Café: Bolsa de Nova York reverte alta do dia e fecha sessão desta 3ª feira com queda de 180 pts

Publicado em 30/10/2018 18:48 e atualizado em 31/10/2018 18:50
253 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta terça-feira (30) com queda de cerca de 180 pontos. O mercado do grão chegou a trabalhar em alta em parte do dia em ajustes ante a queda da véspera, mas o campo negativo acabou prevalecendo.

O vencimento dezembro/18 encerrou o dia com queda de 185 pontos, a 112,40 cents/lb e o março/19 anotou 116,25 cents/lb com recuo de 180 pontos. Já o contrato para maio/19 registrou 118,75 cents/lb com baixa de 185 pontos e o julho/19 teve desvalorização de 180 pontos, a 121,20 cents/lb.

Depois da queda de mais de 500 pontos na véspera, o mercado externo testou alta técnica durante a maior parte da sessão desta terça-feira. No entanto, no final dos trabalhos a queda retornou com o câmbio e movimentos técnicos. Os principais vencimentos ficaram abaixo de US$ 1,20/lb.

"As tendências são baixistas em ambos os mercados (Nova York e Londres) após o grande movimento altista nos preços. Os especuladores se tornaram vendedores novamente ontem e a cobertura de posições vendidas desapareceu", disse o analista e vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

De acordo com a Reuters internacional, o café arábica chegou a testar na sessão mínimas de 11 de outubro. Além da movimentação técnica, o câmbio também contribuiu para a queda no mercado em parte do dia, apesar de ter fechado com queda de 0,40%, a R$ 3,6906 na venda. A máxima foi de máxima de R$ 3,7366.

"Trouxe tranquilidade a fala sobre Previdência, BC, permanência do Ilan. Mas amanhã tem a formação da taxa Ptax (de fim de mês), na sexta-feira, payroll (relatório do mercado de trabalho dos Estados Unidos), com o Brasil fechado", disse para a Reuters o superintendente da Corretora Correparti, Ricardo Gomes da Silva.

Apesar da queda na sessão, operadores no terminal externo do café arábica também seguem atentos com a safra brasileira 2018/19. As lavouras do país estão em plena florada, mas produtores ainda realizam os negócios da safra passada, que terminou de ser colhida nas últimas semanas.

Mercado interno

O físico no Brasil passou a ter menos negócios nos últimos dias. Na sexta-feira (02) é feriado de Finados. "Acompanhando Nova Iorque, os compradores diminuíram um pouco o valor das ofertas e o número de negócios fechados diminuiu bem, praticamente parando nos dias de fechamento da ICE em baixa", informou em boletim o Escritório Carvalhaes.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 476,00 – estável. A maior oscilação no dia ocorreu em Lajinha (MG) com recuo de 2,17% e saca a R$ 450,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Varginha (MG) R$ 450,00 – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Franca (SP) com queda de 1,11% e saca a R$ 445,00.

O tipo 6 duro anotou maior valor de negociação em Araguari (MG) (estável), Espírito Santo do Pinhal (SP) (estável) e Média Rio Grande do Sul (-1,10%), ambas com saca a R$ 450,00. A maior oscilação no dia foi registrada em Guaxupé (MG) com recuo de 1,81% e saca a R$ 433,00.

Na segunda-feira (29), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 440,66 e queda de 2,78%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário