Governo reforça vigilância contra aftosa na fronteira com o Paraguai

Publicado em 20/09/2011 08:24 262 exibições
O surto de febre aftosa ocorreu na fazenda Santa Helena, localizada no departamento de São Pedro, a 130 quilômetros da fronteira do Paraguai com o Brasil. Treze animais foram infectados. No site do Serviço Nacional de Qualidade e Saúde Animal do Paraguai, o governo do país informa que decretou estado de emergência na região.

As medidas para enfrentar o problema seguem os padrões internacionais de vigilância sanitária. O controle de trânsito de animais e o fechamento da área até 20 quilômetros do local dos focos são ações de emergência.

O surto de febre aftosa no Paraguai deixou em alerta as autoridades sanitárias de Mato Grosso do Sul. Uma das primeiras medidas tomadas foi o reforço da fiscalização em 11 municípios que ficam em região de fronteira.

A maior preocupação da vigilância é com o trânsito de animais entre os dois países. A Superintendência Federal de Agricultura informa que vai mobilizar a classe produtora para alertar contra os riscos da movimentação de animais. Os pecuaristas de Mato Grosso do Sul se dizem dispostos a ajudar e estão conscientes.

Na fazenda paraguaia, onde foi detectado o foco de febre aftosa, mais de 800 animais serão sacrificados. O Serviço de Saúde Animal do Paraguai informa que vai fazer o abate sanitário em propriedades a uma distância de até cinco quilômetros do local do foco.

Tags:
Fonte:
Globo Rural

0 comentário