Governo pode contestar restrição à carne bovina pelos EUA

Publicado em 24/08/2012 07:42 547 exibições
Segundo o ministro Mendes Ribeiro Filho, o governo brasileiro estuda integrar contestação na OMC contra restrições às importações de carne bovina.
Durante entrevista concedida nessa quinta-feira, 23 de agosto, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, disse que o governo brasileiro estuda a possibilidade integrar, como parte interessada, a contestação feita pela Argentina na Organização Mundial de Comércio (OMC) contra as restrições às importações de carne bovina in natura. “Estamos acompanhando com muito interesse o assunto”, disse ele. A situação sanitária da pecuária brasileira é similar à da Argentina, pois vários estados têm o status de livres de aftosa com vacinação, reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), e ainda assim não podem exportar carne in natura para os Estados Unidos.

O ministro ainda afirmou que a presidente Dilma Rousseff autorizou os estudos para a criação da Agência de Extensão Rural, que estão sendo realizados em conjunto com diversas entidades. A assistência técnica é peça-chave no programa de regionalização do Ministério da Agricultura que Mendes Ribeiro lançará na próxima semana durante a Expointer, em Esteio, no Rio Grande do Sul. Ao ser questionado sobre como será implantada a nova política, ele respondeu que a “palavra regionalização em si diz tudo”.

O ministro também argumentou que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) está utilizando todos os instrumentos de política agrícola de que dispõe para permitir que os criadores sejam os menos sacrificados. “Muita gente vai perder, mas queremos que o pequeno e o médio percam o mínimo possível”, disse ele. Em função das dificuldades enfrentadas pela Conab para conseguir caminhões para transportar o milho depositado em Mato Grosso até Santa Catarina, Mendes Ribeiro afirmou que ligou para o governador e pediu apoio para pagar o frete de retorno, uma vez que os motoristas não querem voltar à origem sem carga.
Tags:
Fonte:
Mapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário