USDA descumpre promessa de liberar importação de carne bovina e suína de Santa Catarina

Publicado em 29/09/2010 15:27
444 exibições
O subsecretário para Marketing e Programas Regulatórios do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), Edward Avalos, afirmou na manhã desta quarta-feira, em uma audiência, que nenhum tema acerca a liberação da importação da carne bovina e suína de Santa Catarina ainda em setembro será discutido antes das eleições legislativas norte-americanas, em 2 de novembro. O posicionamento, mostrando que o departamento está descumprindo sua promessa de liberação.

De acordo com Pedro Camargo Neto, presidente da Abipecs - Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carna Suína, o USDA comprometeu-se a certificar Santa Catarina como área livre da febre aftosa sem vacinação. Posteriormente, o status seria prolongado também à região Centro-Oeste do Brasil.  
 
Depois dos impasses entre Brasil e Estados Unidos em torno dos subsídios do algodão, na Organização Mundial do Comércio, uma carta foi enviada ao Departamento de Comércio do Itamaraty, em junho passado, formalizando a promessa. O objetivo do acordo foi uma das alternativas para evitar as retaliações do Brasil contra produtos norte-americanos.

O presidente da Abipecs acredita que cabe, agora, ao governo brasileiro cobrar do USDA a efetivação de sua parte naquilo que foi combinado. "Caso contrário, ficará claro que o acordo se restringiu, na prática, ao aporte de US$ 150 milhões ao ano pelos Estados Unidos ao setor de algodão brasileiro".
 
Recentemente, o Brasil ganhou uma batalha política conseguindo uma autorização da OMC (Organização Mundial de Comércio) para retaliar os EUA em R$ 1,48 bilhão (US$ 830 milhões) por ano - R$ 1,05 bilhão (US$ 591 milhões) em produtos e R$ 429 milhões (US$ 240 milhões) em  propriedade intelectual, por causa dos subsídios dados pelo governo norte-americano aos produtores de algodão.
Tags:
Fonte: Redação NA

Nenhum comentário