Calor e seca em Mato Grosso reduzem safrinha no estado

Publicado em 20/10/2014 09:03 285 exibições

Se no Paraná as temperaturas na lavoura superam os 60ºC na terra, conforme apuração da Expedição Safra Gazeta do Povo, imagina em Mato Grosso. O calor escaldante no estado do Centro-Oeste é tanto que não anima os produtores nem a olhar para lavoura, só depois que chover. Muitos ainda nem sequer tiraram as plantadeiras do barracão. E poucas são as regiões com lavouras em estágio normal de desenvolvimento, sem problemas pelo quadro climático, considerado inédito em algumas localidades. A falta de umidade e as altas temperaturas, além de ameaçarem o potencial produtivo das áreas plantadas, já estão comprometendo o plantio da safra de inverno no estado, conforme produtores e técnicos entrevistados.

Com mais de um terço do terreno ocupado pela oleaginosa, a região Medio-Norte mato-grossense está entre as mais prejudicadas pelo clima. “Com a situação de hoje, já comprometemos pelo menos de 25% a 30% da segunda safra”, estima o produtor e diretor do Sindicato Rural de Sorriso, Elso Pozzobom. O município é conhecido como a capital mundial da soja. Pozzobom aposta numa redução de área na safrinha em toda o entorno do município. “Ninguém se preveniu e comprou os insumos [para a segunda safra]. Diante dessa situação, o produtor vai preferir não plantar, porque o preço [do milho] não sinaliza nenhuma margem de lucro”, argumenta. Ele faz parte do grupo de produtores que ainda não conseguiu dar a largada com o plantio da safra 2014/15. Apesar do atraso, provocado pela falta de chuvas, a intenção de semear os 2,5 mil hectares com soja está mantida. “Mesmo que plante em dezembro vou ter de plantar. Vou sair do período ideal e provavelmente a produtividade vai cair, mas não vou mudar os planos agora no verão”, afirma ele, que dá graças por ainda não ter colocado as máquinas no campo. 

Leia a notícia na íntegra no site do Gazeta do Povo

Tags:
Fonte:
Gazeta do Povo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário