Café: depois de uma semana negativa, mercado em NY tenta recuperação

Publicado em 23/05/2014 10:45 659 exibições

O café arábica registra cotações em alta na manhã desta sexta-feira(23) na Bolsa de Nova Iorque. Por volta das 11h (Brasília) os contratos com vencimento em julho/2014 operavam a 183,30 centavos de dólar por libra-peso, acréscimo de 195 pontos relação ao fechamento anterior. Setembro/2014 operava a 185,60 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 190 pontos e Dezembro/2014 trabalhava a 189,00 centavos de dólar por libra peso com alta de 200 pontos. Depois de uma semana tensa, com forte pressão de queda sobre as cotações, os operadores tentam ajustar os fluxos de negócios. O analista de mercado Eduardo Carvalhaes ressalta que o mercado está calmo porque os produtores estão recusando as ofertas baixas que estão sendo feitas pelo café 

A incerteza de investidores a respeito do real tamanho da safra brasileira continua deixando o mercado volátil, de acordo com analistas. As notícias a respeito do aumento da incidência de ferrugem do café em lavouras da América Central, podem atuar como fator altista. 

 

Venda de estoques governamentais
A resolução do governo federal de colocar até 397 mil sacas de café dos estoques públicos à venda, publicada ontem (21) no Diário Oficial da União, já está mobilizando alguns representantes do setor que vêem a ação como negativa para os preços. Líderes da cafeicultura estariam se mobilizando para evitar as vendas ou mesmo reduzir o volume vendido. 

De acordo com Eduardo Carvalhaes, apesar de colocar mais produto no mercado, a ação do governo poderia ter um efeito altistas nos preços. “O mercado internacional pode entender esta venda como um sinal extremo de que a escassez de oferta está tão grande que o governo precisa vender seus estoques”. 

Nesta sexta-feira (23) a consultoria alemã F.O.Licht divulgou nova projeção para a safra brasileira de café reduzindo em 2 milhões de sacas as projeções iniciais. De acordo com a consultoria, o Brasil deve produzir 46 milhões de sacas de café em 2014/15, abaixo das 48 milhões de sacas previamente estimadas. Segundo a consultoria, a produção do ano que vem deve ser "ainda menor", uma vez que as árvores estão muito enfraquecidas. 

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário