CNC: Café recua com pressão de fundos e dólar

Publicado em 01/03/2019 14:17
92 exibições
Os grandes operadores atuaram defendendo sua posição vendida, enquanto a moeda americana subiu frente a outras de países emergentes

Os contratos futuros do café tiveram uma semana de baixa volatilidade, mas ainda com direcionamento negativo, sendo pressionados pela defesa da posição vendida por parte dos fundos de investimento, pela valorização do dólar frente a moedas de países emergentes exportadores de commodities e seguindo sinais dados pelo cenário macroeconômico.

Em Nova York, o vencimento maio/19 do contrato "C" tocou a mínima de 18 de setembro do ano passado (US$ 0,968 por libra-peso) na terça-feira, 26. Mas, com uma recuperação técnica observada na sequência, as perdas foram amenizadas e o fechamento de ontem foi a US$ 0,9845, com perdas semanais de 155 pontos. Na ICE Europe, o vencimento maio do café robusta caiu US$ 2, negociado a US$ 1.537 por tonelada.

O dólar comercial se valorizou esta semana depois do anúncio do PIB dos Estados Unidos no quarto trimestre, que veio melhor do que o aguardado, sendo registrado crescimento anualizado de 2,6%. No Brasil, as incertezas quanto à reforma da Previdência também pesou, assim a divisa norte-americana acumulou alta de 0,3%, cotada, ontem, a R$ 3,7531.

Em relação ao clima, a Somar Meteorologia informa que o fim de semana será instável na maior parte do Sudeste. A nebulosidade predominará e há risco de chuva a qualquer momento no sul de Minas Gerais, Serra da Mantiqueira e sul do Rio de Janeiro. No centro de Minas, a precipitação será mais forte e há risco de temporais, com acumulados de até 50 milímetros. Para as demais áreas da Região, a previsão é de chuva entre a tarde e a noite. A exceção fica por conta do norte mineiro, onde predomina tempo firme e temperaturas elevadas.

No mercado físico, os preços acompanharam o desempenho externo e recuaram, mantendo compradores e vendedores afastados, cenário que deve permanecer na próxima semana em função do feriado de Carnaval. Os indicadores calculados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para os cafés arábica e robusta foram de R$ 396,68/saca e R$ 304,60/saca, respectivamente. A primeira variedade teve queda de 1,7%, enquanto a segunda permaneceu praticamente estável (-0,03%).

 

Tags:
Fonte: CNC

Nenhum comentário