Chuva de granizo destroi plantações de soja e milho no RS

Publicado em 14/12/2011 11:05 829 exibições
Pelo menos 120 hectares de propriedades rurais do município de Estação, no norte Rio Grande do Sul, foram devastados por um a chuva de granizo que durou apenas 10 minutos. Os maiores prejuízos foram registradas em lavouras de soja e milho em desenvolvimento.

Quem testemunhou o ocorrido, afirma que cinco horas depois da chuva o gelo ainda não havia derretido. "Onde pegou, destruiu. Sorte que a maioria tinha seguro", afirma Jair Kestercke, secretário municipal de Agricultura de Estação.

Já na cidade de Centenário, as plantações mais prejudicadas foram as da fruticultura. Pouco sobrou, e esse pouco ainda não poderá ser aproveitado. As lavouras de feijão e fumo também registraram perdas.

O granizo também atingiu as cidades de Erechim, Getúlio Vargas, Pontão, Coxilha e Sertão, porém, nestes municípios não foram registrados danos.

Há semanas os produtores das regiões atingidas vinham sofrendo com a estiagem e esperando por uma chuva suficiente para o bem das lavouras. Porém, depois da seca, acabou vindo o estrago.

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

2 comentários

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    É mesmo caro Luiz Prado. Tem centenas de Resoluções deste tal de CONAMA, uma mais comunista que a outra. E a interpretação dos Promotores Ambientais? Mais díspares do que dos Promotores do Min. do Trabalho. Como é que nunca tiveram a desfaçatez de PROIBIR as chuvas de granizo, chuvas de monção etc...? Cuidado, VERDE é a nova cor do comunismo.

    0
  • Luiz Prado Rio de Janeiro - RJ

    Hor dos fiscais do IBAMA e do MP ambiental partirem para cima e exigirem que esses produtores façam o geo-referenciamento - que o MMA nunca fez nas unidades de conservação (parques nacionais e tais) e recomponham a parte da reserva legal que tiver sido destruída pelo granizo. Talvez fosse bom, também, se o Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA, aprovasse Resolução proibindo chuvas de granizo ou chuvas torrenciais que façam com que rios transbordem o que modifica a posição da tal faixa marginal de proteção.

    0