Café: Bolsa de Nova York cai mais de 100 pts nesta 3ª com oferta, realização de lucros e câmbio

Publicado em 22/01/2019 17:53 e atualizado em 23/01/2019 12:20
267 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) fecharam a sessão desta terça-feira (22) com queda de mais de 100 pontos. O mercado externo teve um dia de pressão moderada em realização de lucros, atenção a oferta e câmbio.

O vencimento março/19 encerrou a 103,00 cents/lb e queda de 195 pontos e o maio/19 registrou 106,60 cents/lb e recuo de 145 pontos. O julho/19 anotou 109,00 cents/lb com 175 pontos de perdas e o setembro/19 teve 111,75 cents/lb e 170 pontos de desvalorização.

Antes do feriado do Dia de Martin Luther King na véspera, que fechou o terminal de negociações futuras, o arábica vinha de uma trajetória altista com o vencimento referência de mercado em cerca de US$ 1,05 por libra-peso. No entanto, realizações foram vistas.

"Os preços do café subiram na sexta-feira, após a projeção de quinta-feira da Conab, apontando que produção no Brasil em 2019/20 cairá de 18% para 50,5 milhões de sacas com bienalidade", destacou em seu boletim matinal o site Barchart.

Além das movimentações mais técnicas, o mercado do arábica também sentiu durante o dia o forte impacto do câmbio. O dólar comercial fechou o dia com alta de 1,25%, cotado a R$ 3,8057 na venda, após recuo nas negociações comerciais entre China e Estados Unidos.

A moeda estrangeira mais alta em relação ao real tende a encorajar as exportações das commodities, mas em compensação dá pressão aos preços externos. A ampla oferta de café na safra 2018/19, com safra recorde no Brasil, também ainda repercute entre os operadores.

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) divulgou na última quinta-feira (17), em sua primeira estimativa de safra de 2019, que a produção em 2019/20 deve ficar 50,48 e 54,48 milhões de sacas de 60 kg. O resultado representa uma queda ante a temporada anterior.

Mercado interno

As negociações do café seguiram lentas na véspera sem a referência externa. Transações pontuais têm ocorrido nos últimos dias, com boa parte dos produtores fora das mesas de negociação com os recuos dos últimos meses e expectativas da temporada 2019/20.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Guaxupé (MG) com saca a R$ 447,00 e queda de 1,32%. A maior oscilação dentre as praças no dia ocorreu em Varginha (MG) com queda de 2,22% e saca a R$ 440,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 425,00 – estável. Não houve oscilação nas outras praças no dia.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 - estável. A maior oscilação ocorreu em Patrocínio (MG) com queda de 1,20% e saca a R$ 410,00.

Na segunda-feira (21), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 417,27 e alta de 0,45%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por Jhonatas Simião
Fonte Notícias Agrícolas

Nenhum comentário