Capacidade dos frigoríficos em MT tem incremento de 10% no ano

Publicado em 19/07/2011 10:17 429 exibições
A utilização da capacidade instalada nas plantas com certificação do SIF (Serviço de Inspeção Federal) acumula crescimento de 10% no ano, segundo levantamento do Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agrícola). No ano, o percentual da utilização da capacidade de abate, que estava em 33,20% em 2010, saltou para 36% este ano. “A continuidade da oferta restrita de animais explica a utilização da capacidade abaixo de 50% desde 2008, ainda reflexo da crise que afetou o setor pecuário do Estado”, avalia. No ano passado os abates mato-grossenses atingiram 4,33 milhões de cabeças, sendo 65,29% de machos e, 34,71%, fêmeas.

De acordo com analistas, o aumento da utilização da capacidade se deve, principalmente, ao retorno das atividades em frigoríficos que estavam paralisados nas regiões Nordeste e Noroeste, que passaram a contar com 68% e 23% da utilização, respectivamente. A capacidade de abate utilizada dos frigoríficos em operação, isto é, a utilização média somente das indústrias em funcionamento, em maio ficou em 79%, elevando a média de 2011 para 78%.

As regiões do Médio Norte e Oeste se destacaram registrando as maiores taxas de utilização industrial em operação com 96% e 94%, respectivamente. Esse aumento do uso da capacidade industrial pode ser considerado efeito direto do aumento do número do abate total em maio, de 18,4%.

REPOSIÇÃO - O mês de maio registrou recuo no preço pago à vista pelo bezerro de desmama (oito meses) de 0,77%. Apesar desta queda registrada no mês anterior, o preço do bezerro no Estado acumula alta em relação ao mesmo período de 2010 de 5,79%. Com o valor médio no Estado de Mato Grosso do preço do bezerro de desmama valendo em torno R$ 637,91/cabeça, a região Médio Norte obteve a maior média, com o animal cotado a R$ 666,00/cabeça. Enquanto isso, a região Oeste obteve a maior valorização no período de 12 meses, com um aumento de 10,86%. Já a relação de troca entre o bezerro de 8 meses e a arroba do boi gordo, que em junho de 2010 registrava 8,35 arrobas/cabeça, registrou recuo e, atualmente, está em 7,51 arrobas/cabeça.

Comparando 2010 com este ano, conclui-se que o preço médio das exportações realizadas pelo Estado obteve valorização em 38,77%, enquanto que as praticadas pelo país registraram alta de 33,31%. Já a variação resultante da comparação entre os meses de maio e abril, Mato Grosso registrou alta de 4,96%, fechando maio com média de US$ 4,044 mil/tonelada. Quanto ao preço médio da tonelada exportada pelo Brasil, este encerrou maio com média de US$ 4,058 mil/t, representando variação positiva de 3,78% em relação ao mês anterior. O preço médio da tonelada exportada, tanto pelo Estado como pelo país, vem sendo crescente desde janeiro de 2010, apresentando valor máximo no último mês de maio.

TROCA - Com a finalidade de garantir um melhor desenvolvimento do animal, o Ivomec ® Gold é um dos produtos utilizados pelos pecuaristas para o controle, tratamento e prevenção das infecções causadas por vermes e carrapatos no gado. Na relação de troca entre a arroba do boi gordo e a ivermectina, o mês de maio apresentou o maior aumento do ano, passando para o valor de 4,63 arrobas/litro, alta de 4,57% em relação ao mês anterior. Essa alta pode ser explicada pela brusca queda de R$ 3,47 no preço da arroba, além de uma leve alta de 0,60% no preço do produto. Já na variação anual a relação de troca entre os produtos apresenta uma queda de 21,82% em relação ao ano passado, fruto, principalmente, do aumento de R$ 15,40 do preço médio pago pela arroba.

Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

0 comentário