Café: quedas em NY seguem apoiadas em ajustes técnicos

Publicado em 07/07/2014 11:25 467 exibições

O mercado de café arábica trabalha em leves quedas na manhã desta segunda-feira (07) na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). Na sexta-feira (04), as Bolsas de Chicago e NY não abriram por conta do feriado nacional da Independência nos Estados Unidos.  

O vencimento setembro anota às 11h21 (horário de Brasília) 170,60 centavos de dólar por libra-peso, decréscimo de 120 pontos. Já os contratos com entrega para dezembro registram 174,25 cents/libra-peso. Março/2015 apresenta baixa mais modesta de 90 pontos, para 177,80 cents/libra-peso e maio/2015 cai 80 pontos e trabalha a 179,70. 

 “As bolsas tem oscilado nos últimos dias um pouco para baixo, um pouco para cima. Para mim continuam os ajustes técnicos. Penso que só teremos grandes impactos no mercado quando a situação da safra brasileira estiver definida", explicou Marcus Magalhães, da Maros Corretora.

Veja como fechou a sessão de quinta-feira:

Café: novo movimento técnico gera quedas de 150 pontos em NY

O mercado de café arábica voltou a cair nesta quinta-feira (03) na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). O decréscimo para os principais contratos foi de 150 pontos. 

“Além de posicionamento técnico, os traders estão jogando para baixo neste momento para segurar um pouco os valores, porque quando a quebra da safra brasileira for confirmada, os preços vão estourar”, explicou o corretor da Corsica Marcelo Bueno. 

Os contratos com entrega para setembro fecharam em 171,80 centavos de dólar por libra-peso. Já o vencimento dezembro encerrou em 175,45 cents/libra-peso. Março/2015 anotou 178,70 cents/libra-peso, enquanto maio/2015 teve 180,50 centavos/libra-peso. 

“O cenário de café futuro é positivo, mas no momento essa queda foi técnica. O mercado está deixando os valores que julgam justos em 165 a 180 centavos/libra-peso, mas a médio-prazo a realidade deve ser outra, até mesmo pelo aumento do consumo do café”, analisou Mauro Lúcio de Lima da InvestBras Ltda.

Arábica x Conilon
A “Torre de Babel” permanece sobre o mercado de café. Enquanto projeções oficiais dão estimativas de que a safra brasileira gire em torno de 46 milhões de sacas. Outra questão “paira no ar”: quanto será a proporção para café arábica e quanto será para café conilon (robusta)?

O banco holandês Rabobank divulgou um relatório em que confirma o número já projetado de 46 milhões de sacas para o total de café produzido no Brasil, mas indica 28,5 milhões para o café arábica, ou seja, uma estimativa de que o café conilon tenha produção de 17,5 milhões. 

“Quando você fala em 46 milhões para o total, eu entendo como um número plausível, mas 28,5 milhões de café arábica e 17,5 milhões de café conilon é uma loucura. Se fosse real esse número, Londres não estaria subindo”, analisou Marcus Magalhães da Maros Corretora.

Já Marcelo Bueno disse ter andado em muitas lavouras de café conilon e confirmado que a oferta para esse tipo de grão é realmente grande. “Eu acredito sim no aumento da produção do café conilon e projeto que chegue em 16 a 17 milhões de saca neste ano.”

Enquanto isso, a Bolsa de Nova Iorque pode também ser afetada por essas especulações, jogando as cotações para baixo, já que os 46 milhões projetados no total não refletiriam grandes prejuízos na safra nacional para este ano. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    CAFÉ- O banco holandeês Robabank, esta com relatório equivocado, mas publica a notícia porque faz com que a pressão altista ceda...Todas táticas são usadas para adiar ao máximo a reação normal e positiva dos preços do café, tendo em vista os distúrbio climáticos que afetaram a cafeicultura brasileira... Quanto mais adiar uma alta, mais eles faturam...

    0
  • victor angelo p ferreira victorvapf nepomuceno - MG

    Este técnico do ajuste, tem que ser "substituído" imediatamente porque já se fala em 70% de café colhido e é muito fácil verificar que o fluxo de café pras Cooperativas diminuiu consideravelmente...Café arábica este ano em condição de ser exportado não vai chegar a 20 milhões de sacas...

    0