Boi gordo e frango vivo tem dia estável; Suíno registra alta de preço no PR, MG e GO

Publicado em 18/11/2015 06:49

Boi Gordo: Compradores aguardam um melhor posicionamento das vendas e mercado deve ficar lento nos próximos dias

Por Maisa Módolo, engenheira agrônoma da Scot Consultoria

Hoje os preços da arroba do macho terminado subiram em cinco praças, das trinta e uma pesquisadas.

A pressão de alta nestas praças é reflexo da dificuldade de compra dos animais, que estão escassos em boa parte do país.

No entanto, em algumas praças, principalmente em regiões onde as chuvas estão mais frequentes, os frigoríficos conseguiram alongar um pouco as escalas.

A necessidade de compra nestas regiões está menor e pressionou para baixo as cotações, como é o caso de São Paulo, que teve redução de preços tanto em Barretos como em Araçatuba.

A movimentação lenta no mercado da carne bovina também inibe os compradores, que aguardam um melhor posicionamento das vendas antes de comprarem animais com maior intensidade.

A expectativa é de que o ritmo do mercado esteja mais lento nos próximos dias.

Frango Vivo: Após alta no Paraná, preços ficam estáveis nesta 3ª feira

Por Sandy Quintans

Os preços para o frango vivo ficaram estáveis nas principais praças de comercialização nesta terça-feira (17). No último fechamento, novas altas foram registradas no Paraná, em que Jacarezinho apresentou um acréscimo de 5,08% e negócios a R$ 3,10/kg.

Com a segunda quinzena do mês, quando o consumo pela proteína é menor, o cenário passa a ser de estabilidade. Apesar disto, informações do Cepea apontam que a demanda está aquecida, com frigoríficos intensificando compras e preparando estoques para as festas de final de ano.

Por outro lado, os custos de produção apresentaram nova alta para a proteína, segunda aponta a Embrapa Suínos e Aves. O ICP/Frango encerrou outubro com 205,26 pontos, um aumento de 6,96% em relação ao índice de setembro. No acumulado do ano, alta é de 16,58%, enquanto que em comparação há um ano o acréscimo nos custos de produção é de 26,90%.

Suíno Vivo: PR, MG e GO registram alta de preços; MT tem queda na referência

Por Sandy Quintans

Nesta terça-feira (17), mais altas foram registradas para o suíno vivo, após semanas de desvalorização de preços. Em Paraná, a referência teve um acréscimo de 4%, com negócios a R$ 4,16/kg. Em Minas Gerais e Goiás, a bolsa de suínos também definiu alta de preços – de 4,65% - em que a referência passa para R$ 4,50/kg.

Esta é a segunda semana consecutiva que a praça mineira registra alta de preços. Segundo informações da Asemg (Associação dos Suinocultores do Estado de Minas Gerais), há a perspectiva de melhora na comercialização nesta semana. Apesar disto, frigoríficos sugeriram que a referência da semana fechasse em R$ 4,00/kg, alegando que a oferta está maior que a demanda atual.

Já em Mato Grosso, o cenário é oposto, com registro de baixa de preços para a referência da semana. A baixa foi de 3,82% e os negócios no estado estão em torno de R$ 3,27/kg.

Segundo o analista de mercado de suínos, Fabiano Coser, apesar de não haver um aquecimento de preços – comum nesta época do ano -, o cenário de estabilidade traz uma melhora na competitividade da carne suína frente a bovina. “A consolidação da participação da carne suína na cesta de consumo dos brasileiros é um fator importante na pavimentação do aumento do consumo interno”, explica.

No último fechamento, São Paulo teve alta na referência pela primeira vez desde setembro. Com isso, fechou entre R$ R$ 81 a R$ 83/@ - equivalente a R$ 4,32 e R$ 4,43/Kg. Já em Rio Grande do Sul, o cenário é de preços estáveis, com referência em R$ 3,87/kg.

Tags:
Fonte:
Notícias Agrícolas + Scot

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário