Futuros do café atingem máximas de 32 meses com seca no Brasil

Publicado em 06/10/2014 16:44 281 exibições

Os futuros do café registraram a maior alta em 32 meses com a especulação de que a seca persistente deve afetar a colheita do próximo ano no Brasil, maior produtor e exportador do mundo.

Os próximos 10 dias deve ser de tempo seco depois de um final de semana sem chuvas significativas nas principais regiões produtoras do Brasil,

O tempo seco foi previsto para os próximos 10 dias sem chuva "significativo" caiu no fim de semana nas principais regiões produtoras do Brasil, disse Drew Lerner, presidente da World Weather Inc. em Overland Park , Kansas , em entrevista por telefone. Os preços do café arábica quase duplicaram este ano com a seca desde o início do ano.

Com danos desde o início da primavera no Hemisfério Sul, o Conselho Nacional do Café do Brasil estima que os agricultores podem colher menos de 40 milhões de sacas em 2015, seria a maior queda em cinco décadas. Starbucks Corp e JM Smucker Co. elevaram os preços no varejo neste ano, depois de futuros subiram 61 por cento no primeiro trimestre devido à seca.

“Agora, a negociação é toda sobre o clima”, disse Fain Shaffer, presidente da Infinity Trading Corp em Indianápolis, em um e-mail.

O café arábica para entrega em dezembro subiu 5,7 por cento, para 2,183 dólares por libra às 11h23 na ICE Futures US, em Nova Iorque , atingindo o maior ganho desde 31 de julho. Mais cedo, o preço chegou a 2,255 dólares, o maior preço de um contrato mais ativo desde 20 de janeiro de 2012.

As flores dos cafezais que floresceram no período de agosto a setembro podem cair antes de se desenvolverem ainda mais, de acordo com dados do Cepea divulgados em 1º de outubro.

Período crítico

“É um período crítico para a safra de arábica do Brasil, que é a florada”, disse em e-mail, Tracey Allen, analista do Rabobank International em Londres. “Chuvas significativas ainda não foram registradas. Precipitações contínuas são importantes durante a floração para ajudar as flores tornarem-se frutos”.

A produção este ano pode cair 18 por cento, para 40,1 milhões de sacas, estima o Conselho Nacional do Café, depois de um declínio de 3,1 por cento no ano passado.

Hoje, o café no Brasil atingiu o maior preço desde agosto de 2013. A presidente Dilma Rousseff enfrenta uma eleição de segundo turno com Aécio Neves, que apelou aos investidores, comprometendo-se a reduzir a inflação. Um real mais forte corrói o apelo de vendas de exportação da commodity com preços em dólares.

Os especuladores “estão particularmente ativos, certamente, do ponto de vista monetário”, disse Allen do Rabobank.

>> Clique aqui e veja as previsões climáticas para os próximos dias

Tags:
Fonte:
Bloomberg

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário