Café arábica encerra 4ª em NY com altas de até 35 pts nos principais vencimentos

Publicado em 20/06/2018 17:23
162 exibições

LOGO nalogo

O mercado do café arábica encerrou o dia na Bolsa de Nova York (ICE Futures Group) com queda apenas no primeiro vencimento, julho/18. Os demais vencimentos fecharam o dia com leves altas de 25 a 35 pontos.

Julho/18 teve queda de 40 pontos, a 113,70 cents/lb. Para setembro/18, a alta foi de 35 pontos, a 116,75 cents/lb. Dezembro/18 também teve alta de 35 pontos, a 120,20 cents/lb, enquanto março/19, mais distante, teve uma alta de 25 pontos, a 123,60 cents/lb.

O analista de mercado Marcus Magalhães, em seu programa "A Voz do Café" destaca que as bolsas internacionais continuam a operar dentro de um intervalo estreito. A queda de braço entre Donald Trump e a China continua, de forma a influenciar nos mercados globais. Contudo, "nenhum grande trauma à frente é esperado, já que o mercado está consolidado", diz o analista.

Como destacou a Reuters, a colheita de café da safra 2018 dos cooperados da Cooxupé atingiu 15,71% até o último dia 15, o que representa o menor ritmo desde 2015. Há um ano, a porcentagem era de 17,54%.

O Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) também salienta que os negócios com café estão lentos no mercado brasileiro, já que produtores estão focados na colheita e o dólar mais fraco e a queda das cotações não estimulam as vendas.

O dólar comercial encerrou o dia com alta de 1,03%, a R$3,785 na venda.

Mercado interno

O café arábica tipo 4/5 teve alta de 0,66% em Poços de Caldas (MG), a R$459,00. As demais praças se mantiveram estáveis.

Para o café arábica tipo 6 duro, a maior variação do dia foi a queda de -2,22% em Espírito Santo do Pinhal (SP), a R$440,00. A maior alta foi registrada em Poços de Caldas, de 0,67%, a R$453,00.

A única variação do dia para o café tipo cereja descascado ocorreu em Poços de Caldas (MG), de 0,64%, a R$474,00.

O Indicador do Café Arábica Cepea/Esalq encerrou a terça com queda de -0,57%, a R$446,42.

>>>Confira mais cotações de café

Por: Izadora Pimenta
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário