Café: mercado segue ritmo de alta, volta aos 180 centavos, mas não se mantém

Publicado em 13/06/2014 10:41 e atualizado em 13/06/2014 12:22 724 exibições

O café arábica registra cotações com forte valorização na manhã desta sexta-feira(13)  na  Bolsa  Nova Iorque. Por volta das 11h50(Brasília) os contratos 
com vencimento em julho/2014 operavam a 176,05 centavos de dólar por libra-peso, acréscimo de 410 pontos em relação ao fechamento anterior. Setembro/2014 trabalhava a 178,60 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 390 pontos e dezembro/2014 subia 420 pontos cotada a 182,30 centavos de dólar por libra-peso. O movimento de alta começou na terça-feira com a divulgação das primeiras informações sobre a evolução da colheita no Brasil. Nesta sexta-feira (13) os preços até trabalharam acima dos 180 centavos de dólar por libra-peso mas não se sustentaram nesse patamar. 

Apesar do bom andamento dos trabalhos no campo em função do clima favorável, os produtores estão necessitando de mais café para formar uma saca beneficiada. Os primeiros resultados da enquete formulada pelo Notícias Agrícolas e que já vem repercutindo no mercado internacional, indicam que o rendimento do café está bastante baixo em diversas regiões produtoras do país. De 160 produtores que participaram da enquete até a semana passada , 64% deles relatam que estão precisando de mais de 600 litros de grãos de café cereja para encher uma saca de 60 kg.

De acordo com o engenheiro agrônomo João Inácio Citton, extensionista da Emater, o volume normal de café em cereja para encher uma saca costuma ser de 420 a 500 litros. “Este volume, de até 500 litros para encher uma saca, é o padrão que temos há anos. Qualquer volume acima deste está fora do normal”.

Além disso, o mercado internacional continua observando atentamente o clima no Brasil. A trader sul-africana I&M Smith informou que o mercado já está atento para a possibilidade de geadas nas próximas semanas. “... o Brasil tem de passar com segurança pelas geadas, que poderiam danificar as perspectivas desta e da próxima safra ”. 

A produção da safra 2015/16 também já está no foco dos operadores do mercado. “A questão agora é quais serão as perspectivas para a próxima safra 2015... Será preciso colher pelo menos 52 milhões de sacas para que o país mantenha com segurança a sua cota de mercado dentro dos mercados consumidores. Esta continuará a ser uma grande questão em termos de previsões para esta nova safra até o final do ano”.

Tags:
Fonte:
Noticias Agrícolas

1 comentário

  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Estes operadores do mercado, ainda bem que não operam pacientes, porque menhum sobreviveria...Levantar questão de 52 milhões de sacas? Até parece piada...Que perca a cota, porque manter cota as custas da verdadeira escravidão porque está passando o cafeicultor é o fim da picada!Saiam daí, dos belos escritórios de Nova Yorque e venham dar um passeio pelas lavouras do Sul de Minas e parem de fazer previsões nitidamente de fundo especulativo!

    0