as exportações na região de Ourinhos/SP está ao redor de R$ 220,00/@, à prazo com trinta dias para pagar e com data para abate em 03 de julho. Na localidade de Naviraí/MS, o animal comum foi negociado a R$ 210,00/@, à prazo com 15 dias para pagar e com data para o abate em 02 de julho.

A consultoria Agrifatto destacou que as cotações da carcaça casada bovina seguem estáveis, com tendências de pressão positiva dos frigoríficos, dados os avanços da arroba em grande parte das praças. “As expectativas começam a aumentar com a proximidade do próximo mês, que tende a elevar as vendas de carne bovina”, apontou.

Confira mais:

>> Quatro frigoríficos suspensos num total de 102 habilitados para China não devem impactar ritmo das exportações de carne

>> MAPA afirma que China não apresentou justificativa formal para suspender importação de frigoríficos brasileiros

Confira como ficaram as cotações para o Boi Gordo nesta terça-feira:

>> BOI

Tags:
Por:
Andressa Simão
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário