Alerta de geada preocupa cafeicultores do Paraná

Publicado em 04/08/2011 14:10 443 exibições
Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário ainda não influenciou os preços do café
A previsão de frio intenso no Paraná nos próximos dias, segundo informações da Somar Meteorologia, tem deixado produtores em alerta devido à possibilidade de formação de geadas.

De acordo com pesquisadores do Cepea, por enquanto, esse cenário ainda não influenciou os preços do café. Nessa quarta, dia 3, as cotações internacionais do café arábica caíram, limitando o volume de negócios no físico brasileiro.

O Indicador Cepea/Esalq do tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital de São Paulo, fechou a R$ 443,39 por saca de 60 quilos na quarta, recuo de 1,2% entre 27 de julho e 3 de agosto.

Previsão é de temperaturas baixas, entretanto, o risco de geadas nos cafezais é pequeno

A massa de ar polar que está sobre as regiões produtoras de café deve manter baixas as temperaturas na próxima madrugada. No entanto, é fraco o risco de geadas nos cafezais, conforme previsões da Somar Meteorologia.

– A madrugada desta sexta, dia 5, será parecida com a desta quinta, trazendo risco de geadas apenas em áreas de baixada no norte do Paraná, que poderão provocar danos aos pés de café mais novos. O pior já passou e foi na madrugada desta quinta. A geada não pegou o café – informa a meteorologista da Somar, Cássia Beu.

Nessa quarta, o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) divulgou alerta de geada, recomendando aos cafeicultores proteção dos viveiros e de cafeeiros com idade acima de seis meses. Segundo o Iapar, as condições atmosféricas nesta quinta também são favoráveis para formação de geadas nas demais regionais do Estado.

Conforme a Somar, a Mogiana paulista e o sul de Minas, regiões que concentram boa parte da produção de café do país, devem ter madrugada fria nesta sexta, mas não o suficiente para provocar geadas. Essas duas áreas devem ter mínima de 3 °C a 4 °C, enquanto o Cerrado Mineiro, outra importante área produtora, pode ter mínima de 6 °C.

A meteorologista acrescenta que a temperatura sobe bruscamente nas áreas produtoras a partir do fim de semana.

– Devemos ter dias quentes, como observado na segunda quinzena de julho e no início do inverno – comenta Cássia.

Um bloqueio atmosférico vai impedir a entrada de novas frentes frias vindas do Sul.

– Não há previsão de chegada de nova massa de ar polar nos próximos dias – conclui.

Tags:
Fonte:
Canal Rural

0 comentário