Café: Bolsa de Nova York opera com alta de mais de 200 pts nesta tarde de 2ª feira e estende ganhos recentes

Publicado em 08/10/2018 12:41
268 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com alta de mais de 200 pontos nesta tarde de segunda-feira (08). O mercado externo do grão ainda acompanhando a desvalorização do dólar ante o real e estende os ganhos da última sexta-feira (05). O câmbio impacta diretamente nas exportações do grão.

Por volta das 12h31 (horário de Brasília), o contrato dezembro/18 trabalhava com alta de 220 pontos, a 111,15 cents/lb e o março/19 anotava 114,65 cents/lb com avanço de 225 pontos. Já o vencimento maio/19 trabalhava com ganhos de 225 pontos, a 117,10 cents/lb e o julho/19 tinha valorização de 230 pontos, a 119,50 cents/lb.

Essa é a terceira alta consecutiva no mercado do arábica. O câmbio segue como o principal fator de suporte aos preços externos, mas coberturas de vendidos também são vistas. Às 12h35, o dólar comercial recuava 2,16%, cotado a R$ 3,774 na venda, com investidores repercutindo no mercado a votação expressiva de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência.

O dólar mais baixo em relação ao real tende a desencorajar as exportações e por isso dá suporte aos preços externos do café arábica na Bolsa de Nova York. Do lado fundamental, operadores acompanham as novidades com a safra 2018/19 do Brasil que está em plena florada. O país é o maior produtor e exportador do grão.

Para Shawn Hackett, analista da Hackett Financial Advisors, o café arábica ainda deve ter oscilações neste período pré-eleitoral. "Nós podemos oscilar entre 1,04 dólar e 1,10 dólar até termos o resultado final da eleição (brasileira)", disse o especialista para a Reuters.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 420,00 a saca de 60 kg em Espírito Santo do Pinhal (SP), em Guaxupé (MG) os preços estavam cotados a R$ 433,00 a saca e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 421,00 a saca.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário