Café: arábica tem leves baixas devido a reposicionamento dos fundos em NY

Publicado em 29/07/2014 09:17 400 exibições

Após quatro sessões ininterruptas registrando altas, a manhã desta terça-feira (29) começa no campo negativo para o mercado de café arábica na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). Os contratos com entrega para setembro e dezembro têm às 9h08 (horário de Brasília) decréscimo de 20 pontos, para 180,90 centavos de dólar por libra-peso e 184,75 cents/libra-peso respectivamente. Março/2015 vale 187,95 centavos/libra-peso e maio/2015 trabalha a 189,75 cents/libra-peso.

Tudo indica que essas leves baixas sejam apenas reposicionamento dos fundos nesta manhã, já que as últimas novidades a atingirem o mercado foram as chuvas e frio acentuado que impulsionaram as altas dos últimos dias.

Veja como fechou a sessão de ontem:

Café: arábica estende ganhos com acréscimos de até 240 pontos em NY

Esta é a quarta sessão consecutiva que o mercado de café arábica apresenta altas na Bolsa de Nova Iorque (Ice Futures US). Desta vez, as cotações estenderam ganhos de até 240 pontos para os principais contratos. O vencimento setembro encerrou acima do patamar dos 180, para 181,10 centavos de dólar por libra-peso. Dezembro teve acréscimos de 215 pontos e anotou 184,95 cents/libra-peso. Já março/2015 fechou em 188,20 cents/libra-peso e maio/2015 registrou 190,25 cents/libra-peso.

Analistas apontam fatores climáticos como os principais responsáveis por essas altas no mercado. As chuvas que atingiram as principais regiões cafeeiras nestes últimos quatro dias vieram em tempo de colheita e paralisaram o processo em algumas fazendas. Além disso, os mais de 40 milímetros de precipitação que caíram em muitas localidades podem estimular a abertura de florada extemporânea em cerca de dez dias.

Essa primeira florada, se confirmada, chegará cerca de um mês mais cedo. “Essa florada é parcial e pode causar pequenos danos por ser época de colheita. Mas, não deve ser significativo, já que o pé de café produz mais flores do que vão vingar os frutos. O que pode atrapalhar esse cenário é se uma florada for muito distante da outra, pois quando vier a segunda, mais abrangente, alguns frutos da primeira florada já estarão no chão”, explicou o engenheiro agrônomo da Fundação Procafé, José Braz Matiello. 

Matiello acredita que as chuvas possam até ser benéficas, mesmo que neste momento, para que as lavouras tenham um refresco do estresse hídrico dos últimos meses e afirma que “não pensa que a florada extemporânea possa prejudicar ainda mais a safra 2015. A produção deve ser um pouco mais baixa do que a de 2014, porque as plantas não se desenvolveram, os ramos não cresceram e pelo próprio ciclo bienal do café”, concluiu o pesquisador. 

Tags:
Por:
Talita Benegra
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário