Qualidade de carne de Mato Grosso do Sul é referência para outros estados

Publicado em 28/07/2010 10:15 290 exibições
O PBA preserva o meio ambiente do animal e fornece uma carne mais saborosa e nutritiva.
O Estado do Mato Grosso do Sul virou referência em qualidade da carne, por meio de seu programa de Boas Práticas (BPA), desenvolvido pela Embrapa, outro três estados brasileiros aderiram e consolida com uma receita que favorece a carne tornando um produto mais saboroso, nutritivo e suculento.

A fórmula começou há cinco anos quando a Embrapa Gado de Corte lançou o programa, e se solidificou o BPA no primeiro semestre desse ano. O programa tem por objetivo fortalecer o setor produtivo, aumentando a rentabilidade, preservando o ambiente e garantindo, na ponta da cadeia, um alimento saudável, seguro e saboroso.

De acordo com o pesquisador e coordenador do programa, Ezequiel Rodrigues do Valle, os produtores tiveram que adaptar a propriedade para oferecer ao animal água limpa. “Gado gosta de alimento nutritivo, saboroso, água limpa e fresca, sombra para aliviar o calor. E responde com perda de peso aos maus tratos, principalmente no transporte inadequado”, enfatiza.

Quando foi lançado o BPA, poucos admitiam que o projeto fosse concretizado. A questão do custo pesou para o pessimismo, aliada a fatos anteriores. Valle afirma que as fazendas mais tecnificadas que aderiram ao BPA “saíram na frente, quase com custo zero, mesmo antes da fase alcançada este ano, que é a consolidação do programa”.

Para a tutora do Portal Educação, médica veterinária, Danielle Pereira, o estado dá exemplos de uma pecuária que busca o bem-estar animal e produtos altamente nutritivos. “Mato Grosso do Sul tem investido em bem-estar animal e qualidade de vida para a população, oferecendo um produto de alta qualidade”, concluiu Pereira.

Hoje, 300 propriedades nos Estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais e extremo Norte do País estão no programa. Em Mato Grosso do Sul, quatro fazendas já passaram por todas as fases. São a Maragogipe e Erechim em Itaquiraí; Primavera em Guia Lopes da Laguna e Souza Cuê, em Iguatemi.

Fases

O treinamento aborda os pontos principais: gestão da propriedade, função social do imóvel rural, responsabilidade social, gestão ambiental, instalações rurais, manejo pré-abate e bons tratos ao rebanho, formação e manejo de pastagens, suplementação alimentar, identificação animal, controle sanitário e manejo reprodutivo. Com tais conhecimentos, reduzem-se riscos trabalhistas e ambientais, além de melhorar a qualidade da carne e do couro. Na fase final, a fazenda recebe um certificado da Embrapa Gado de Corte, que endossa o que interessa ao mercado, a qualidade da carne.

Tags:
Fonte:
Itaporã News

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário