China libera 30 mil toneladas de carne suína de reservas estatais, diz Xinhua

Publicado em 24/01/2021 14:52 265 exibições
Agencia estatal chinesa

Beijing, 22 jan (Xinhua) -- As autoridades chinesas liberaram na quinta-feira 30 mil toneladas de carne suína de suas reservas centrais para aumentar o fornecimento de carne para o feriado da Festa da Primavera, disse a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma.

Um total de 150 mil toneladas de carne suína de reserva foi liberado no mercado desde 17 de dezembro de 2020 para garantir o abastecimento para os feriados de Ano Novo e Festa da Primavera, de acordo com a entidade.

A oferta no mercado aumentou por causa da liberação, disse a comissão, acrescentando que a liberação de reservas locais de carne suína em algumas regiões também foi bem recebida pelos consumidores.

Em 20 de janeiro, o preço médio da carne suína em 36 grandes cidades da China subiu 3,2% em relação ao início do ano devido ao aumento do consumo sazonal. O preço médio caiu 4,6% ante o mesmo período do ano passado.

A comissão trabalhará com outros departamentos para fornecer mais carne suína congelada das reservas centrais em torno do feriado da Festa da Primavera e orientar as autoridades locais a aumentar a liberação de reserva de carne suína para garantir o abastecimento do mercado e estabilizar o preço da carne suína durante o feriado.

Sinovac aumenta produção de vacinas para garantir fornecimento mundial, incluindo Brasil

Beijing, 22 jan (Xinhua) -- A empresa farmacêutica chinesa Sinovac Biotech Ltd. está aumentando a produção da CoronaVac, uma vacina inativada contra a COVID-19, para garantir o fornecimento mundial, segundo Yin Weidong, presidente e diretor executivo da empresa.

"A Sinovac recebeu pedidos de vacinas do Brasil, Indonésia, Turquia, Chile e outros países e regiões, e estamos fazendo todo o possível para ampliar a capacidade de produção", disse Yin em uma entrevista à Agência de Notícias Xinhua. "Esperamos que a vacina proteja mais pessoas em todo o mundo."

A vacina Sinovac foi aprovada para uso emergencial em alguns países, incluindo China, Indonésia, Brasil e Chile, segundo Yin.

Yin acrescentou que a companhia construiu uma segunda linha de produção, que começará a operar em fevereiro, aumentando desta forma sua capacidade de produção anual para um bilhão de doses.

A Sinovac exportará produtos semi-acabados de vacinas para alguns países e ajudará a construir linhas locais de enchimento e empacotamento nos países importadores para melhorar a capacidade de produção e eficiência, disse Yin.

"Sobre a base de uma produção anual de um bilhão de doses, continuaremos ampliando a capacidade de produção. Enfrentamos as incertezas relacionadas com a pandemia do coronavírus e a demanda de vacinas, que não serão respondidas unicamente com o habitual modelo comercial de oferta e demanda. As vacinas são bens públicos e devemos assumir responsabilidades sociais", disse Yin.

China oferece ajuda ao Amazonas para superar grave crise sanitária, anuncia embaixador chinês

Rio de Janeiro, 23 jan (Xinhua) -- A China oferecerá ajuda ao estado do Amazonas (norte do Brasil) para superar a grave crise sanitária que a região atravessa devido à falta de oxigênio hospitalar para atender os pacientes com o novo coronavírus (COVID-19) , segundo afirmou o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming.

Em uma videoconferência realizada nesta sexta-feira com o governador do Amazonas, Wilson Lima, Yang Wanming assegurou que a China doará oxigênio, geradores de oxigênio, máscaras, outros materiais sanitários e alimentos ao estado para ajudar a superar a crise sanitária que a região vive atualmente.

O embaixador falou da "empatia" que existe na China com relação à crise epidêmica no Amazonas, onde foi detectada recentemente uma mutação mais contagiosa da COVID-19 e que provocou um colapso no sistema de saúde da região.

A Sociedade da Cruz Vermelha da China fornecerá ajuda de emergência ao Amazonas em um futuro próximo. O governo de Guangdong e empresas chinesas como XCMG, Huawei, BYD, Gree ou o Banco de China, bem como empresas chinesas no Brasil e o Instituto Sociocultural Brasil-China, doarão 4,3 mil quilos de oxigênio para o Amazonas, 25 geradores de oxigênio, 360 mil máscaras e alimentos básicos.

O embaixador da China afirmou que essas ações de caridade mostram a profunda amizade do povo chinês com o povo brasileiro e que a China continuará defendendo o espírito de assistência mutua e unidade para combater a epidemia da COVID-19 e superar as dificuldades com o povo brasileiro.

Por sua vez, o governador Lima agradeceu a ajuda oferecida pela China e destacou que o país asiático é um parceiro importante do Brasil.

Segundo Lima, o estado do Amazonas está disposto a fortalecer ainda mais a cooperação com a China no combate a COVID-19, fortalecer a cooperação econômica e comercial na era pós-epidemia, promover a recuperação econômica local e beneficiar os dois povos.

O Amazonas, que foi um dos epicentros da primeira onda da COVID-19 no país, está sofrendo um colapso sanitário devido ao aumento de casos e mortes provocadas pelo vírus nas últimas semanas.

Os especialistas atribuem o aumento dos contágios a uma mutação do vírus encontrada na região, semelhante à detectada no Reino Unido e na África do Sul, que é transmitida com mais facilidade.

Com todos os hospitais da capital Manaus saturados, a região ficou sem oxigênio hospitalar para poder atender às pessoas internadas, o que levou à morte de vários pacientes.

Segundo o último balanço divulgado pelo governo brasileiro, o Amazonas registra 245.157 casos da COVID-19 e 6.889 óbitos pelo vírus.

China suspende dois voos de entrada no país por casos COVID-19

Beijing, 23 jan (Xinhua) -- O regulador da aviação civil da China anunciou a suspensão de um voo da Xiamen Airlines e de um voo da Swiss International Air Lines depois que vários passageiros testaram positivo para COVID-19 em voos recentes.

Um total de cinco passageiros testou positivo no voo MF830 Los Angeles-Xiamen da Xiamen Airlines em 8 de janeiro, e o voo será suspenso por duas semanas a partir de 25 de janeiro, disse a Administração de Aviação Civil da China (AACC) sexta-feira.

O voo LX188 Zurique-Shanghai da Swiss International Air Lines será suspenso por duas semanas a partir de 1º de fevereiro, depois que seis passageiros testaram positivo no voo de 11 de janeiro.

Em 16 de dezembro de 2020, a entidade atualizou o mecanismo de recompensa e suspensão introduzido em junho do ano passado para conter ainda mais a disseminação de COVID-19.

De acordo com a última política da AACC, a suspensão dos voos será estendida de uma semana para duas semanas se o número de passageiros com teste positivo chegar a cinco.

A suspensão durará quatro semanas se o número de passageiros com teste positivo para COVID-19 chegar a 10.

Tags:
Fonte:
Xinhua (estatal chinesa)

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário