Café: Bolsa de Nova York opera praticamente estável nesta 6ª feira atenta ao câmbio e safra do Brasil

Publicado em 27/05/2016 09:18 e atualizado em 27/05/2016 13:21
79 exibições

Após iniciarem o dia com leve alta, as cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) passaram para o lado vermelho da tabela no início da tarde desta sexta-feira (27), mas continuam próximas da estabilidade. Após testarem o patamar de US$ 1,35 por libra-peso no início do mês, os preços futuros na ICE parecem ter encontrado sustentação em cerca de US$ 1,25/lb.

O mercado continua atento as oscilações no câmbio, que impactam diretamente as exportações da commodity brasileira, além das incertezas em relação à safra 2016/17 do Brasil, que está sendo colhida nas principais áreas produtoras.

Por volta das 13h20, o contrato julho/16 registrava 121,25 cents/lb com queda de 25 pontos, o setembro/16 tinha 123,10 cents/lb com 30 pontos de recuo. Já o vencimento dezembro/16 anotava 126,00 cents/lb e o março/17 estava cotado a 128,70 cents/lb, ambos com 20 pontos de desvalorização.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado na quinta-feira:

Café: Após três pregões em queda, mercado fecha com leve alta, próximo da estabilidade em NY

As cotações futuras do café arábica negociadas na Bolsa de Nova York (ICE futures US) finalizaram a sessão desta quinta-feira (26) com leves altas, próximas da estabilidade. A posição julho/16 era cotada a 121,50 cents/lb com alta de 10 pontos, já o setembro/16 era negociado a 123,40 cents/lb e ganho de 5 pontos. O contrato dezembro/16 fechou o dia a 126,20 cents/lb e valorização de 10 pontos.

Durante o pregão, as cotações buscaram uma consolidação do movimento positivo após três dias seguidos de perdas. "Ainda não há um fato novo que valide uma acelerada das bolsas. Quando o clima se fizer mais presente nas próximas semanas, o mercado tem potencial para recuperar as perdas registradas ao longo da semana anterior, que tiveram influência técnica", disse o diretor executivo da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

Até lá, o mercado segue acompanhando as informações sobre o andamento da colheita da safra no Brasil e o comportamento cambial, conforme informou o analista do Escritório Carvalhaes, Eduardo Carvalhaes, em recente entrevista ao Notícias Agrícolas. Em relação à safra, a perspectiva é que sejam colhidas 49,67 milhões de sacas de 60 kg, entre as variedades arábica e conilon, conforme divulgou a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) no início dessa semana. O número representa uma alta de 14,9% em relação à temporada anterior.

Ainda assim, os analistas ponderam que, o cenário para o grão ainda será apertado esse ano e que a produção será suficiente para o consumo interno e exportação, já que a perspectiva é que os estoques brasileiros estão baixos. Já os embarques ficaram em 1,53 milhões de sacas de 60 kg, até a terceira semana de maio, conforme dados reportados pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior).

Mercado interno

Devido ao feriado de Corpus Christi, comemorado nesta quinta-feira, não houve negociação no mercado brasileiro. As negociações serão retomadas nesta sexta-feira (27). Ainda ontem, o maior valor de negociação foi registrado para o cereja descascado em Espírito Santo do Pinhal (SP) com R$ 530,00 a saca.

Tags:
Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário