Café: mercado volátil em NY com cotações sem direção definida

Publicado em 05/05/2014 10:15 536 exibições

O café arábica negociado na Bolsa de Nova Iorque registra cotações em alta nesta segunda-feira(05) depois de iniciarem o dia no vermelho.  Por volta das 10h35(Brasília) os contratos com vencimento em julho/2014 operavam a 204,80 centavos de dólar por libra-peso, alta de 160 pontos em relação ao fechamento anterior. Setembro/2014 operava a 206,90 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 160 pontos e o vencimento Dezembro/2014 trabalhava com ganhos de 125 pontos a 209 centavos de dólar por libra-peso. O mercado começou o dia dando sequência ao movimento de realização de lucros que iniciou na semana passada após previsões de clima favorável ao andamento da colheita no Brasil , mas no meio da manhã inverteu a direção, interrompendo o que seria a quarta sessão consecutiva de baixa.  

 Vale lembrar que o mercado avalia a queda dos estoques globais diante de uma safra menor no Brasil em 2014, em função do clima seco em janeiro e fevereiro. 

Na última sexta-feira (02) os negócios com o café arábica encerraram a sessão com pequenas perdas na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). Com quedas abaixo dos 100 pontos, os vencimentos não perderam o patamar dos 200 centavos de dólar por libra-peso. 

Os contratos para entrega em maio perderam 85 pontos e fecharam em 200,60 centavos de dólar por libra-peso. O contrato julho perdeu 95 pontos e encerrou em 203,20 cents. O contrato dezembro teve queda de 95 pontos e encerrou a sessão valendo 207,75 cents / libra-peso. 

De acordo com o analista de mercado Eduardo Carvalhaes, o feriado do dia 1º de maio fez com que os negócios ficassem mais lentos, o que pode ter influenciado a queda nos preços. Ele afirma, no entanto, que o desempenho do mercado do café continua positivo. “Esta semana fechamos com 380 pontos de baixa, mas vemos que o mercado está firme este ano. Das 17 semanas que tivemos, apenas quatro foram negativas”. 

Carvalhaes explica ainda que, apesar do início precoce da colheita em diversas regiões produtoras, o andamento ainda está lento, e alguns cafeicultores colheram cafés ainda verdes. “As colheitas realizadas ainda não são representam o cenário desta safra... Acredito que teremos amostras mais representativas no final de maio e só teremos um panorama melhor sobre o tamanho desta safra no final de junho”.

A trader sul-africana I&M Smith também informou em seu relatório diário que o feriado fez com que o mercado ficasse mais quieto, com volumes de fixação de preços relativamente baixos. A trader também informa que, apesar das notícias de chuvas em Minas Gerais e em outros estados produtivos do Brasil, o mercado do café deve continuar altista, ao menos no curto prazo.  

Os preços do café também tiveram pequenas quedas no mercado físico. A saca de 60 kg do café tipo 6, bebida dura, perdeu 1,20% em Maringá-PR, onde é negociada a R$ 420,00. Em Poços de Caldas-MG, a saca é comercializada a R$ 460,00, depois de uma queda de 2,13%. 

Tags:
Fonte:
Noticias Agrícolas

0 comentário