Café: Bolsa de Nova York encerra sessão desta 2ª com queda de mais de 100 pts

Publicado em 14/01/2019 17:53
190 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta segunda-feira (14) com queda de cerca de 100 pontos. O mercado do grão oscilou durante o dia com pressão do câmbio, além de movimentações técnicas.

O vencimento março/19 fechou o dia com queda de 110 pontos, a 102,75 cents/lb e o maio/19 teve recuo de 95 pontos, a 106,25 cents/lb. O julho/19 anotou 109,15 cents/lb com desvalorização de 95 pontos e o setembro/19 teve 112,05 cents/lb e 100 pontos de perdas.

Essa é a terceira sessão seguida de queda no mercado. Nos últimos dias, o café arábica tem oscilado de olho nas oscilações do dólar, que subia em parte do dia, mas também tem oscilado com fatores técnicos. O vencimento referência chegou a US$ 1,05/lb na semana passada.

O dólar comercial encerrou a sessão desta segunda-feira com queda de 0,41%, cotado a R$ 3,6991 na venda, depois de subir em parte do dia, com máxima de R$ 3,7359. As oscilações da divisa impactam diretamente nas exportações das commodities agrícolas.

"Como o mercado está meio à deriva, esperando notícias de Previdência, fica acompanhando o mercado externo", disse para a agência de notícias Reuters o operador de câmbio da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado, ao citar as falas do presidente norte-americano Donald Trump.

Operadores externos seguem atentos com as informações sobre a safra 2018/20 do Brasil, que será de bienalidade negativa, mas tem sido prevista com cenário otimista. Por outro lado, as condições climáticas no cinturão brasileiro, sem previsão de chuvas, preocupam os envolvidos.

"Os produtores também estão ansiosos com a próxima safra, e a produção pode cair drasticamente nesse ano de baixa produção. O El Niño permanece na previsão e as áreas de café no Brasil podem ser afetadas pela seca", disse o vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville

De acordo com estimativa da exportadora Comexim, a safra brasileira de café deste ano pode totalizar 58,2 milhões de sacas, principalmente com suporte da variedade arábica. O volume representaria uma queda de 7,7% ante a temporada recorde anterior.

Leia mais:
» Safra de café 2019 do Brasil deve alcançar 58,2 mi sacas, diz Comexim

Mercado interno

O mercado brasileiro de café segue com negócios isolados e as perspectivas para 2019 seguem pouco animadoras. De acordo com o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP), os preços têm sido influenciados pelas baixas externas.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Espírito Santo do Pinhal (SP) com saca a R$ 440,00 - estável. A maior oscilação ocorreu em Varginha (MG) com saca a R$ 425,00 e queda de 3,41%.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 420,00 e queda de 4,55%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 e estabilidade. A maior oscilação ocorreu em Araguari (MG) com baixa de 3,61% e saca cotada a R$ 400,00.

Na sexta-feira (11), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 408,58 e queda de 0,33%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário