Exportação de carne bovina in natura de MS tem alta de 150%

Publicado em 19/06/2012 08:15 933 exibições
O mês de maio registrou alta de 150% em volume na exportação de carne bovina in natura em Mato Grosso do Sul, comparado ao mesmo período do ano passado. Foram 10,8 mil toneladas, o que gerou receita de US$ 50 milhões, contra quatro toneladas exportadas em 2011. O principal comprador foi a Rússia, mas os melhores preços foram pagos pelo Chile, que ocupou segundo lugar no ranking de compra do produto sul-mato-grossense. 

“A demanda internacional pela proteína está aquecida e o fator cambial também contribuiu para o aumento das exportações. Com o real desvalorizado, nos tornamos mais competitivos no mercado internacional”, analisa a assessora técnica da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Adriana Mascarenhas. O desafio, segundo Adriana, ainda é a reconquista do mercado europeu. “É na União Européia que temos compradores que pagam preços mais atrativos pela nossa carne”, complementa.

A oferta de animais para o abate foi aquecida em maio. Foram 355,4 mil cabeças abatidas, o que representa um aumento de 24% em relação a maio do ano passado. No acumulado, desde janeiro, foram 1,5 milhão de cabeças, com 18% a mais que no mesmo período em 2011. “Embora estejamos no inicio do período de entressafra, o pecuarista está com um pasto em boas condições, isso devido às chuvas fartas dos últimos meses. Quem represou os animais no início do ano e esperou a seca passar, hoje está com animais em peso ideal para abate”, explica Adriana.

Os dados sobre exportação, abate e levantamento de preço da arroba em todo o Estado compõem o Boletim Casa Rural que a Unidade Técnica da Famasul elabora mensalmente. Outros dados de setores como agricultura e silvicultura estão contemplados no informativo disponível no site da Famasul (www.famasul.com.br). 
Tags:
Fonte:
Famasul

2 comentários

  • marcio oliveira da costa Três Lagoas - MS

    Precisamos de mais plantas frigorificas, de pequeno e medio porte, e isenção de buroclacias nas documentaçoes de funcionamento para esses negocios, precisamos incentivar o surgimento de plantas independentes municipais em regioes produtoras e com potencial tambem de exportarem , só assim sera justo o preço pago ao produtor

    0
  • marcio oliveira da costa Três Lagoas - MS

    Veja nos produtos adqueridos por compradores diferentes, como a variação de preço é constante! Ja no caso do boi os compradores são sempre os mesmos frigorificos isso explica ser o produto com menor variação de preços pagos ao produtor! veja tabela de variaçao de um dia apenas abaixo

    Soja (Jul 12)

    33,00

    1,26 %

    Milho (Set 12)

    23,35

    0,82 %

    Café (Set 12)

    192,00

    1,16 %

    Boi Gordo (Out 12)

    100,31

    0,01 %

    0