Pecuária: Chuvas comprometem produção

Publicado em 21/03/2011 12:17 538 exibições
O setor da pecuária vem sofrendo em função da grande quantidade de chuvas deste ano em Mato Grosso, que dificultam o transporte do gado da fazenda até o frigorífico. O surgimento de pragas, como as cigarrinhas e lagartas, comprometem ainda mais as pastagens estão morrendo por ficarem submersas. Segundo especialistas, este problema se acirra mais ainda no interior de Estado. De acordo com informações da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), no município de Cáceres, pelo menos 1,7 mil dos 4 mil km de estradas vicinais estão intransitáveis para o transporte. Os cálculos são da Comissão Municipal de Defesa Civil que percorre, diariamente, os locais atingidos.

O superintendente da Acrimat, Luciano Vacari, que passou na semana passada em alguns municípios da região Araguaia acompanhando o evento "Acrimat em Ação", diz ter visto de perto o que pecuaristas e demais produtores rurais estão passando. Na região, criadores de gado do município de Canarana, por exemplo, querem transportar para o frigorífico de Paranatinga não está conseguindo. As condições precárias das estradas estão atrasando a entrega dos animais nas unidades de abate.

As péssimas condições das estradas de Mato Grosso são responsáveis por perdas financeiras de pecuaristas e frigoríficos. O transporte do gado destinado ao abate é dificultado pelos buracos, atoleiros e pontes destruídas que fazem parte do cenário encontrado em várias rodovias mato-grossenses, principalmente na época de chuvas. Essa situação implica em perda de peso do boi e, consequentemente, no valor da arroba. Casos mais graves são registrados na BR-080, que corta diagonalmente Mato Grosso, interligando o Norte ao Noroeste do Estado, passando pela Reserva Nacional do Xingu.

Segundo Vacari, há dificuldades na BR-020, partindo de Canarana ao Médio e Baixo Araguaia e na MT-247, entre Barra e o Distrito de Lambari. "A falta de manutenção e pavimentação das vias de escoamento são os principais entraves do setor", explica. Ele acrescenta ainda que as regiões Nordeste e Norte de Mato Grosso são as mais prejudicadas no período de chuva. "No transporte feito em rodovias com péssimas condições de uso, o animal sofre um estresse maior. Em alguns casos chega apresentar hematomas que provoca a perda da carne. E ainda, quando há necessidade de desviar o caminho por causa dos atoleiros, esse adicional de percurso é descontado no preço da arroba".

Tags:
Fonte:
Gazeta Digital

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário