Café: NY trabalha próxima da estabilidade nesta manhã de 4ª e março/17 segue abaixo de US$ 1,50/lb

Publicado em 01/02/2017 09:44 e atualizado em 01/02/2017 12:54
80 exibições

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam sem direcionamento definido nesta manhã de quarta-feira (1º) e já chegaram a estender as perdas de quase 200 pontos registradas na véspera. O mercado realiza ajustes, repercute as chuvas em áreas do cinturão produtivo do Brasil e também o câmbio, que impacta diretamente nas exportações. O vencimento março/17, referência de mercado, segue operando abaixo de US$ 1,50 por libra-peso.

Por volta das 09h29, horário de Brasília, o contrato março/17, referência para os negócios no mercado, registrava 149,35 cents/lb com 15 pontos de queda, o maio/17 anotava 151,80 cents/lb com 20 pontos de desvalorização. Já o vencimento julho/17 estava cotado a 154,20 cents/lb com recuo de 15 pontos e o setembro/17, mais distante, operava com perdas de 15 pontos a 156,40 cents/lb. Na véspera, os principais vencimentos perderam cerca de 150 pontos.

"Notícias de chuvas por vir, algumas que até caíram em áreas de arábica, propiciaram a queda no mercado. Essa baixa não é totalmente inesperada porque as cotações já vinham sinalizando um canal de baixa em Nova York", afirmou ontem (31) o analista de mercado e diretor da Pharos Corretora, Haroldo Bonfá. O câmbio e liquidações especulativas também contribuíram para o recuo na sessão de terça-feira.

No Brasil, por volta das 09h37, o tipo 6 duro era negociado a R$ 520,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP) – estável, em Guaxupé (MG) os preços também seguiam estáveis a R$ 516,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estava sendo cotado a R$ 522,00 a saca. Os negócios seguem limitados nas praças de comercialização do Brasil.

» Clique e veja as cotações completas de café

Veja como fechou o mercado na terça-feira:

» Café: Bolsa de Nova York cai mais de 400 pts durante sessão desta 3ª e março/17 fecha abaixo de US$ 1,50/lb

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário