Café: Mercado acumula segunda queda consecutiva e renova mínimas de mais de 10 anos em NY

Publicado em 02/04/2019 17:27
399 exibições

LOGO nalogo

As cotações futuras do café arábica encerraram esta terça-feira (02) com leve baixa na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado tem perdas pela segunda sessão consecutiva assimilando as informações de ampla oferta e chega às mínimas de mais de 10 anos.

O vencimento maio/19 encerrou o dia com queda de 45 pontos, a 91,65 cents/lb e o julho/19 anotou 94,20 cents/lb com 40 pontos de perdas. O setembro/19 anotou 96,90 cents/lb com 40 pontos negativos e o dezembro/19 registrou 100,80 cents/lb com desvalorização de 35 pontos.

Os futuros oscilaram entre a mínima de 91,30 cents/lb e máxima de 92,55, segundo o site de cotações Investing. As mínimas são as mais baixas em 13 anos. Já na véspera, quando registrou quedas de mais de 200 pontos, o mercado havia testado baixas históricas de olho na oferta.

"O mercado ainda está preocupado com a ampla oferta, especialmente do Brasil e a baixa demanda. O Brasil teve uma grande produção na safra atual, mas a próxima deve ser menor, pois é de bienalidade negativa", disse o vice-presidente da Price Futures Group, Jack Scoville.

O mercado acompanha os recentes dados de oferta que apontam que o Brasil exportou no mês de março 3,209 milhões de sacas de 60 kg de café com uma alta de 41,1% ante o mesmo mês no ano de 2018. Na véspera, esse dado repercutiu fortemente e ainda segue no radar dos operadores.

Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, e foram reportados na segunda-feira (1º). Além disso, a variedade é negociada no terminal externo também com outras informações recentes, que também apontam para ampla oferta.

"Os estoques de café monitorados pela ICE totalizaram 2,490 milhões de sacas de 60 kg na sexta-feira com apenas -0,5% abaixo do que o registrado em 22 de março", noticiou na véspera o site internacional Barchart. Os Estados Unidos são um dos maiores consumidores de café do mundo.

Mercado interno

Os negócios no mercado brasileiro de café seguem isolados, mas sempre ocorrem em momentos que o cafeicultor precisa fazer caixa, segundo informam analistas. Nesta terça-feira, a maioria das praças do tipo 6 duro tiveram queda e os preços seguem abaixo de R$ 400,00 a saca.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 418,00 e queda de 0,73%. A maior oscilação no dia foi registrada em Varginha (MG) com queda de 1,27% e saca a R$ 390,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 390,00 e queda de 1,27%. Foi a maior oscilação no dia dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 - estável. A oscilação mais expressiva foi verificada em Espírito Santo do Pinhal (SP) com queda de 5,13% e saca a R$ 370,00.

Na segunda-feira (1º), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 387,09 e queda de 1,52%.

» Clique e veja as cotações completas do café

Por: Jhonatas Simião
Fonte: Notícias Agrícolas

Nenhum comentário