Café: Bolsa de Nova York busca patamar de US$ 1,45/lb nesta 2ª após cair mais de 100 pts pela manhã

Publicado em 09/01/2017 11:22 e atualizado em 09/01/2017 14:45
149 exibições

Ainda em processo de acomodação, os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) oscilam dos dois lados da tabela nesta tarde de segunda-feira (9) e já chegaram a estender em cerca de 100 pontos de queda as perdas registradas na sexta passada, ainda que os preços externos da variedade tenham acumulado ganhos de mais de 4% na última semana. Apesar das oscilações, os preços externos do grão seguem próximos do patamar de US$ 1,45 por libra-peso.

Por volta das 11h58, horário de Brasília, o contrato março/17 estava cotado a 143,10 cents/lb com alta de 25 pontos, o maio/17 subia 20 pontos e operava a 145,35 cents/lb. Já o vencimento julho/17 anotava 147,65 cents/lb também com 20 pontos de valorização, enquanto o setembro/17, mais distante, tinha avanço de 20 pontos, e estava cotado a 149,70 cents/lb.

"As cotações passaram na sexta-feira por um processo de acomodação depois da puxada que registraram recentemente. Agora, são corrigidos alguns exageros. Mas o mercado segue, fundamentalmente, sem novidades e à espera de informações sobre a safra brasileira", afirmou na sexta-feira (6) o analista de mercado da Safras & Mercado, Gil Carlos Barabach. Na última sexta, os preços externos do arábica recuaram cerca de 100 pontos nos principais vencimentos.

As informações sobre a safra desse ano do Brasil segue ditando as negociações externas e repercutindo entre os operadores. Alguns acreditam que as melhores condições climáticas no fim de 2016 devem contribuir para minimizar os efeitos da bienalidade negativa. Segundo reporte recente do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP) nesta quarta-feira, o clima tem sido favorável, mas a bienalidade negativa deve resultar em menor produção de café na temporada brasileira 2017/18, com isso os preços devem se manter firmes ao longo do ano.

Do lado altista, tem dado suporte aos preços do arábica na ICE nos últimos dias a volta dos fundos de investimento e os ajustes técnicos depois de os preços testarem mínimas de seis meses na última semana de 2016. As oscilações do câmbio também influenciam nos preços do arábica. Às 10h19, o dólar comercial recuava 0,17%, cotado a R$ 3,2163 na venda.

No mercado físico, seguiram isolados os negócios com café nas principais praças de comercialização do país na semana passada ainda que os preços dos tipos mais negociados próximos de R$ 500,00 a saca, patamar considerado interessante para o produtor. Na sexta-feira (6), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 505,41 com alta de 0,80%.

Por volta das 15h43, o café tipo 6 dura estava cotado a R$ 495,00 a saca em Guaxupé (MG). Com trava para 2017 em R$ 530,00 a saca a para 2018 em R$ 570,00 a saca na Cooxupé (Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé). 

» Clique e veja as cotações completas de café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário