Café na Semana: Setor inicia série de reuniões para definir proposta consensual frente à crise

Publicado em 01/11/2013 15:16 760 exibições
Setor privado da cafeicultura inicia série de reuniões para definir proposta consensual frente à crise de preços.

EM BUSCA DE SOLUÇÕES — Diante do agravamento da crise na cafeicultura, com um cenário de preços aviltados e muito inferiores aos custos de produção, o presidente executivo do Conselho Nacional do Café, deputado federal Silas Brasileiro, reuniu-se, na quinta-feira, 31 de outubro, com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Antônio Andrade. Na audiência, o titular da Pasta informou o andamento das negociações referentes ao café dentro do Governo e ouviu do deputado alguns pontos emergenciais que não podem ficar de fora de um pacote de auxílio ao setor, como o endividamento e a geração de renda.
 
Nesta sexta-feira, 1º de novembro, os conselheiros diretores do CNC estão reunidos, em Ribeirão Preto (SP), para receberem as informações sobre a audiência com o ministro Antônio Andrade e discutirem alternativas que possibilitem a recuperação da rentabilidade na cafeicultura. Entre os temas que serão debatidos, constam a sugestão para a distribuição do orçamento do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) em 2014, o registro de inseticidas em substituição ao endosulfan, a promoção da competitividade da cafeicultura brasileira, a criação de um centro de inteligência para o café e a adoção de políticas de médio e longo prazos para o setor.
 
Nesse momento de crise de preços, temos acompanhado o surgimento de muitas propostas, as quais respeitamos, porém necessitamos ter foco e centralizar as demandas do setor como um todo em uma única plataforma, de maneira ordenada e que facilite a compreensão dos governo federal sobre o que necessitamos.
 
Ainda nessa linha, será realizada uma reunião na Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), na próxima segunda-feira, 4 de novembro, entre os representantes da produção cafeeira no Brasil, quando esperamos unificar a demanda desse elo da cadeia produtiva.
 
Por fim, ainda na primeira quinzena de novembro, todo o setor privado da cafeicultura brasileira, que integra o Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), se reunirá em São Paulo (SP), oportunidade na qual deveremos concluir nossa proposta consensual, que apresente políticas de interesse comum para a cadeia cafeeira.
 
MERCADO — A valorização do dólar nos últimos dias do mês de outubro acentuou as perdas que já vinham ocorrendo no mercado futuro do café arábica devido a especulações sobre ampla oferta na América Latina. De segunda a quinta-feira, os fechamentos diários do contrato C da Bolsa de Nova York apresentaram sucessivas quedas, atingindo US$ 1,054 por libra-peso – base dez/2013 – ontem, seu menor nível desde dezembro de 2008. No acumulado da semana, o contrato dezembro acumulou perdas de 370 pontos.
 
Estatísticas promissoras que indicam a retomada do ritmo de crescimento da economia norte-americana voltaram a gerar expectativas nos investidores quanto à proximidade da redução dos estímulos monetários praticados pelo Banco Central dos Estados Unidos (FED, em inglês). No Brasil, o dólar comercial encerrou a quinta-feira cotado a R$ 2,234, com alta de 2,06% na semana.
 
No terminal londrino, o café robusta também sofreu forte depreciação, ainda derivada da ampla oferta na safra que se inicia no Vietnã, estimada em 29 milhões de sacas. O vencimento janeiro de 2014 do Contrato 409 acumulou perdas de US$ 56 dólares até o fechamento de ontem, cotado a US$ 1.482 por tonelada.

Gráfico CNC

Tags:
Fonte:
Conselho Nacional do Café

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário