Café: Bolsa de Nova York trabalha próxima da estabilidade nesta manhã de 5ª feira e consolida US$ 1,50/lb

Publicado em 19/01/2017 08:51
72 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam praticamente estáveis nesta manhã de quinta-feira (19) após recuarem na véspera em ajustes técnicos e com pressão do câmbio, que impacta diretamente nas exportações da commodity. Ainda assim, os operadores no terminal externo seguem atentos ao clima nas principais origens produtoras do país. Cada vez mais o mercado parece consolidar o patamar de US$ 1,50 por libra-peso.

Por volta das 09h45, horário de Brasília, o contrato março/17 registrava 149,40 cents/lb com 20 pontos de alta, o maio/17 anotava 151,75 cents/lb com 20 pontos de valorização. Já o vencimento julho/17 estava cotado a 154,20 cents/lb com 30 pontos de avanço e o setembro/17, mais distante, operava com baixa de 15 pontos a 155,95 cents/lb.

"Com relação às bolsas internacionais, mais do mesmo prevalece, ou seja, tanto Londres como Nova York operam em estreitas margens muito mais de olho na oscilação cambial e na posse de Donald Trump na sexta-feira, nos Estados Unidos, do que qualquer outra coisa no quadro fundamental.  A safra do Vietnã, Colômbia e centrais estão entrando no mercado sem grandes atropelos e o Brasil está sem grandes ofertas no mercado internacional, indicando claramente que o mercado já está em linha, precificado dentro das possibilidades de curto prazo", afirmou ontem (18) o analista de mercado da Maros Corretora, Marcus Magalhães.

No Brasil, também por volta das 09h45, o tipo 6 duro era negociado a R$ 540,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP) – estável, em Guaxupé (MG) os preços também seguiam estáveis a R$ 533,00 a saca e em Franca (SP) estava sendo cotado a R$ 540,00 a saca.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado na quarta-feira:

» Café: Sem forças para ir além de US$ 1,50/lb, Bolsa de Nova York recua cerca de 50 pts nesta 4ª feira

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário