Fiscalização contra a aftosa na fronteira com o Paraguai segue com apoio das forças militares

Publicado em 03/10/2011 09:04 315 exibições
Pedido do ministro Mendes Ribeiro foi atendido e Forças Armadas permanecerão na divisa com o país por mais 30 dias.
A solicitação do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Mendes Ribeiro Filho foi atendida pelo Ministério da Defesa e os militares permanecerão apoiando as atividades de fiscalização contra a febre aftosa na fronteira do Paraguai com Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul por mais 30 dias. O objetivo do acordo, prorrogável por igual período, é evitar a introdução do vírus no Brasil.

O documento também incluiu o pedido de apoio de logística, inteligência, comando e controle do Ministério da Defesa – inclusive com equipamentos de videoconferência localizados nos quartéis em municípios de fronteira – para que o corpo técnico do Ministério da Agricultura, em Brasília, possa manter contato direto com as equipes de campo da região.

Todas as atividades de vigilância e prevenção que vêm sendo realizadas desde a notificação do foco da doença no Paraguai seguem em andamento, principalmente na divisa do país vizinho com Mato Grosso do Sul e Paraná. Entre elas estão a proibição da importação de animais suscetíveis e produtos que representem risco; intensificação da fiscalização de trânsito de animais, produtos e sub-produtos na fronteira; aumento da vigilância em propriedades identificadas como de maior risco e análise e investigação epidemiológica da movimentação animal recente.

Tags:
Fonte:
Mapa

0 comentário