Quase 2,5 milhões de animais devem ser imunizados no CE

Publicado em 04/05/2011 08:16 236 exibições
Estado é classificado como zona de risco médio da febre aftosa. Aumentar o índice de cobertura visa melhorar o status sanitário.
Em uma fazenda que produz leite, em Maranguape, a 40 quilômetros de Fortaleza, os 360 animais foram vacinados em um só dia. As doses só podem ser aplicadas na região do pescoço para não correr o risco de comprometer cortes mais nobres dos bovinos.

Cada dose da vacina custa entre R$ 1,50 e R$ 2,00, valor bem abaixo da multa, de cerca de R$ 14 por cabeça para os criadores que não vacinarem o rebanho. Além disso, para serem comercializados, os animais precisam de uma guia de trânsito que só é emitida após a comprovação de que estão imunizados.

Há 10 anos não há registro de febre aftosa no Ceará. Atualmente o estado é classificado como zona de risco médio da doença, situação igual a de quase todo o Nordeste. Até o fim da campanha, a expectativa é que 90% do rebanho de 2,5 milhões de animais sejam imunizados. Com esse resultado, o estado espera ser considerado pelo Ministério da Agricultura como zona livre da febre aftosa com vacinação.

Uma novidade este ano no Nordeste é que Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, que antes vacinavam em abril, participam pela primeira vez da campanha de vacinação contra a febre aftosa no mês de maio.

Esta unificação é importante para o produtor porque o risco de doenças é minimizado por causa do trânsito de animais. Melhor para o produtor e para quem vacina também, para o serviço.

Erivânia de Almeida, gerente da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária, explica que a unificação foi possível após uma consulta ao setor produtivo do estado de Pernambuco e ao Ministério da Agricultura, que atendeu a solicitação de modificar o calendário de vacinação.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário