Preços do boi gordo seguem resistindo

Publicado em 15/06/2010 16:22 382 exibições
Mesmo com o frio mais acentuado em várias regiões, fator que desencadeia uma maior oferta de animais, os preços não cedem e demonstram que os produtores também estão fortes na expectativa de manter os preços firmes. Muitos já demonstram que os preços nestes níveis, não estão remunerando o que deveria, ficando até empatados com os custos. Em Goiás a média desta segunda-feira (14), permaneceu na casa dos R$ 77 à vista (preços brutos) para o boi gordo e R$ 71,79 para a arroba da vaca gorda.

O indicador de preço disponível do Boi Gordo Esalq/BM&F/BOVESPA - Estado de São Paulo resultou no valor de R$ 81,57 por arroba, permanecendo com reação positiva de 0,36%. O bezerro em MS ficou cotado em R$ 729,23 por cabeça, menos R$ 0,85/cab ou seja, praticamente estável.

O mercado futuro também refletiu o mercado físico e ajustou para cima todos os meses futuros. O valor de mês de junho segue muito próximo ao preço do indicador. Negócios para junho de 2010 foram realizados e o mês de outubro de 2010 ainda persiste na casa dos oitenta e quatro, registrando R$ 84,45/@ e mostrando a resistência dos negócios com valores menores.

Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, a média das exportações da segunda semana chegou a US$ 753,4 milhões, 29,4% inferior à média de US$ 1.067,3 bilhão da primeira semana. Em razão da retração das vendas das três categorias de produtos: básicos (-45,9%, de US$ 564,3 milhões para US$ 305,2 milhões, por conta, principalmente, de petróleo em bruto, soja em grão, carnes de frango, bovina e suína, farelo de soja e fumo em folhas), manufaturados (-10,7%, de US$ 343,3 milhões para US$ 306,7 milhões, e semimanufaturados (-9,1%, de US$ 132,5 milhões para US$ 120,4 milhões).

Tags:
Fonte:
Faeg

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário