Frio intenso e neve nos EUA devem atrasar plantio da nova safra dos EUA

Publicado em 24/03/2014 17:22 e atualizado em 01/03/2020 12:41 1605 exibições

A primavera já chegou nos Estados Unidos, porém, as temperaturas ainda estão baixas, o frio é intenso e em importantes regiões produtoras do Meio-Oeste americano, principal local de produção de grãos do país, há incidência de neve. Em Des Moines, Iowa, por exemplo, as temperaturas tem registrado máximas de 4ºC e mínimas de -8ºC e neva na região, o mesmo acontece em Minneapolis, Minnesota e em Decatur, Illinois. 

Segundo informações do site norte-americano Accu Weather, esse frio muito forte deve se extender por mais essa semana no Meio-Oeste e no Leste americano. Uma frente fria que chegou nos últimos dias acabou anulando as temperaturas mais amenas da última sexta-feira (21) e sábado (22). Assim, já se espera também a queda de neve em diversas regiões, e as temperaturas ficam de 15 a 20 graus abaixo do normal.

Nas imagens abaixo, do site AccuWeather, a previsão do tempo para essa semana de alguns estados produtores:

Des Moines / Iowa

Previsão do Tempo - Des Moines/IA

Decatur / Illinois

Previsão do Tempo - Decatur/IL

Minneapolis / Minnesota

Previsão do Tempo - Minneapolis/MN

Esse cenário climático já tem comprometido o início do plantio da nova safra dos Estados Unidos, principalmente no caso do milho, que é semeado antes da soja no país. "Essas condições climáticas americanas,  primavera gelada, se continuarem, se as massas de ar polar continuarem entrando, chegando em abril, vai haver um atraso no processo de preparo de solo para plantio e esse também é um fator importante", explica Vlamir Brandalizze, consultor da Brandalizze Consulting.

No ano passado, foram registrada nevascas até o início de maio e se isso se repetir o plantio deverá ser concentrado em um período limite da época recomendade e coloca as lavouras todas em um risco equivalente. "A fase de plantio ao invés de ser entre 4 e semanas será restrita de 2 a 3 semanas e se houver problemas climáticos entre julho e agosto, que é a fase de floração de milho e de soja, com temperaturas altas e falta de chuvas, pode afetar ainda mais as lavouras que foram plantadas de forma mais concentrada", completa Brandalizze. 

Até o momento, ainda segundo o consultor, ainda não há indicativos de uma mudança das condições do clima nas próximas semanas e esse, portanto, deverá ser um importante fator para o mercado de grãos daqui para frente. "Isso deve manter as cotações firmes para a nova safra e, talvez, nas próximas semanas, mostrando posições mais atrativas para a safra norte-americana", diz.

NOAA - O instituto de clima governamental dos EUA, NOAA, mostrou um inverno implacável neste ano e que deve deixar resquícios na primavera. Um desses reflexos são as possíveis enchentes que podem ocorrer com o derretimento da neve e a chegada das chuvas de primavera. As informações são do boletim de previsão para a primavera divulgado no último dia 20. 

No entanto, essas inundações devem se atrasar para o final de abril, por conta da continuação do clima típico de inverno, a neve acumulada acima da média, solo congelado e uma cobertura de gelo grosso em córregos e rios que deve atravessar a primavera na parte superior do Meio-Oeste.

"O potencial das inundações este ano é bastante extenso e inclui rios em áreas altamente povoadas, colocando milhões de americanos em risco. Embora não se espere inundações generalizadas, um aquecimento repentino do tempo ou chuvas fortes podem causar esses eventos em locais isolados", disse o PhD do NOAA, Louis Uccellini. 

São esperadas inundações para partes de Wisconsin, Michigan, Illinois, Indiana e Iowa, com risco para os rios Mississipi e Illinois, bem como para a bacia do baixo Mississipi e Kansas. 

Veja a previsão completa no vídeo do NOAA que segue abaixo, em inglês:

Com informações do AccuWeather e NOAA - National Oceanic and Atmospheric Administration 
Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário